quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Resenha #114 - Emily Giffin - Ame O Que É Seu

Oie Gente,

Recebi "Ame O Que É Seu" da Editora Novo Conceito já tem algum tempo e só agora resolvi tirar ele da pilha.
Como foi o primeiro chick-lit que caiu nas minhas mãos estava bem empolgada com o livro.

Tenho que dizer que o livro me causou emoções bem conflitantes.
Como uma romântica incorrigível, tenho que assumir que detestei a atitude da Ellen.
Simplesmente cada vez que ela suspirava por aquela criatura fútil minhas sensibilidades românticas ficavam irritadíssimas!
Vê lá se eu trocaria uma refeição completa por um lanchinho da tarde??? u.u Mulher louca...

Como uma pessoa prática ou cínica, até consigo entender a confusão dela. Afinal, quem nunca pensou "E se??"?!
Fiquei boa parte da leitura dividida entre dois opostos. Não sabia se odiava as atitudes da Ellen ou se entendia a sua confusão emocional...
Apesar de tudo isso, achei o livro bem legal!

Quem estiver interessado, ainda da tempo de participar do Especial de Fim de Ano In Death! "Ame O Que É Seu" está entre os livros que serão sorteados!

Sinopse: “Como amar de verdade a pessoa que está comigo, se não consigo esquecer alguém que ficou no passado?”.
O tema deste livro é aquela pulga atrás da orelha de imaginar como seria a vida se tivéssemos feitos outras escolhas. Esta é uma história para quem algum dia já se perguntou
Em Ame o que é seu o leitor encontrará a história de uma mulher (Ellen) dividida entre o amor real e aquele fatídico “ E, se”.
O casamento de Ellen e Andy não parece perfeito, ele é perfeito. São inegáveis a profundidade da devoção mútua e o quanto um esperta o melhor do outro. Mas por obra do destino, certa tarde, Ellen revê Leo pela primeira vez em oito anos. Leo, aquele que partiu seu coração sem se explicar, aquele que ela não conseguiu esquecer.
Quando o reaparecimento dele desperta sentimentos há muito adormecidos, Ellen se põe a questionar se sua vida atual é de fato como ela queria que fosse.
O desenrolar da história é contagiante, pois a cada página acontecem novas cenas que é quase impossível abandonar a leitura, ou ... não se colocar em seu lugar.
Este romance figura nas principais listas norte-americanas há 20 semanas e todos os comentários são muito parecidos: “Seus romances são cativantes e sensíveis, difíceis de largar”. É comparada pelos leitores a Marian Keys, autora de Melancia, Férias e Sushi.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Resenha #113 - Amanda Ashley - O Coração da Escuridão

Oie Gente,

Essa semana resolvi pegar um livro diferente e tirei da minha pilha de históricos e medieveias mais um romance.
"O Coração da Escuridão" é um romance sobrenatural, ambientado no século XIX, que conta a vida de um Lord vampiro.
Ele vive recluso em um castelo, escondido de todos e escravo de sua "maldição", até o dia em que compra Rhianna em um leilão feito pela pai da moça!!!!, querendo usá-la como sua fonte de alimentação. Mas o que ele não sabe é que ela trará muitas e maravilhosas mudanças para sua aborrecida vida.
Rayven é um vampiro taciturno, que evita a todo custo deixar qualquer um chegar realmente próximo dele. Quer aparentar que não liga para nada e nem para ninguém, mas a cada desejo da Rhianna que ele torna realidade vemos que, no fundo, ele é tem um bom coração.

Gostei muito do enredo desse livro e um dos principais motivos foi as características reais do personagem central. Apesar de ele tentar se manter afastado de todos, cada vez que nosso vampiro gostosão, obviamente, a Rhianna o torna mais "normal" e "humano".
É bem verdade que algumas das opções e escolhas dele são de fazer as românticas de plantão xingarem a plenos pulmões se vocês forem ler, saberão do que falo, mas isso só me fez gostar ainda mais do livro.

A Rhihanna eu posso quase dizer que é o exemplo do que se espera das mulheres daquela época. Educada para obedecer os homens, ela tenta manter sua independência nas poucas coisas que lhe são permitidas.

No começo achei ela um pouco sem graça, mas me conquistou quando resolveu bater o pé e enfrentar todos para ficar com o Rayven, mesmo com todos os comentários negativos e conselhos contrários.

Talvez ele não agrade muito quem é realmente fã de históricos, já que não tem uma viagem pelo passado daquelas cheias de detalhes e tals.
É um romance curtinho, perfeito para quem gosta de passar bons momentos na companhia de Lords Vampiros nada convencionais. hehehehe

Quem quiser ler o livro, existe uma tradução não oficial feita por um grupo de fãs.
Até mais!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Resenha #112 - Beth Fantaskey - O Casamento

Oie Gente,

Semana passada eu fiz a resenha de Jessica's Guide to Dating on theDark Side e hoje eu vou falar sobre a continuação desse livro.
"O Casamento", como o nome bem diz, conta os acontecimentos de antes, durante e depois do casamento de Lucius e Jessica.
Se a primeira história poderia ser resumida como um romance cheio de humor sarcástico, a segunda é um romance cheio de amor, mel e sangue. Muito sangue. rsrs

A história é muito doce, mesmo nos momentos mais dramáticos (o início de antes da cerimonia não é para quem tem medo de sangue rs). Romântico do início ao fim, O Casamento é a pedida perfeita para aquelas almas mais românticas que ficaram achando que faltou um pouco mais da história dos dois no primeiro livro.

O livro é pequeno, tem 103 páginas e foi disponibilizado pela autora no site para download. O pessoal da TdL fez uma tradução, para quem não pode ler o original.
Se você gostou do primeiro livro, leia o segundo que você terá uma finalização perfeita!
Recomendo!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Diana Palmer - Homens do Texas

Resumo Da Série Homens Do Texas – Diana Palmer

Livros:

1- O Gosto Do Pecado (Calhoun) - [Irmãos Ballenger 1] - Calhoun Ballenger e Abby Clark
2- Aprendendo a Amar (Justin) - [Irmãos Ballenger 2] - Justin Ballenger e Shelby Jacobs
3- Lições do Coração (Tyler) - Tyler Jacobs e Nell Regam
4- Caminhos do Coração (Sutton's Way) - Quinn Sutton e Amanda Callaway
5- Rendição Ao Desejo (Ethan) - Ethan Hardeman e Arabella Craig
6- Casamento Acidental (Connal) - [Irmãos Tremayne 1] - Connal Cade "C.C." Tremayne e Penélope "Pepi" Marie Mathews
7- Desafio De Uma Vida (Harden) - [Irmãos Tremayne 2] - Harden Tremayne e Miranda Warren
8- Caminhos da sedução (Evan) - [Irmãos Tremayne 3] - Evan Tremayne e Anna Cochran
9- Adorável Texano (Donavan) - J.D. "Donavan" Langley e Fay York
10- Acreditar Outra Vez (Emmet) - Emmett Deverell e Melody Cartman
11- Adeus ao Amor (Regan's Pride) - Ted Regan e Coreen Tarleton
12- Anjo do Oeste (That Burke Man) - Todd Burke e Jane Parker
13- Estação do Amor (Redbird) - Hank Shoeman e Poppy O'Brien
14- Primavera do Amor (Coltrain's Proposal) - Jebediah "Jeb Copper" Coltrain e Louise Blakely
15- Marido No Papel (Paper Husband) - Hayden "Hank" Grant e Dana Mobry
16- Longo Verão Texano, contendo 3 histórias:
--------------->16.1- Tom - Tom Walker e Elysia Craig
--------------->16.2- Drew - Drew Morris e Kitty Carson
--------------->16.3- Jobe - Jobe Dodd e Sandy Regan
17- Coração Desafiado (ou “O natal do Cawboy”) (Christmas Cowboy) - [Irmãos Hart 1] - Corrigan Hart e Dorie Wayne
18- A Mulher da Sua Vida (ou “Tudo Por Um Beijo”) (The Princess Bride) - King Marshall e Tiffany Blair
19- Sempre te amei (Beloved ) - [Irmãos Hart 2] - Simon Hart e Christina Beck
20- As estações do amor (Callaghan's Bride) - [Irmãos Hart 3] - Callaghan Hart e Tess Brady
21- Love with a Long, Tall Texan, contendo 3 histórias:
--------------->21.1- Luke - Luke Craig e Belinda Jessup
--------------->21.2- Christopher - Christopher Deverell e Delia Larson
--------------->21.3- Guy - Guy Fenton e Candace "Candy" Marshall
22- Entregando o Coração (Matt Caldwell: Texas Tycoon) - Matt Caldwell e Leslie Murry
23- Casamento de Branco (The Wedding in White) - Mack Killain e Natalie Brock
24- Feitiço do amor (A Man of Means) - [Irmãos Hart 4] - Reynard "Rey" Hart e Meredith Johns
25- Nas mãos do destino (Lionhearted) - [Irmãos Hart 5] - Leo Hart e Janie Brewster
26- O Senhor Da Paixão (ou “Sem Saída”) (Man in Control) - Alexander "Alex" Tyrell Cobb e Jodie Clayburn
27- The Founding Father - A Hero’s Kiss - John Jacobs e Camilla Ellen
28- Fora da Lei (ou "Terra de Paixões") (Lawless) - Judd Dunn e Christabel Gaines
29- Renegado (Renegade) - [Irmãos Grier 1] - Cash Grier e Tippy Moore
30- Doce Desejo (Carrera's Bride) - Marcus Carrera e Delia Mason
31- Feridas de amor (Cattleman's pride) - Jordan Powell e Libby Collins
32- A tentação do desejo (ou "O Chefe") (Boss Man) - Blake Kemp e Violet Hardy
33- Segredos (ou “Outsider–O Estranho”) (Outsider) - [Série Hutton 6] - Colby Lane e Sarina Carrington
34- Avassalador (ou “O Destruidor De Corações”) (Heartbreaker) - J.B. Hammock e Tellie Maddox
35- Homem da Lei (ou “Inesperada Atração”) (Lawman) [Irmãos Grier 2] - Garon Grier e Grace Carver
36- Rosas De Inverno (Winter Roses) - Stuart York e Ivy Conley
37- Coração de Aço (Iron Cowboy) - Jared Cameron e Sara Dobbs
38- Destemido (Fearless) - Rodrigo Ramirez e Gloryanne Barnes
39- Coração de Pedra (Heart Of Stone) - Boone Sinclair e Keely Welsh
40- Homem da Noite Silenciosa (The Silent Night Man) - Tony Danzetta e Millicent "Millie" Evans
41- Impiedoso (Heartless) - Jason Pendleton e Gracie Marsh
42- O Rebelde (The Maverick) - Harley Fowler e Alice Mayfield Jones
43- Tough To Tame (April 2010) - Bentley Rydel
44- Dangerous (Junho 2010) - Oficial Kilraven e Winnie Sinclair

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Resenha #111 - Christine Feehan - Fogo Selvagem

Oie Gente,

Apesar de ter me decepcionado com os dois primeiros livros dessa série eu resolvi continuar lendo-a. Peguei o terceiro para ler um pouco desanimada, com os dois pés atrás e pouquíssima boa vontade. E não é que a Christine me derrubou completamente com uma história maravilhosa?

Nesse livro tanto o romance dos personagens quanto os personagens em si são incríveis.
Emma e Jake são personagens complexos e incrivelmente encantadores.
Ele é rude, insensível e arrogante, daqueles que normalmente faria você o odiar do início ao fim do livro. Mas o cuidado dele com a Emma e com o filho, o sofrimento que ele passa no início do livro fazem com que você perceba desde o início que tudo é medo, muito medo de ser machucado outra vez.

A Emma é incrivelmente doce, meiga e temperamental como um gato molhado.
Eu ri, muito, com ela encarando o mal humor do Jake e se divertindo enquanto faz exatamente o contrário do que ele manda.
Os vilões desse livro também tem uma aura mais real, daquele tipo de maldade que você (infelizmente) poderia dizer que "é, isso realmente é crível".

Me emocionei, me empolguei, ri e me assustei em muitos momentos dessa história, o que tornou a leitura dela maravilhosa.
Esse sim tem jeito de Christine Feehan!
Recomendo!

Sinopse: Nascido em um mundo de monstros retorcidos, Jake Bannaconni se formou e se moldou na fria vingança. Afiado no fogo do inferno, ele controla seu mundo e as regras com uma mão de ferro. Tem tudo e qualquer coisa que o dinheiro pode comprar. Não tem piedade, nem compaixão e se considera um homem para que se deixe só. Seu legado oculto, é ser um troca-formas, o faz duas vezes mais perigoso no mundo corporativo. Emma Reynolds é uma mulher que sabe como amar e amar bastante. Quando seus mundos se chocam, os planos de Jake para uma completa absorção podem vir abaixo.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Resenha #110 - J.D Robb - Possession In Death

Oie Gente!!!!
Dia desses, arrumando meus arquivos, fui conferir a ordem da série e ver se eu tinha algum arquivo com numeração errada. E qual foi a minha surpresa quando eu me deparei com um livro da série que eu não tinha lido ainda???
Foi lançado no final de novembro e é um daqueles micro-livros,que ela lança sempre no final do ano em antologias, junto com várias outras autoras.
O e-book tem 60 páginas, então dá pra ler em um final de tarde.

Você acredita em fantasmas? Em possessão demoníaca? Não?
Bem, depois de ler essa história você, assim como a Eve, pode mudar de ideia.

Possession In Death é um livro bem diferente do que normalmente vemos na série. Começando pelo fator sobrenatual e terminando pela fragilidade da Eve nesse livro, J. D explora um lado da morte como nunca antes visto nas aventuras da nossa Tenente Docinho:  com a ajuda do Roarke ela tem que resolver não apenas um assassinato, mas um sequestro e se livrar de uma presença nada desejada dentro da própria mente...

Eu tenho que confessar que eu ri, e muito, com o sofrimento da pobre da Eve. Não me importei nadinha com todo o amor e carinho que tenho por ela e nem com toda a diversão que ela já me proporcionou. Eu ri, ri e ri de novo cada vez que ela falava algo em Russo, Húngaro ou dava uma receita de comida estranha e queria arrancar os próprios cabelos por isso. 
Garanto, você vai se divertir também!
O e-book está a venda na Amazon.com, junto com três outras histórias.
Recomendadíssimo!

 Sinopse: Lieutenant Eve Dallas has always sought justice for the dead, but now, a victim will seek her own vengeance-through Eve.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Resenha #109 - Beth Fantaskey - Jessica's Guide to Dating on the Dark Side

Oie Gente,

Semana passada eu pedi uma indicação de um livro bem engraçado, daqueles que levantasse o meu astral nem que fosse na marra.
Aí a Tonks me indicou esse livro e eu fui lá catar ele pra ler.

Adorei o início do livro. Era totalmente o oposto do que temos visto nos livros sobrenaturais ultimamente. Nesse, é o mocinho que quer a mocinha desesperadamente. 
O problema? As coisas podem não ser tão inocentes e românticas quando ele quer apresentar.

O meio do livro me deixou um pouco irritada. Ao que tudo indicava, tinha caído naquele blá blá blá de "agora que eu o quero ele não me quer mais".  Quando cheguei ao final e vi que nada era exatamente o que parecia, pra mim, foi maravilhoso!

Os personagens fogem aquele padrão que temos visto. O vampiro é irritantemente sedutor e também é dono de um humor negro maravilhoso. Nada de "Eu sou um Anjinho e Não Vou Morder Você" hehehe.
A mocinha quer tudo, menos conquistar o tão desejado vampiro! Se for pela vontade dela, quanto mais rápido ele desaparecer, melhor!

Em alguns momentos fiquei desejando que o livro "andasse" um pouquinho mais rápido, mas em outros aquelas cartas foram maravilhosas! eu só queria mais e mais!

Quem quiser uma versão alternativa do livro, também existe uma tradução não oficial.
É uma ótima pedida para quem quer uma leitura leve e divertida!
Recomendo!

Sinopse: Casar-se com um vampiro certamente não estava nos planos de Jessica Packwood para seu último ano escolar. Mas quando um novo aluno esquisitão (e muito gato) chamado Lucius Vladescu aparece do nada, dizendo que Jessica pertence à realeza vampírica e está prometida em casamento a ele, futuro líder do clã mais poderoso dos vampiros, ela é obrigada a rever seus conceitos. Se a garota ainda nem beijou na boca, como pode sequer pensar em um compromisso eterno? Armada com uma autoconfiança recém-adquirida, Jessica passa por uma transformação drástica de adolescente nerd americana para princesa vampira europeia nessa sátira cheia de reviravoltas e surpresas.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Resenha #108 - Félix J. Palma - O Mapa do Tempo

Oie Gente,

A resenha de hoje ficou enooorrrmeee!! Mas com tanta coisa que esse livro causou e com tanta coisa que ele tem, não dava pra deixar menor hehehehe

Quando eu recebi o release dele fiquei super empolgada com a ideia do livro.
Quando ele chegou estava super atribulada no trabalho e com vários livros para resenhar. Ainda assim, larguei tudo e comecei a ler. Porém, o estilo diferente de narrativa me desanimou bastante e acabei deixando o livro parado durante várias semanas.

O narrador, além de falar com você durante os relatos em terceira pessoa, faz incursões rápidas para a primeira, descrevendo situações novas, sentimentos de terceiros e passagens pelo passado, presente ou futuro dos personagens.

Não sei se foi meu momento pessoal que causou a dificuldade em manter a atenção no livro ou se foi o TDA, mas essas mudanças foram desanimadoras.
Como eu sou brasileira e não desisto nunca e a Carlinha disse que o livro ia melhorar e muito depois das primeiras páginas eu resolvi continuar a leitura.
As páginas foram passando e, a cada mudança, eu realmente me interessava mais pela história contada e pelos passeios na história do mundo, mas também continuava com a dificuldade de me concentrar no livro e conseguir entender quem estava fazendo o que, aonde e quando estavam fazendo...

Também me desanimei um pouco porque o Andrew, nas 105 páginas iniciais, não me ganhou. O "homem" me parece superficial e fútil e, apesar de dizer que amava e muito sua Mary Kelly, foi fraco e não teve coragem de enfrentar os outros em busca de sua própria felicidade. Talvez você diga que isso só o torna humano, já que poucos seriam capazes de largar tudo em prol de um amor que poderia ou não dar certo.

O autor também conta algumas aventuras de autores consagrados, dando um "Q" de realidade a ficção.
Apesar de todas as dificuldades, continuei lendo e me deparei com uma passagem no livro que lembrou de uma conversa que tive com uma amiga sobre resenhas de livros.
Wells estava farto de saber que as resenhas desfavoráveis causavam apenas danos morais, não passavam de ventos incômodos, mas fracos, que não perturbavam o percurso do livro. (...) No entanto, as feridas infligidas à auto-estima de um autor podiam ter consequências fatais a longo prazo, pois a arma mais poderosa de um escritor, aquilo que lhe dava forças, era sua intuição, e se a crítica se unia para desprestigiar seu faro, esse escritor, tivesse ou não talento, ficaria reduzido a uma criatura insegura desempenhando seu papel com uma cautela insensata, uma absurda prudência que terminaria reprimindo seu possível gênio. Os que labutam nos jornais e suplementos literários deveriam lembrar que toda obra é, em geral, uma união de esforço e esperança, a encarnação de um empenho solitário, de um sonho às vezes longamente incubado, quando não uma aposta desesperada destinada a dar sentido à existência, antes de nela cuspirem sem dó nem piedade, instalados em suas confortáveis atalaias.(...)

Isso me lembrou alguns resenhas onde autores são xingados desnecessariamente pelo blogueiro. O fato de eu não gostar de um livro ou ter tido dificuldade em me agradar pelo estilo de um autor não deve determinar a opinião de ninguém. Muito pelo contrário. Quando digo o que senti em uma resenha, espero apenas que meu leitor tenha uma ideia do que poderá encontrar no livro e que venha aqui dizer se concorda ou não com ela.
Mas não espere me ver dizendo que o livro é simplesmente ruim, porque mesmo em algo que não nos agrade todo o tempo, sempre encontramos um pequeno segundo de prazer.

O Mapa do Tempo é um livro enorme, que conta várias histórias interligadas a nossa história, mostrando um futuro fictício que, mesmo sabendo que não é verídico, vai aguçar sua curiosidade e testar sua concentração.
Quem for ler o livro, depois lembre de dar um pulinho aqui pra dizer o que achou!
Até a próxima!

Sinopse: O sonho das viagens ao futuro foi popularizado no final do século XIX com o progresso científico e a sociedade de massas. O autor de A máquina do tempo, H. G. Wells, é um dos protagonistas dessa obra do espanhol Félix J. Palma, que reuniu personagens como Jack, o Estripador; Júlio Verne; o Homem Elefante; o Homem Invisível; Bram Stoker, o criador de Drácula, e o romancista Henry James, em uma trama que, com maestria, mistura romance e aventura na Londres vitoriana. Diante dessa atmosfera de culto ao progresso, o público britianico, ávido pelas novidades resultantes da industrialização, ansiava por viajar até o futuro. Por isso, com o objetivo de levar os interessados ao ano 2000, foi inaugurada a empresa Viagens Temporais Murray. Claire Haggerty está entre aqueles que têm a oportunidade de viajar no tempo, e para ela o futuro trará uma história de amor. Entretanto, as viagens no tempo não se limitavam a experimentar o amanhã. Andrew Harrington pretendia viajar para o passado, de 1896 para 1888, a fim de salvar sua amada das garras de Jack, o Estripador. O próprio H. G. Wells enfrenta os perigos das viagens no tempo quando um misterioso viajante chega à sua época com a intenção de assassiná-lo e roubar-lhe a autoria de um romance, obrigando-o a uma desesperada fuga através dos séculos. Mas o que acontece quando alteramos o passado? Seria possível reescrever a História? Félix J. Palma tece uma fantasia histórica criativa e vibrante, que homenageia o nascimento da ficção científica e transporta o leitor à era vitoriana, oferecendo uma inesquecível viagem literária pelo tempo.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Resenha #107 - Carol Lynne - Cattle Valley

Oie Gente,

O último livro da Carol que eu li não gostei nenhum pouco.
Mas como todo bom viciado, não é um livro ruim de uma pilha de livros bons que vão me fazer desistir dela.
Por conta disso, essa semana eu peguei a série Cattle Valley para por em dia e apagar a má impressão causada por Taming Black Dog Four.

A série tem em sua maioria casais gays e relata o dia a dia da cidade de Cattle Valley, que é um refúgio criado para pessoas com vidas alternativas.
O primeiro livro "Muita Diversão e Pouco Trabalho" é que dá início ao spin off de Good Time Boys, contando a história do Nate, Rio e Ryan.

É uma daquelas séries absurdamente emocionantes. Você vai chorar, se apaixonar, sofrer e torcer junto com os personagens.
A Carol também explora (e muito) o preconceito sofrido por vários deles muito, muito triste essas partes e o que levou cada um deles pra lá.
Eu já li 12 livros, então não vou resenhar e falar sobre todos eles aqui ou essa resenha viraria um livro.

Que fique claro que, para ler esses livros você deve manter a mente aberta. É uma viagem por um mundo totalmente duro e preconceituoso, onde pessoas normais tentam, apenas, viver felizes para sempre.
Enfim, a cada novo livro você tem uma nova surpresa e uma incrível emoção!

Recomendo!!!

Sinopse: Quando a união de três homens resulta muito para uma pequena cidade texana, Ryan Blackfeather sabe que é hora de procurar novos horizontes. Com um novo trabalho aguardando-o em Cattle Valley, Wyoming, convence a seus homens, Nate e Rio, que devem mudar-se.
Cattle Valley, uma comunidade construída sobre a tolerância, é um dos poucos lugares no país, onde seus residentes não julgariam uma relação de três. Nate, Rio e Ryan encaixam perfeitamente ali. Entretanto, a ocupação do Ryan como novo delegado do povo, deixa a Rio e ao Nate na busca de uma forma para ganhá-la vida. Que utilidade teriam um altamente treinado mercenário e um detetive privado, em uma comunidade pacífica do tamanho de Cattle Valley?

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Resenha #106 - Rick Riordan - Os Arquivos do Semideus

Oie Gente,

Quem já conhece a série do Percy Jackson sabe que ele é totalmente sem sorte. Assim como eu, Murphy o adora e, por isso, vive se metendo onde não é chamado e estragando as missões dos semideuses.
Mas, dessa vez, parece que Murphy resolveu dar uma folga.
Em Os Arquivos do Semideus temos três pequenas estórias envolvendo Percy e seus amigos.
A primeira é a mais curtinha, contando uma ventura dele com a brigona-mor Clarissa. É bem ao estilo filha-do-deus-da-guerra, com muitas bombas, destruição e brigas. A cara de Ares. hehehe

A segunda, no acampamento, envolve muitas artimanhas, parcerias inimagináveis e resultará em muitas gargalhadas.
Annabeth deixa o Cabeça de Alga  de queixo caído e te fará se perguntar se ela foi quem deu uma de cebolinha dessa vez. É divertida e muito, muito fofa. hehehehe

A terceira estória, que é a maior, envolve filhos dos três grandes e será aventura mais difícil das relatadas no livro.
Percy, Thalia e Nico, juntos no missão. Se eles falharem, não sobrará pedra sobre pedra do mundo. De novooo!!!

O livro também tem entrevistas com os personagens, fotos deles e alguns joguinhos pra testar seu conhecimento sobre a série.
Apesar de ter gostado da ideia do jogo, eu nunca teria coragem de rabiscar meu livrinho, então todas as soluções foram feitas mentalmente. O que quer dizer que estão todas certas, já que tudo encaixou direitinho. Ou não. hehehe

Eu marquei o livro como sendo o 4.5 da série porque você precisa ter lido os quatro anteriores (para quem não leu é cheinho de spoiler) e deve ler antes do quinto. Assim você terá algumas explicações para coisas que já estão estabelecidas no quinto livro.
Muito bom como fonte de informações extras!
Recomendo!

Sinopse: Jovens Semideuses, preparem-se para ter acesso a arquivos altamente sigilosos. Compilado pelo escriba sênior do Acampamento Meio-Sangue, o sr. Rick Riordan, o conteúdp supersecreto aqui apresentado inclui os relatórios de três das mais perigosas aventuras de Percy Jackson, informações valiosas conseguidas em entrevistas com os mais importantes heróis da saga, um utilíssimo mapa do acampamento e muito, muito mais. Leiam e tornem-se especialistas no universo dos deuses e heróis do Olimpo.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Resenha #105 - Nora Roberts - Suzanna

Oie Gente,

Vocês devem lembrar que pouco tempo atrás eu fiz uma farra de compras do vício.
Entre os livros que eu comprei estavam os dois últimos da série das Irmãs Calhoun, Suzanna e Megan.

Já tinha lido os dois primeiros assim que foram lançados e, apesar de ter gostado dos dois, não entraram para a minha lista dos 10 mais.
O primeiro, contando a estória de CC, é o equivalente ao conto de fadas da Gata Borralheira escrito pela Nora.
É romântico, e apesar da CC não ser nada fácil de lidar, achei com cara de conto de fadas moderno.
Conta também a "história" da família e o mistério envolvendo uma antepassada delas, a Bianca.
Tem também o mistério de uma jóia maravilhosa que pertenceu a ela e que desapareceu após sua morte. Para fechar a cara de conto de fadas, começa uma busca pelo tesouro perdido. 

Ainda no primeiro livro, temos a estória da Amanda, já mais moderna, da para conhecermos um pouco mais a família e entender um pouco mais cada personagem.
Ele não tem tanta cara de conto de fadas e é bem mais divertido que o primeiro, já que os dois personagens centrais são turrões ao extremo.
Também continua a busca pelas esmeraldas, com mais algumas migalhas de informação sobre o mistério envolvendo a Bianca e o perigo que ronda a família fica mais intenso e emocionante.

Eu gostei dos dois primeiros livros, mas, apesar de serem encantadores, não consegui... me apaixonar por eles.

Quando cheguei no livro da Lilah já me empolguei bem mais. Ela é uma maluca adorável e ele é um professor tímido e totalmente atrapalhado!
As cenas dela defendendo todos, se arriscando daquela maneira são maravilhosas.
Achei o livro bem melhor que os dois anteriores, mais bem explorado, mais desenvolvido.
Mas, mesmo com tudo isso, ainda não senti aquele... frisson que tão costumeiramente marcam as séries da Nora.

Aí cheguei no quarto livro, o da Suzanna, e ah, esse sim me pegou de jeito!
O livro é encantador! A Suzanna e o Holt tem cara de personagem real, assim como o romance dos dois.
Ele é um ex-policial que ficou ferido, física e emocionalmente no trabalho e resolveu se aposentar.
Ela é uma mulher divorciada, terrivelmente machucada emocionalmente pelo ex. Agora, luta com todas as forças para manter a família unida e para dar conta de sustentar os filhos com o negócio que abriu após o divórcio.

Ela passa por situações complicadas, tem que lidar com o ex-marido que é o cão chupando manga!! e ainda aguentar os altos e baixos de uma família maluquinha da silva.
Os dois filhos dela são uma fofura e ver o ex-policial durão babando pelos dois pestinhas!!
A tia Coco e a Tia Vó são de matar qualquer um de rir. A segunda adora implicar com a primeira e fazer a pobre se descabelar de desespero!

Claro, tem aquele toque de conto de fadas que já percebi que é a marca dessa série, mas achei bem mais realístico que os anteriores.
E foi justamente esse toque de realidade que me cativou no livro. Deixou tudo com um... clima de normalidade e de "história real" que me agradou muito.

Acho que se todos os livros tivessem sido como esse, a série teria entrado para as minhas dez mais.

Se você for ler, não perca as esperanças nos primeiros livros. A série fica melhor com o evoluir das estórias.
Até mais!

Sinopse: Pairando sobre a costa rochosa do Maine, As Torres, a antiga mansão das Calhoun, se erguia majestosa. Lar de intrigas e amores perdidos, suspeitava-se que lá estivessem escondidas as famosas e inestimáveis esmeraldas de Bianca Calhoun, cuja morte prematura ainda exercia influência sobre suas descendentes. Suzanna e suas irmãs estavam determinadas a encontrar o colar e os brincos, as chaves para desvendar o perigoso mistério que as ameaçava havia tanto tempo. E, para Suzanna, as pedras significavam ainda mais: eram o elo com um homem cujo passado estava enredado ao seu de um modo que mal começara a compreender...

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Viagens da Ba: Era uma v... Parada! É a Polícia!

Oie Gente,

Se essa não é a primeira vez que você vem ao In Death, você sabe que eu viajo muito a serviço.
Você também sabe que existe um caso de perseguição por parte de Murphy comigo.

Até consegui uma ordem judicial que o manteve longos e maravilhosos dias longe de mim! Porém, essa semana, ele resolveu bater na minha porta outra vez. Me olhou, sorriu e se instalou na minha vida, tornando tudo um caos completo!
Eu sei que vocês todos vão rir! Tudo bem, eu não me importo!
Fazer o que! Murphy me ama e se recusa a dar o divórcio, então, dá nisso, ó!

Segunda-feira, meio dia... a suspeita se encontra com um dos indivíduos misteriosos que rondam o setor. Trocam documentos confidenciais e ela... 

Opa! Como assim? Volta a fita, roteirista, se não o povo não entende nada!

Seriado: Estadias...
Episódio de hoje: Escondam-se! Ela é p-o-l-i-ç-a!


Tudo começou com um almoço super inocente. Estava eu lá, comendo minha saladinha, contando pra uma amiga que estava o maior bafafá aqui no trabalho por conta de uma regra nova, dizendo que "nenhuma pessoa externa ao orgão pode adentrar a sala dos examinadores" Como diria Carol, coisa feia da bixiga essa frase! Aí, comentei com ela que "quando voltamos de viagem sempre trocamos informações sobre esse tipo de coisa". Em português claro: quando voltamos das viagens é uma fofocaiada só!

Aí, algum grande filho de uma égua entendeu o seguinte no que eu falei "Eu sou da corregedoria, estou trabalhando aqui disfarçada, anotando todas as falcatruas de vocês e vou abrir PAD contra todo mundo! Huaaaa (isso é uma risada maligna)".

Pelo amor do guarda, né??? Como é que pode um trem desses???
Não satisfeito com isso, ele resolveu CONTAR isso pra todo mundo!
Pronto, lascou-se! Todo mundo me olhando estranho e eu, besta, sem saber porque! Até achei que tivesse sido mal educada com alguém. TPM mode onzasso durante a semana
Até que alguém resolveu vir me contar. Eu juro, na hora não sabia se ria ou chorava.

Você deve se perguntar porque eu simplesmente não disse que não era?
Aí, eu digo, porque não ia adiantar de nada. Iam achar que eu estava tentando manter o meu disfarce e querendo continuar trabalhando encoberta. Há! Eve Dallas, cuidado! Seus dias estão contados! Agora eu sou p-o-l-i-ç-a!
Então, resolvi bancar o Artemis Fowl ou o Cebolinha, dependendo do ponto de vista e criei um plano mirabolante!

Deixei o dia passar, fingi que não sabia de nada e que nem era comigo. No dia seguinte, na hora do almoço, eu dei uma de lesa e fui lá almoçar outra vez. Sentei numa mesa bem pertinho do fofoqueiro mor e comecei a conversar com uma terceira pessoa.
Contei pra ela, como quem não quer nada, a história ridícula que estava rolando de que eu era da corregedoria.
Disse que essa ia entrar pro meu mural de "pior atribuições que já me deram"! Mas que bem que eu queria ter um salário de corregedora, oras! Já que tinham me arrumado a fama, podiam me pagar também, né?
O Fala-Fala-da-Estrela não esperou nem o dia acabar e já tinha contato pra todo mundo que eu não era da corregedoria coisa nenhuma, era só um mal entendido.
Agora os doidos voltaram ao normal. Quer dizer, quanto todos. Tem uns e outros que ainda acham que eu estou investigando...

Então tá, né... vou eu ficar cá no meu trabalho encoberto, fazendo meu serviço disfarçado e garantindo mais umas gargalhadas pra vocês!
Até a próxima!

Ah, e se estão se perguntando o porque do começo do texto, eu explico: segundo a pessoa que veio me contar da confusão, o que provou que eu realmente estava infiltrada aqui foram os envelopes que eu entreguei para uma pessoa misteriosa na segunda pela manhã.
Sabe o que tinha dentro do envelope?? NADA! O cara queria era um envelope vazio! Há!
É mole? Fui!

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Resenha #104 - Elizabeth Chandler - A Força do Amor

Oie Gente,

Semana passada falei sobre o primeiro livro da Trilogia Beijada por um Anjo.
Essa semana, vou falar sobre o segundo, A Força do Amor.

Fui resenhando o livro enquanto lia, tentando passar minhas impressões durante a leitura, sem sofrer o impacto causado pelo final.
Achei mais fácil assim, já que o terceiro livro, Alamas Gêmeas, só será publicado mês que vem e, se deixasse pra resenhar no final da leitura, estaria louca de curiosidade e ansiedade pela continuação.

A Ivy, dessa vez, me deu desejos de sacudir e sacudir e sacudir. Sabe, pra ver se ela se manca e abre os olhos?
Juro, toda vez que ela simplesmente negava o que estava bem ali, na cara dela, dava vontade de dar um cascudo na maluca!
Certo, ela sofre até dizer chega nesse livro, a dor dela é palpável e é entendível o motivo de ser mais fácil para ela negar a existência dos anjos do que aceitar que existem coisas ruins que acontecem sem explicação. Mas ela fecha os olhos, os ouvidos e, pior, o coração, pra tudo mais de bom e bonito que tem ao redor dela.

O Tristan é teimoso igual uma mula. Perdoem o comentário feminista, mas ele é o típico macho teimoso que simplesmente se recusa a aceitar conselhos e direções!
Anjinho mais mula empacada, senhor!!

A Lacey, tenho que dizer, voltou ainda mais atentada que antes. Se eu for resumir ela, diria: é o anjo mais endiabrado que eu já vi!
Gente, ela apronta, apronta e apronta ainda mais. Não tem como você não morrer de rir com as capetices e molecagens dela!

O Philip é incrível nesse livro. Apesar de toda a barreira que a Ivy cria e de toda a negatividade do Gregory, ele não perde a fé nos anjos e, mesmo não entendendo tudo, sabe que eles ainda protegem a irmã.

Gregory está muito, muito estranho nesse livro. Não sei, não me saia da cabeça que ele estava atuando. Por mais sincero e honesto que ele fosse, por mais apoio que desse a Ivy, eu simplesmente não conseguia apagar o sentimento de intranquilidade que as atitudes dele causavam.

O segundo livro da trilogia tem uma aura de prelúdio de tragédia, como se algo muito importante fosse acontecer na próxima linha, deixando você apreensivo e intranquilo durante toda a leitura.
Em alguns momentos isso deixa a leitura um pouco travada, já que tudo parece acontecer muito mais lento do que seria saudável.
Muitas e muitas informações sobre os mistérios do primeiro livro são reveladas mas, ao contrário do que se imagina, só causam mais dívidas e confusões.

O final é de deixar qualquer um de cabelo em pé, além de levar você ao extremo do desespero.
Sabe quando o autor te conta algo que deixa você enlouquecido? Pois é, é o que acontece no final de A Força do Amor.
Descobrimos coisas que quase ninguém mais sabe e, quem sabe, ninguém vai acreditar se contar.
E o que descobrimos é tão... doentio que deixará todo mundo de cabelos em pé.

Confesso que, apesar de ter ficado agoniadinha de curiosidade com aquele final, ele fechou o livro com perfeição. Foi o grito de susto ao final do filme de terror e o suspiro de prazer no final de um romance.
O livro só reforçou o gosto pela trilogia que, para minha surpresa, está sendo ótima.
Tem tragédia, amor, paixão e comédia na medida certa para uma boa tarde de divertimento.
O kit de "A Força do Amor" também está no Especial de Fim De Ano!
Participe e concorra!
Até mais!
OBS: Eu editei a sinopse, já que a oficial está lotada de spoilers!!!

Sinopse: Os dias têm sido difíceis e para superá-los Ivy busca forças na família e nos amigos. Sua grande motivação agora é ensaiar para a apresentação de piano no Festival de Artes de Stonehill, já que Suzanne, sua amiga de infância, pensando em animá-la, fez a inscrição, mesmo contra a sua vontade.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

In Death Convida #02 – André Resenha: Como Treinar Seu Dragão

Oie Gente,


Ganhei da Intrísica o livro "Como Ser Um Pirata", que é o segundo livro da série "Como Treinar Seu Dragão".
Já tinha o primeiro livro, mas estava com a vida muito corrida e acabei atrasando a leitura.

Como estou tentando criar mais um viciado no mundo, aproveitei que fiz semana passada o primeiro In Death Convida, com a Fe resenhando o livro da Bree, e usei a desculpa de precisar da ajuda dele pra resenhar o livro pra ver se ele caia no vício de vez.
Tenho que dizer que ele leu o livro num tapa! Menos de uma semana e ele já estava pedindo o segundo livro.

Dessa vez a vítima é o André, meu afilhado.
Leve em conta que o pequeno-futuro-viciado tem 12 anos, hein?
E que é a primeira resenha que ele faz hehehehe
Espero que vocês se divirtam!
Ah, como eu vou ler o livro também, nenhuma das perguntas tem spoiler, então podem ler tranquilinhos. hehehe

E aí, André, o que foi que você achou de "Como Treinar seu Dragão"?
André: É um bom livro, pois apresenta umas imagens ilustrativas, que te fazem a ter a mesma imagem que o autor do livro tem, das personagens. Tem aventura e momentos que te fazem rir (Bom, eu pelo menos hahaha) e momentos que te deixam vidrados.

Você ficou ligadão no livro?


André: Em certas partes sim. Mas tem certas partes que são um pouco chatinhas... mais no geral sim!

Te empolgou durante a leitura?

André: Olha... não... (Haha) mas é bem legal de se ler.

Resume um pouco o livro pra mim... é cheio de desgraça ou tem uma boa dose de aventura?

André: Tem partes que ele te faz pensar que houve desgraça, mas sempre acontece algum milagre (SEMPRE!) e sim, tem uma boa dose de aventura, uma boa aventura, eu diria.

Conta pra mim quem são os personagens do livro.


André: Bem, tem o ''Soluço'' que é o principal. Ele é filho do ''Chefe''. Tem o ''Perna-De-Peixe'' que é o melhor amigo de Soluço, tem o ''Melequento'' que é o primo másculo de Soluço, mais que não o respeita e nem dá valor. Tem o ''Bafoca de maluquício'' que é amigo de Melequento, e companheiro de briga, ''Stoico'' que é chefe da tribo. ( Tem mais, mas esses são os principais)

Eles são engraçados?

André: Alguns são burros, alguns fazem comentários engraçados... então eu acho que alguns são engraçados sim!

Qual deles você mais gostou?

André: Do Perna-De-Peixe.

Por que? O que é que ele tinha de diferente?
André: Ele era bem engraçado, e era bem esperto. E tinha alergia a dragões, o que chega a ser irônico.

No geral, você recomendaria o livro?
 
André: Sim.

Por que? 
André: Por que é um livro bom de se ler, é engraçado e curioso. Eu gostei ^.^

Bom, deu pra ter uma ideia do livro, né?
Eu peguei ele pra ler essa semana e vamos ver se vou me divertir com os livrinhos da série.
Até mais!

Sinopse: Conheça Soluço Spantosicus Strondus III: a Grande Esperança e o Herdeiro da Tribo dos Hooligans Cabeludos - mas um garoto sem qualquer talento para liderar. "Como Treinar o seu Dragão" conta a tumultuada jornada de Soluço em sua iniciação como um legítimo guerreiro viking: junto com os outros garotos da tribo, ele precisa domesticar e treinar o dragão mais feroz e assustador que for capaz de capturar. Em vez disso, Soluço acaba com o menor dragão que já se viu - e, para piorar, o animal é teimoso, impossível de ser adestrado e completamente banguela. Começa aí a aventura do mais encantador e improvável dos heróis e de seu dragão muito mal-educado.
Inteiramente ilustrado, com muita ação e o tipo de humor que arranca gargalhadas até dos mais carrancudos, "Como Treinar o seu Dragão" é o primeiro livro de uma série que é sucesso mundial, que inspirou o filme de animação cotado como uma das estreias mais importantes deste ano.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Resenha #103 - Elizabeth Chandler - Beijada por um Anjo

Oie Gente,

Recebi da Novo Conceito vários livros nos últimos meses. Um deles foi "Beijada por um Anjo". Como eu tinha vários livros que não eram de série e eu não gosto de sofrer esperando continuações, deixei o livro guardadinho até receber o segundo e chegar perto da data de lançamento do terceiro.
Ontem eu finalmente peguei Beijada por um Anjo para ler.
Sentei eu, meu marca páginas do Romances in Pink e uma montanha de passas. eu sei, eu sei... eu sou cheia de manias... fazer o que!
Li as 264 páginas do livro em menos de quatro horas e passei por inúmeras situações durante a leitura.

Os três primeiro capítulos me deixaram um pouco confusa, já que passado, presente e futuro estavam muito misturados.
Por conta disso, não digo que foi amor a primeira letra, mas uma conquista suave, lenta.
Fiquei imaginando se não foi proposital, já que o amor dos personagens foi crescendo de maneira tão natural e discreta quanto o meu encanto pelo livro.

Quando isso finalmente aconteceu, me vi tão ligada a estória que a leitura fluía naturalmente. As páginas passavam e eu nem sentia. A cada nova revelação você se vê envolto ainda mais, dividida entre a emoção de ver um primeiro amor florescer e a dor de ver a morte chegar.

A estória é linda, o romance entre os personagens é super fofo e a tragédia que abala todos te deixará com os olhos cheios d'água.
Uma coisa que eu percebi é que você tem que ficar atento aos detalhes. Dicas muito sutis são dadas ao longo do enredo que, se perdidas, deixarão você se perguntando o que foi mais que deixou escapar.

Logo após os acontecimentos, já estava desconfiada que alguém muito... ruim... estava por trás de tanta desgraça.
Não era possível tanta tragédia em tão pouco tempo ser somente obra do acaso.

As cenas da Ivy revoltada são... doloridas. É difícil lê-las e saber que ela esta sofrendo pelas duas coisas. Não bastasse a perda, também existe a perda da fé que tão feliz a manteve.
O Philip me surpreendeu, sabendo que o que a irmã iria fazer só a faria sofrer depois. Achei tão bonitinho o que ele fez.

O Tristan protagoniza cenas absurdamente cômicas. Os micos que ele paga para chamar a atenção da Ivy me fizeram quase morrer de rir.
A mesma coisa é ele brincando com o Philip. Não sabia qual dos dois era mais criança.

O Gregory, apesar de entender um pouco o quão difícil é a situação dele, foi um dos personagens que mais me deixou com o pé atrás.
Não sei, me parecia o tempo todo que ele fingia ser o que não é. É quase como se todos os atos dele fossem cuidadosamente ensaiados, para dar a atender que ele não era assim tão ruim. Também fiquei com a pulga atrás da orelha com os comentários do Philip no começo do livro.

Os outros personagens secundários deixam coisas no ar, fazendo você se perguntar o que ainda será revelado sobre cada um deles.
Alguns são bem irritantes Eric! Eric! e eu não gostei deles nenhum-cadinho-de-nada!

Adorei a estória toda e já estou lendo a continuação, "A Força do Amor". Vamos ver se meus palpites estão corretos!!

Até mais!

Se você gostou da resenha, participe do Sorteio Especial de Fim de Ano. Quem sabe não leva os dois kits para casa??

Sinopse: Beijada por um anjo é o primeiro volume da série, escrita por Elizabeth Chandler. Ivy sempre acreditou em anjos… Quando ela conhece Tristan, descobre que ele é o amor da sua vida. Quando ele morre, seu coração está quebrado e sua crença em anjos desaparece. E sem essa crença, ela é incapaz de sentir a presença de Tristan, quando ele retorna – como um anjo.Agora, Ivy está correndo um terrível perigo, e Tristan está lutando para salvá-la. Como ele conseguirá protegê-la se ela perdeu a fé em anjos?E se ele conseguir salvá-la, ele terá terminado sua missão aqui na terra e terá que partir para sempre deixando-a para trás. Afinal, Salvar Ivy seria o mesmo que perdê-la justamente quando consegue reencontrá-la?

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Resenha #102 - Laura Elias - Lua Negra

Oie Gente,

Vocês lembram que eu falei na resenha de Crepúsculo Vermelho que tinha ficado igual aquelas crianças chatas perguntando se já tava chegando?
Pois é, dessa vez eu fui uma criança muito, muito sem educação,.Porque eu queria esganar a Laura quando acabei de ler Lua Negra!
Com aquela cara de boazinha que ela tem, como ela termina o livro daquela maneira e me deixa aqui, morrendo de curiosidade????
E como é que ela me cria mais um personagem pra me deixar caidinha???

Além do Simon-super-envolvente, do Bill-rock-star-encantador, agora temos o Christian-lindo-de-morrer.
Christian é aquele vampiro que o Bill salva no primeiro livro e que, nesse, tem uma participação muito importante no futuro dos personagens.

A autora explicou uma boa parte da história deles, nos permitindo ver que os mocinhos não são tão bonzinhos e os vilões não são sem noção. Cada um teve um motivo e uma história que os tornou o que são agora.

Tem muito mais drama do que no primeiro, com cenas de ação, violência extrema e muito, muito sofrimento.
A Megan da um montão de "bolas fora" típicos de adolescentes, sendo impulsiva, sem juízo e se metendo em milhões de confusões por conta das escolhas que faz.
Quando ela resolve que é melhor mentir do que preocupar as pessoas que ela ama, nossa, aí mesmo é que ela se mete em uma encrenca das grandes!
Ô vontade de dar uns cascudos nessa menina!

O Bill também não fica atrás. Por medo, insegurança, trauma ou o que quer que seja o motivo que ele dê, resolve manter seus segredos e causa mais mal que bem.
A Laura finalmente nos revela boa parte da história envolvendo os personagens da banda, e, como eu disse, mesmo com todas as tragédias ela não pinta nenhum deles como coitadinhos ou 100% vítimas. Todos acertaram e erraram em alguns momentos.
Ela também deixa várias situações no ar, com visões e opiniões contrárias por parte dos personagens, fazendo com que duvidemos de tudo e de todos.

 A Alice cresceu muito nesse livro e é uma das maiores surpresas. Ela revela coisas que nenhum de nós imaginava no primeiro livro, fazendo tudo ficar ainda mais interessante. Assim como ela, muitos dos personagens secundários são explorados nesse livro, nos dando um entendimento maior da mitologia da série e nos permitindo entender coisas que no livro anterior ficaram incógnitas.

Vários novos personagens surgem, alguns com informações reveladoras e outras que farão você ficar de queixo caído.
É uma continuação maravilhosa e só o que me irrita é saber que ainda vou levar meses para ler o seguinte!!
Algumas das passagens do livro farão os manteiga derretida eu! eu! morrer de chorar ou suspirar até o esgotamento.
Temos cenas e situações típicas de adolescentes, que ajudam a manter o realismo da idade das personagens femininas.

As cenas entre o Bill e a Megan estão mais românticas, mais adultas e mais quentes. hehehehe
Os dois também protagonizam cenas absurdamente hilárias, mantendo o clima leve e divertido.
Se eu pudesse, ficaria aqui falando e falando, porque o livro foi muito bom de ler.
Mas isso estragaria a surpresa que vocês terão ao lê-lo e, isso, eu realmente não quero fazer.

Li ele numa tarde só e me diverti muito me fez cair na gargalhada mesmo morrendo de dor lendo.
Quem for ler, prepare o coração para um final de matar! e tapem as orelhinhas das crianças para não ouvirem você xingar a Laura por também te matar de curiosidade!!! XD
Recomendo!!

Sinopse: Após ter sido salva das garras da morte pelo sangue de seu amado Bill Stone, a jovem Megan Grey se vê às voltas com o misterioso avanço de criaturas monstruosas, que deixaram o gélido Ártico rumo à cidade de Red Leaves. Por alguma razão, a aproximação de tais criaturas está criando o pior inverno de todos os tempos no Hemisfério Norte. Como se isso não bastasse, Megan enfrenta transformações no próprio corpo, que ameaçam substituir sua natureza humana por outra, animalesca e totalmente selvagem. Gigantes ancestrais, vampiros, rovdyrs, ódios e segredos milenares, temperados por uma paixão que atravessou vários séculos unem-se no segundo volume da Saga Red Kings, lançando a jovem Megan em um abismo de sombras, onde somente morrendo ela poderá continuar viva.