quarta-feira, 5 de maio de 2010

Resenha #58 - J.D. Robb - Glória Mortal

É muito difícil falar sobre a série e tentar ser imparcial.
Metade do mundo sabe que sou viciada nela (vide o nome do blog!) e a outra metade tem quase certeza disso.
Mas como sou brasileira e não desisto nunca ui! vou continuar tentando.

Em Glória Mortal, Eve e Roarke se vêem, novamente, em lados opostos da busca pela verdade.
Mulheres estão aparecendo mortas e Roarke, outra vez, é um dos principais suspeitos.


E pra complicar ainda mais a vida da nossa querida Tenente, o Comandante era um grande amigo da vítima e a pressão para uma prisão é ainda maior.
Além de todos os desaforos e sapos que teve que engolir do chefe e dos parentes de uma das vítimas, um repórter pilantra resolve atormentar a vida da nossa Tenente, fazendo comentários maliciosos e se aproveitando de um assassinato sangrento para se promover.
Pra completar, Roarke resolve fazer pressão e quer que ela assuma o que sente por ele.

Uma das cenas mais clássicas da série acontece nesse livro: Roarke dando O Diamante de presente pra Eve, situação que é o divisor de águas no relacionamento dos dois.
Nesse livro também conhecemos o encantador Crack e a maravilhosa Peabody, que virá a ser a ajudante/amiga/parceira inseparável da Eve!
As cenas com a Mavis são, como sempre, mais que demais!
Então, se você está afim de um suspense inebriante, muito romance e muitas e muitas ânsias de xingar certos personagens, corra e pegue o seu "Glória Mortal" agora!

Sinopse: A primeira vítima foi encontrada caída na calçada, na chuva. A segunda foi morta no próprio prédio onde morava. A tenente Eve Dallas, da Polícia de Nova York, não teve dificuldades para encontrar uma ligação entre os dois crimes. As duas vítimas eram mulheres lindas e muito bem-sucedidas, mas que mantinham relações que poderiam provocar suas mortes. Suas vidas glamourosas e seus casos amorosos eram assunto na cidade, assim como suas relações íntimas com homens poderosos e riquíssimos. Livro escrito por J.D. Robb - pseudônimo da escritora norte-americana Nora Roberts.

Nenhum comentário:

Postar um comentário