segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Aventuras da Ba: A Saga de "O Último Mestre do Ar"

Olá Mortais!

No Aventuras da Ba de hoje, temos a saga que foi minha ida a sessão de "O Último Mestre do Ar".
Se você quer saber o que achei do filme, clique aqui.
Sou uma das milhões de fãs adultas de Avatar*.
Vi o desenho a primeira vez no meio de uma situação super difícil e virou minha dose diária de diversão.
Então, foi com muita alegria (e medo) que recebi o anúncio de que Avatar iria virar filme.
Meses depois de ver o primeiro trailer é chegada a hora de ver o filme.
Fui ao cinema mais distante da cidade (o único com sessão legendada da versão 3D), passei uma hora e meia no ônibus, em meio ao trânsito infernal, sentindo os níveis de ansiedade crescerem a cada instante.
Afinal, fã que é fã sempre tem pavor que estraguem a estória do seu personagem amado.
Então, lá estava eu, ingresso na mão (nem vou contar a batalha que foi consegui-lo, porque, me acreditem, não quero fazê-los chorar), prontinha pra assistir o filme.
Primeira sala de cinema 3D em Belém, a maioria das pessoas com mais de 30 anos não tinham ideia do que iriam assistir. Todos tentando adivinhar sobre o que era o filme, o que me divertiu incrivelmente. Teorias mais insanas que aquelas, impossível.
Ah, eu era feliz e não sabia, pra variar.
Eis que surge: O Otaku Infeliz.
Imaginem, Mortais:
Otaku com namorada nova (e neófita no "círculo"), querendo garantir que ela tenha certeza de que ele sabe tudo de todas as coisas.
E o peste resolve começar a contar pra ela todas as adaptações feitas no filme. Ao meu lado. Alto o suficiente para eu ouvir.
Eu, que odeio spoiler mais do que odeio orelha em livros...

Entra o tema de Psicose, o assassino se aproxima...


Essa foi exatamente a minha vontade.
Quando vi que ele ia começar a contar realmente o que aconteceria no filme não me aguentei. Tasquei os fones nos ouvidos, lancei olhares de matar pro Otaku infeliz e enfiei a cara no livro pra tentar ignorar os adiantamentos do filme.
Como se para evitar que eu fosse parar atrás das grades, eis que o lanterninha abre a corrente e todo mundo começa a entrar. Sentei exatamente onde queria (na cadeira do meio da fileira do meio), olhei pro relógio e quase morri quando vi que ainda faltavam longos vinte minutos.
Conversas, SMS, pipoca.
Apesar de todas as tentativas, o tempo se arrasta como se estivesse me provocando.
E aí, quando já estava quase na metade da pipoca (e prestes a ficar sem as unhas), eis que surgem os trailers!
Desejos todos em 3D, divertidos, fofos, mas eu queria que aquilo acabasse logo e começasse o meu filme.
Afinal de contas, depois de toda essa saga, merecia não ter que esperar coisa alguma!
E eis que surgem a logo da Nickelodeon e começa o filme.
Os "Ooohhhsss" e "Éeeggguaaa" foram imediatos.
Quando começou o filme, de fato, todo mundo se mancou e fez silêncio.
Mas, ao final, eu ainda tinha ânsias de matar o otaku spoilero que resolveu me azucrinar!
Tem coisas, Mortais, que só acontecem comigo!

*Nome original do filme. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário