quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Resenha #82 - Lora Leigh - Os August

Oie Gente!!

Não acho que exista coisa mais difícil do que resenhar um livro que te causa reações e sentimentos contraditórios, principalmente quando é de um autor que você adora.
E é exatamente o que acontece na resenha de hoje.

Adoro a Lora Leigh. Li a série Bound Hearts, em tradução não revisada do espanhol, e me apaixonei por ela.
Aí conheci vários outros livros dela. Uns bens diferentes (vocês precisam ver o que ela fez com os vampiros!!), outros extremamente eróticos e ainda uns tão absurdamente "além da imaginação" que vale a pena ler mesmo que seja para você enlouquecer durante a leitura.
Mas nada, nada mesmo, havia me preparado pra minha completa, total, absoluta e irrevogável indignação causada pela série August.

Eu gosto de romances eróticos com todas as combinações de casais possíveis. Sejam romances baunilha ou com BDSM. Hétero ou homo. Sobrenatural ou fantasia. A minha única e exclusiva regra é que todo e qualquer jogo erótico seja consensual.

Em A Escolha de Mary conhecemos os irmãos August, homens tão cheios de traumas que, se tirássemos todo o sexo da equação, teríamos moradores de Jacobsville.
Eles passaram por terríveis provações quando eram meninos e, pra superar os problemas, eles passaram a compartilhar tudo. Incluindo as mulheres.
Até aí, por mim, tudo bem. O problema é que, para eles, não existe outra opção.
Não sei se o objetivo da autora era relatar como algumas coisas podem marcar uma pessoa ao ponto de fazê-las tomar caminhos alternativos, mas, pra mim, o jeito com que os personagens querem um "ou tudo ou nada", sem importar o fato de que as mulheres não querem uma vida em conjunto, simplesmente não me agradou.

Pra completar o conjunto, um personagem ou outro diz, durante os quatro livros, que aquelas relações são anti-naturais, anormais ou coisas do gênero, me passando um preconceito frustrante. Em vários momentos fiquei me perguntando porque, diabos, o personagem estava lá se achava tudo tão anti-natural assim. Aff!

Temos momentos emocionantes em todos os livros, um drama tenso, intenso e doloroso. Ler Os August é uma experiência para quem tem o coração forte e nervos de aço.
Ora você se compadece dos personagens e com o sofrimento pelo que eles passaram, ora você deseja matá-los por serem tão burros, brutos e egoístas.
Ela explora um terror psicológico durante os livros que fará a leitura ser, em vários momentos, dolorosa.
Eles te encantam pelo profundo amor que sente por suas mulheres e te desesperam pelo que exigem delas no início.

O Cade, por exemplo, pede algo pra Marly que é muito difícil, diz que não poderia ficar sem isso, mas se recusa a explicar, de fato, porque precisa disso.Tem vergonha, medo e o que quer que seja que use como desculpa.
E isso me deixou tremendamente frustrada. Principalmente quando vi as mesmas coisas e as mesmas atitudes se repetindo nos outros livros.
Em A Sedução de Sarah temos um pouco mais de honestidade entre a Sarah e o Mark, mas, ainda assim, sinto que todo o quesito ménage da relação é obrigatório e forçado, ao menos em boa parte da estória.

Em O Presente de Heather, o terror psicológico dos livros vai ainda mais fundo.
Os personagens se vêem frente a frente com seu pior pesadelo e descobrimos que não existe limite para a traição.
Todos os livros são tão intensos que chegam ao ponto de serem emocionalmente exaustivos.
O quarto livro, A Paixão dos August, finaliza a série. Por mim, era altamente dispensável. Nesse livro eles simplesmente fazem tudo ao contrário do que fizeram nos outros três. Você pode dizer "ah, mas se você não gostou antes, devia gostar agora". E eu digo: eu prefiro personagens não tão volúveis, muito obrigada.
Oras, eles me passam três livros provando que é preciso fazer A + B. E aí, quando finalmente eles tem o maldito A + B, eles simplesmente resolvem que querem um C?? Arrgg! Juro, li esse livro desejando matar a Lora! Hunf!

Mas, então, enfim...
Se você estiver querendo emoções intensas e for lê-los, fique sabendo que nenhum dos livros foi publicado no Brasil, mas existe uma versão traduzida por um grupo de fãs.
Té a próxima! 


Sinopses
A Escolha de Mary 
Ela tinha ouvido os rumores durante anos, histórias sobre suas preferências sexuais. Tinha se preparado para aceitar seus desejos. Preparado o corpo para seu toque.
Mas não estava preparada para a escolha que se aproximava...
A Sedução de Sarah 
Uma cálida noite do verão seis anos atrás, Brock August mostrou a Sarah Tate uma paixão que quase a destruiria. Mas o temor e a inocência a empurraram de seus braços a um matrimônio que nunca desejou, sem encontrar a felicidade nele. Agora Sarah está livre e quer essa noite que perdeu. Uma noite, umas poucas horas roubadas para conhecer o calor e a paixão de um homem que nunca tinha esquecido. Mas Brock tem outros planos em mente. Um segredo, uma paixão, um desejo que compartilham seus irmãos. Um desejo que Sarah será incapaz de negar. Isso, se puder escapar dos escuros intuitos do perseguidor obcecado em destruir aos homens August. 
O Presente de Heather
Ela traria o presente da aceitação, ou quebraria os laços que foram forjados no fogo do inferno?

Um comentário:

  1. Eu amo a Lora, não me lembro de ter lido histórias dela sobre vampiros. :o
    Sobre os irmãos August: li até o terceiro por sentir curiosidade pra saber quem foi o fdp que fez isso com os irmãos e foi chocante pra mim. Odiei a obrigação "ou você aceita que em algum momento você vai ter que dar pros três ou vou ignorar o amor que sinto por você" é tão surreal. KD um psicólogo, psiquiatra? Eu achei que a Sarah ou a Heather ia mexer e fazer eles aceitarem e se tratarem com alguém especializado pra ver se eles iam voltar a se amar como irmãos sem esse compartilhamento.
    Essa trilogia foi insana.

    ResponderExcluir