quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Resenha #100 - Carol Lynne - Taming Black Dog Four

Oie!!


A resenha de hoje não foi fácil de fazer e já, já eu digo porque.
Pra mim é muito mais simples falar de um livro quando ele me agradou ou quando eu o odiei profundamente.
Agora, quando um livro me decepciona, nossa, aí é difícil!

Quando você ama um livro e vai resenhá-lo, você simplesmente senta e conta aos outros porque você amou. A mesma coisa vale para aquele que você odiou.
Mas a decepção é tão mais... emocional e particular que é difícil dizer exatamente os motivos ou achar palavras para transformar sentimentos em um texto compreensível.

Peguei esses dias Taming Black Dog Four para ler e, nossa, fiquei bestificada!
Por ser um livro da Carol Lynne eu já tinha altas expectativas para ele.
Imaginei que, assim como Cattle Valley, eu fosse adorar esse "spin-off" de Men in Love.
E, arf, quase caí da cadeira de tão decepcionada que fiquei com a estória.
Não gostei nem da quantidade de casais, nem dos personagens e nem da trama.
Tinha gente demais, ao meu ver, tentando resolver seus relacionamentos. Por conta disso,até agora estou meio perdida em quem era casal de quem.

Também por conta do excesso de personagens achei que ficou tudo muito superficial.
Nada foi profundamente explorado, nem mesmo os medos e os problemas de cada casal (marca registradíssima da Carol!!), o que deixou tudo com cara de... sei lá... romance de sessão da tarde.
Sem sal, sem pimenta e sem graça.

Temos o quarteto que dá nome ao livro, formado pelos guarda-costas Jack, Lobo, Renaldo e Carlo. Eles  se separaram depois que uma cliente deles morreu enquanto a protegiam e agora, obrigados a trabalhar juntos novamente, eles se veem tendo que lidar com medos, traumas e sentimentos descontrolados.

Temos um trio também, formado por Lon, Taggert e Alec. Aqui é onde acho que ficou faltando ainda mais exploração. Principalmente quando chega o final de descobrimos tantas coisas sobre um dos três. Eu fiquei me perguntando "por que, porque e por quê" aconteceu tudo aquilo??

E temos o casal hétero, formado pela Addy e Joe. Ela é a irmã de um dos personagens de Men in Love e achei, quando li a sinopse, que o livro seria sobre ela e os quatro guarda-costas.
O romance dos dois é bem clássico, ele inseguro do que fazer e ela com medo de mostrar os sentimentos depois do jeito que teve que viver durante a vida toda.
E aí teve outro problema. Eu fiquei me perguntando o livro todinho o que diabos tinha acontecido com ela. Porque não tem nenhuma explicação no livro. Neca, nadica de nada.
Continuei tão por fora quanto estava antes de ler...

Tantos sentimentos para serem aprofundados, tantos medos e emoções com os casais... e nada disso foi aproveitado!
Certo, certo... eu confesso... faltou drama no bendito do livro!
Poxa, não derramei uma lagrimazinha enquanto lia!
Como assim, ler Carol Lynne sem chorar? É contra as regras da literatura e da boa vontade entre as pessoas!
Hunf!

Por conta de tudo isso o livro não me agradou. Não odiei ele completamente o que teria sido muito mais fácil, mas ficou um sabor amargo na boca depois da leitura.
Quem quiser ler o e-book, aqui tem a versão traduzida por um grupo de fãs.
Acho que, dessa vez, eu não recomendo... u.u
Até a próxima!

Sinopse: A equipe de guarda-costas Black Dog Four da Agência de Proteção Three Partners Protection havia sido cuidadosamente escolhida pela aparência, temperamento, habilidades físicas e sexuais. Seguindo a tradição espartana, a idéia era ver se os quatro amantes trabalhavam melhor em equipe do que apenas como amigos. O experimento parecia ter sido um sucesso completo, até que tinham sido enviados para proteger Maria Valdez. Depois que Maria foi morta em uma explosão, todos os quatro homens se recusaram a trabalhar juntos. Addy Constentine necessitava de segurança 24 horas por dia e esperava poder legalizar o patrimônio de seu pai. Com seu meio-irmão agora na prisão, seu objetivo seria manter a família fora do submundo do crime que havia sido fortificada durante décadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário