domingo, 20 de junho de 2010

Resenha #67 - Christine Feehan - O Despertar

Oie Gente,
Duro de fazer essa resenha.
Gostei do começo e do meio do livro. Mas achei o final absurdamente sem graça e sem sentido.
Sério, quando percebi que a última palavra era, de fato, a última palavra, fiquei olhando pro livro com cara de paisagem.
Sabe o que é conseguir estragar um livro inteiro com um final... xoxo? Pois é, foi o que a Christine Feehan fez nesse livro.
Altas doses de tensão, perseguições animais, fugas desesperadas... e um final totalmente sem graça.

Terrivelmente indignante.
Mas, como tudo não tem só um lado ruim, vale a pena ler o livro pra entender melhor o segundo (que é ótimo!!!) e por conta da estória dos dois personagens centrais.

Algumas partes do livro são muito boas, como a passagem em que o Brandt descobre que foi traído pela própria espécie ou as cenas em que a Maggie descobre o que aconteceu com a família dela, mas o final do livro é... "desencantante".
Enfim, é um daqueles livros pra se ler quando não se tem mais nada pra fazer ou ler.


Sinopse: Maggie retorna ao lugar de seu nascimento e de repente seu mundo se converte em um deleite sensual, mas perigoso. A selva tropical guarda secredos de sua progenitora e um misterioso homem, tão predador quanto qualquer animal, e espera no mesmo coração da selva por sua chegada.
Sob o calor chamejante do sol de Borneo, o formoso sonho de uma naturalista se faz realidade. Para viver entre as selvagens criaturas da selva. Mas uma besta indomável e irresistível de outra espécie a obriga a explorar seu próprio lado selvagem.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Nora Roberts - Volta ao Lar

Volta ao Lar é o conjunto de três estórias independentes que tem uma coisa em comum: são lindas e sofridas!

Concerto Inacabado

Quando terminei de ler Concerto Inacabado coloquei o pai da Vanessa na lista dos "personagens que mais odeio no mundo!"
Que criatura mais... mais... revoltante!

As cenas da Vanessa com a mãe são de cortar o coração.
Ver as duas desejando falar o que sentem e cada uma presa a um medo e uma mágoa, nossa!

Agora, as cenas dela com o Brady... aiii... chegam a soltar faíscas!! Seja na hora que eles estão brigando ou na hora que o romance está no ar...
A cada nova "armação" do pai dela que era descoberta eu detestava mais ele e mais e mais torcia para os personagens.
As coisas que ele fez com ela, com a mãe dela e com o Brady são terríveis!
Esse é um daqueles livros super romanticos, fofos e que fazem você torcer pelo final feliz desde a primeira página.
Temos a participação super especial de Sua Alteza Real, Gabriella Bisset!
Os personagens secundários completam a trama, seja com a divertida irmã do Brady ou com o Dr. 
O final do livro é encantador, mas que ficou o desejo de *esganar* o pai dela, ah, isso ficou!

Ilha das Flores

Ilha das Flores é daquelas estórias que te cativam desde o início. 
Como todo bom romance da Nora, tem uma personagem revoltante. Se em Concerto Inacabado era o pai da Vanessa, em Ilha das Flores é a mãe da Laine.
Você descobre cada maldade no decorrer do livro que dá aquela vontade enlouquecedora de arrancar as páginas ou dar com o livro na parede.
Mesmo sentimento que você tem com o Dillon, quando ele simplesmente não consegue ver a verdade e acredita em todas as besteiras que aquela havaiana sem vergonha conta pra ele.
Revoltante!
O livro tem cenas lindas, com paisagens deslumbrantes, daquelas que deixam qualquer um louco de vontade de conhecer!

Sem Promessa, Sem Compromisso

Adoro livros com um "Q" de magia!
Só isso, normalmente, já basta pra me empolgar.
Mas abrir o livro e encontrar o David Brady... ai, ai, foi a cereja do meu bolo!
É um personagem forte, que não tem medo de dizer o que pensa e o que quer.
Ele bate de frente com a Aurora quando percebe que ela está escondendo algumas coisas, fazendo o livro ficar divertidíssimo!

É um livro romântico, mas bem dramático. Se você for ler, prepáre-se para as lágrimas!

Sinopse: Concerto Inacabado
Ao retornar à sua cidade natal após excursionar 16 anos pela Europa como concertista, Vanessa Sexton reencontra Brady Tucker, seu primeiro amor, e descobre que o adolescente rebelde se tornou um pilar para comunidade.

Ilha das Flores
Quando Laine Simmons vai para o Havaí visitar seu pai, que não via há 15 anos, ela conhece o novo sócio dele, o charmoso Dillon O’Brian. E ele está decidido a desmascarar Laine.

Sem Promessa, Sem Compromisso
A cliente mais especial de Aurora Fields é convidada para participar de um documentário sobre paranormalidade produzido por David Brady. David e Aurora logo sentem uma atração irresistível. Mas antes de se entregarem à fogueira da paixão, terão de enfrentar a revelação de muitos segredos que mudarão suas vidas para sempre.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Resenha #65 - Rick Riordan - O Ladrão de Raios

Existem alguns momentos na vida de um pobre (ênfase no pobre) leitor tem todo o direito de xingar editoras, escritores e o que for pelas maldades que eles fazem conosco.
Quando estava na terceira página do livro já sabia que seria mais um desses momentos.
Já tinha visto acontecer antes: "Artemis Fowl", Nora Roberts, Dan Brown...
E me vi, de novo, xingando todos eles enquanto lia "O Ladrão de Raios".
Não, não é porque o livro é ruim. Muito pelo contrário. O livro é tão bom, que a paixão foi imediata. Peguei uma senha e entrei na fila dos viciados em Percy Jackson e Os Olimpianos.
Quando você chegar na última página do livro estará doidinho para ler o próximo. E aí, como faz? Livro é caro e o orçamento é apertadinho, apertadinho...
Os escritores não tem pena de nós, pobres mortais? Ficam criando personagens maravilhosos, estórias divertidíssimas e nos viciando cada vez mais.

Percy Jackson é um personagem cativante. A estória é tão boa, tão cheia de fatos incríveis e situações divertidas, que já no final do primeiro capítulo você, que está aí me chamando de louca e dizendo que nunca faria isso, estará se juntando a mim nos resmungos, imaginando como fará para conseguir comprar os outros três livros já publicados da série.

O personagem que dá nome a série é um pré-adolescente "problemático", disléxico, com déficet de atenção, que já foi expulso de seis escolas por viver se metendo em confusões.
Mas, veja bem, não é qualquer confusão. Com Percy Jackson as coisas vão mais além:
cobras em berços, professores assassinos, gigantes estranhos e mais um amontoado de situações insólitas ...

A estória é cheia de fatos e personagens mitológicos, apinhada de lendas e mitos Gregos e faz você viajar num mundo imaginário que foi tão bem estruturado que parece absolutamente real.
Medusa, Fúrias, Minotauro... todos aqueles mitos gregos chatos das aulas ainda mais chatas de história antiga ganham vida de maneira absolutamente incrível e divertida em "O Ladrão de Raios".

A aventura dos personagens é super divertida, cheia daquelas cenas em que você tem desejos desesperados de entrar no livro e bater na cabeça dos personagens, porque eles simplesmente não conseguem ver que a desgraça está no próximo passo ou quem é, de fato, que está tramando tudo.
Adoro (e odeio) quando isso acontece nos livros. Fico louca pra saber quando a ficha do pobre coitado do herói vai cair e ele vai ver, finalmente, o que de fato está acontecendo.
Também fico alucinado pra fazer ele acordar, imaginando que se opor algum milagre ele aparecesse do meu lado, tomaria um peteleco daqueles por ser tão bobão.
Enfim, divertidíssimo.
Adorei as referências gregas, as piadinhas com os deuses e as "realidades alternativas" criadas pelos mortais para explicar os acontecimentos no decorrer da trama.

Se você tem uma quedinha por história e estórias fantásticas, vai amar esse livro.
Se você quer iniciar algum incauto no vício da leitura, dê esse livro pra ele. Não tem como ele dizer que o livro é chato e manjado.
Os personagens são divertidos, reais e a estória consegue prender sua atenção do início ao fim.

Sinopse: Primeiro volume da saga Percy Jackson e os olimpianos, O ladrão de raios esteve entre os primeiros lugares na lista das séries mais vendidas do The New York Times. O autor conjuga lendas da mitologia grega com aventuras no século XXI. Nelas, os deuses do Olimpo continuam vivos, ainda se apaixonam por mortais e geram filhos metade deuses, metade humanos, como os heróis da Grécia antiga. Marcados pelo destino, eles dificilmente passam da adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade.
O garoto-problema Percy Jackson é um deles. Tem experiências estranhas em que deuses e monstros mitológicos parecem saltar das páginas dos livros direto para a sua vida. Pior que isso: algumas dessas criaturas estão bastante irritadas. Um artefato precioso foi roubado do Monte Olimpo e Percy é o principal suspeito. Para restaurar a paz, ele e seus amigos - jovens heróis modernos - terão de fazer mais do que capturar o verdadeiro ladrão: precisam elucidar uma traição mais ameaçadora que a fúria dos deuses.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Resenha #64 - Maya Banks - Colter's Lady

Antes de começar a resenha, uma dica: pra você entender esse livro, precisa ler o primeiro, Colter's Woman. Na nova versão desse livro irá encontrar as três estórias iniciais: Colter's Woman, Colter's Wife e Callie's Meadow.

Agora, vamos falar sobre Colter's Lady.
A primeira providência a tomar antes de pegar esse livro pra ler é fazer um estoque de lencinhos. Umas... duzentas caixas devem dar...
Sério!
Se a Maya Banks normalmente põe drama nos livros, dessa vez ela estava realmente inspirada em dramatizar.

Se você gosta de romances, dramas e/ou eróticos, Colter's Lady é uma ótima pedida.
Acho que passei 50% do livro a beira das lágrimas ou derramando-as.
Os outros 50% passei dividida entre o absoluto encanto e a completa diversão. E como todo bom Maya Banks, o livro tem cenas eróticas quentíssimas!

Nunca imaginei que ela fosse conseguir fazer os filhos tão incríveis quanto os pais! Apesar da diferença entre os três Colters mais velhos e os mais novos, os filhotes da Holly não deixam nada a desejar.
São uma mistura perfeita dos originais, fazendo com que você fique absolutamente encantada por eles.
A única peninha é que o livro seja tão pequeno!
Dessa vez não temos um suspense de fundo, apesar do ar de mistério da Lily, personagem feminina central.

Em Colter's Lady, Maya Banks conseguiu reunir, em uma única personagem, várias características encantadoras.
Lily é uma moradora de rua com o passado envolto em mistério. 
É divertida, suave e, apesar de viver nas ruas e aparentar ter sofrido terrivelmente, tem um ar de inocência e pureza que são capazes de fazer um coração de pedra se apaixonar por ela.
Ela encontra o Seth numa distribuição de sopa para moradores de rua e ele fica absolutamente perturbado com a dor e sofrimento que ele vê nos olhos dela.
Ele e os irmãos, Michael e Dillon, ficam completamente encantados pela Lily quando a encontram e os três tem certeza que ela é a mulher feita pra eles.

Todos eles vão para Clyde, esperando que lá ela consiga se recuperar e eles consigam provar pra ela que irão conseguir construir um futuro juntos.
Nenhum dos três está completamente a vontade com a ideia de que estão todos apaixonados pela mesma mulher e que, se quiserem ficar com ela, terão que compartilhá-la.

Algum tempo depois, uma situação que nenhum deles esperava, obriga os quatro a enfrentar o passado dela.
E, nossa, que passado!
Páginas e páginas de dor, sofrimento e superação. E lágrimas. Muitas lágrimas.
Não, não é apenas drama. Uma das cenas mais lindas que eu já li, escritas pela Maya Banks, é a da conversa entre os quatro sobre o que levou Lily para as ruas.

Altas doses de humor, sofrimento e paixão deixam esse livro incomparável e imperdível.
Quem ainda não leu, largue já o que está fazendo e vá ler!
Esse eu realmente, realmente, r-e-a-l-m-e-n-t-e recomendo!

Sinopse: When police officer Seth Colter sees the delicate, shabbily dressed beauty in line at the soup kitchen where he's serving, he's gut shot over the idea of her being on the streets cold and alone. More baffling is the dark, possessive instinct that tells him she belongs to him.
For Lily Weston, home is a secluded nook in a back alley—until Seth offers her a place to stay. She's wary of his offer, but even one night out of the cold is too much temptation to resist.
Seth is convinced Lily is his. The problem is, when his brothers lay eyes on her, the same primitive instinct comes roaring to the surface. The Colters never imagined they'd follow the unconventional path of their fathers, but they can't ignore their mutual need to offer Lily their protection—and their love. But before Lily and the brothers can forge a future together, they must heal the deep wounds of her past.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Resenha #63 - Becca Fitzpatrick - Sussurro

A resenha de hoje fala sobre o mais novo lançamento da Editora Intrínseca, Sussurro, que faz parte da série Hush, Hush, da autora americana Becca Fitzpatrick.
Se você quiser ler um trecho do livro, visite o site da série. Mas prepare-se pra morrer de curiosidade, depois da migalha pequena dose que tem lá.
O livro já começou bom na capa. Além do anjo caído lindo de morrer, o material escolhido é bem diferente do que vemos normalmente.
Não me olhem com essa cara! Um bom guloso por livros sempre começa a devorá-lo pela capa.
E o cheirinho desse livro... nhumm... muito bom!
A estória já começa causando arrepios. Chuva + neblina + cemitério vazio = ?
É isso mesmo, algo de bom não sairá disso.

Nora Gray é uma personagem bem diferente Graças as céus! das mocinhas que andamos vendo por aí. Não é toda doce, não é perfeita e não se acha nem o último biscoito do pacote e nem o último saco de lixo.
Tem dramas, problemas e dúvidas que todo mundo já teve um dia.

Patch é o epítome da fantasia feminina pelo lado malvado e perigoso de um homem.
Ao mesmo tempo em que rodeia a Nora e a enche de atenções, deixando claro que quer algo além das aulas de biologia, o ar de mistério que o envolve e as coisas estranhas que acontecem com a Nora sempre que estão juntos fazem você ficar na dúvida o livro todo se ele a ama ou se a odeia.
Ele tem cara de anjo, sorriso de pecador e um humor de demônio.
Quem precisa de mais pra cair encantada?

As cenas da Nora e do Patch sozinhos são tão reais que você consegue se ver naquela fase. Ahh, o primeiro beijo de um primeiro amor. Lindo, arrebatador e inebriante.
O livro é super dinâmico, o que torna a leitura muito agradável e mantém o ritmo e a atenção.
As aventuras são bem divertidas, inquietantes e fazem você duvidar, assim como a Nora, do que acabou de acontecer.

A Vee, que é a melhor amiga da Nora, é uma das personagens que mais dúvidas vão te causar. Não por ela, mas pelas coisas que ela fala.
Tentar descobrir, de fato, quem é o vilão da estória não é nada fácil! E boa parte da culpa é da Vee! Tudo que ela fala tem absoluto sentido (tanto pra quem lê quanto pra Nora), fazendo a dúvida persistir até o final.
Quando você começa a achar que entendeu quem está causando todos os problemas a autora vem e te mostra mais uma hipótese!
Aí lá fica você outra vez cheia de dúvidas!
Dá aquela vontade de correr de volta pras páginas anteriores e testar sua nova teoria e ao mesmo tempo em que deseja que as páginas seguintes cheguem logo e desvendem o bendito mistério!

Esse eu realmente, recomendo!

Sinopse: 
Um juramento sagrado.
Um anjo caído.
Um amor que não deveria existir.

Se apaixonar nunca foi tão fácil… ou tão mortal. Para Nora Gray, romance não era parte do plano.  Ela nunca se sentiu particularmente atraída por nenhum garoto de sua escola, não importa o quanto sua melhor amiga Vee os empurre para ela. Não até a chegada de Patch.
Com seu sorriso tranquilo e olhos que parecem enxergar dentro dela, Nora é atraída por ele contra seu bom senso. Mas após uma série de acontecimentos aterrorizantes, Nora não sabe em quem confiar. Patch parece estar onde quer que ela esteja, e saber mais que ela do que seus amigos mais íntimos.
Ela não consegue decidir entre cair nos braços dele ou correr e se esconder. E quando tenta encontrar algumas respostas, ela se acha próxima de uma verdade que é bem mais perturbadora do que qualquer coisa que Patch a faça sentir. Pois Nora está bem no meio de uma antiga batalha entre os imortais e aqueles que caíram – e, quando se trata de escolher lados, a escolha errada poderá custar sua vida.