domingo, 22 de agosto de 2010

In Death Comenta - Lançamento de "O Último Olimpiano"

Hoje eu começo uma sessão nova no In Death.
Ela vai ser chamar "In Death Comenta" e vou falar sobre minha última aventura pelo mundo da literatura e do entretenimento!
Pra estrear com tudo, hoje teremos In Death Comenta o Evento de Lançamento de "O Último Olimpiano" e In Death na Saraiva Mega Store!
Vou começar pela Saraiva, que foi a responsável por ceder o espaço para o evento.
Tenho que começar dizendo que ela é realmente o sonho de todo viciado em livro.
É enorme, tem estantes e mais estantes de livros pra todos os lados.
Pra completar a minha felicidade, tem uma área enorme de CDs e DVDs, o que garante o abastecimento completo dos meus vícios.
Bati algumas fotos de cima, pra vocês poderem ter uma ideia rápida do que estou falando.

Essa é a área central, onde ficam boa parte dos livros técnicos.


Esse é o cantinho da Música. Muitos, muitos cds pra fazer um sonho da vida de qualquer fanático!

 Aqui é onde nosso bolso chorará, os caixas! rs

Na Saraiva tem um espaço chamado "Benedito Nunes", que foi o local do evento.
Não tinha como nenhum pobre mortal ficar perdido, porque fomos todos recebidos pela bandeira do acampamento!


 O pessoal foi de cosplay de todos os tipos (até Aphodite apareceu por lá!) e entrou tanto na alma do personagem que até plaquinha de piada teve!*
O pessoal fez sorteio de brindes (eu tentei descobrir quem cedeu, mas não consegui resposta!) que a Intrínseca mandou pra eles, de camisetas, livros, marca páginas, bloco de notas e botons!
Eu ganhei uns marca páginas shows pra coleção, que já foram cada um para dentro do respectivo livro!

Ganhei também uns cartões dos livros, que prontamente foram anexados aos títulos! hehehehe

E como todo bom viciado que vai pela primeira vez em uma livraria, eu não poderia sair de lá sem nada!
Comprei "A Batalha do Labirinto" e "Os Arquivos do Semideus".


Foi divertido ver a criançada empolgada com livros e saber que, pelo menos da parte delas, o futuro dos livros está garantido!
Estava lá também o pessoal do Skoob Pará e espero que logo, logo façamos um encontro!

Até o próximo In Death Comenta!!
Para mais fotos do evento, clique aqui.

* Existe uma cena no segundo livro com um cartaz exatamente igual a esse pregado nas costas da personagem representada no cosplay.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Resenha #74 - John Van de Ruit - Cotoco

Recebi "Cotoco" de presente da Editora Intrínseca sabendo que era um livro bem diferente do que normalmente leio.
O fato de ser um diário já é o primeiro impacto. O fato de ser o diário de um menino de 13 anos, causa todos os impactos seguintes.
O gurí (e toda a turma dele) é uma peste completa, a família dele só tem maluco e ele passa pelas situações mais ridículas que se pode imaginar.
Eu me diverti bastante lendo o livro e, na mesma medida, fiquei de cabelo em pé.
Imagina só ter uma pestinha dessas dentro de casa? Ou ser professor dele? Tremo só de imaginar! rs
Algumas das confusões que ele se mete com os amigos (cada um com o nome mais pirado que o outro) são de fazer você morrer de rir enquanto chora de pena de quem tem que arrumar a bagunça.
E como não só de arte vivem os pestinhas, as cenas dos "castigos" são de lascar!
Bem ao estilo "Garoto-Pestinha-Apronta-Novamente", o livro levará você para todas as aventuras que você viveu (ou desejou viver) na adolescência!
Ótima pedida!


Sinopse: África do Sul, 1990. Dois grandes eventos estão prestes a acontecer: a libertação de Nelson Mandela e, o que para o garoto John Milton é ainda mais importante, o início das aulas no internato. Cercado por pais no mínimo lunáticos, uma avó gagá e colegas de dormitório para lá de estranhos (com apelidos do tipo Lagartixa, Rambo, Rain Man e Cachorro Doido), John (que graças a suas partes íntimas pouco desenvolvidas é debochadamente apelidado de Cotoco) faz o que pode para se adaptar - e tudo indica que não será fácil. Munido apenas da própria perspicácia e de um diário, Cotoco vive uma série de situações bizarras e divertidas: de mergulhos proibidos no meio da madrugada a acirrados campeonatos de críquete, passando pela caça ao fantasma de um professor e por catastróficas férias em família. E é nas páginas de seu diário que acompanhamos o peculiar - e sobretudo engraçadíssimo - funcionamento da mente de um garoto de 13 anos ao descobrir a vida, a amizade... e a pluralidade da fauna humana.

Resenha #74 - John Van de Ruit - Cotoco

Recebi "Cotoco" de presente da Editora Intrínseca sabendo que era um livro bem diferente do que normalmente leio.
O fato de ser um diário já é o primeiro impacto. O fato de ser o diário de um menino de 13 anos, causa todos os impactos seguintes.
O gurí (e toda a turma dele) é uma peste completa, a família dele só tem maluco e ele passa pelas situações mais ridículas que se pode imaginar.
Eu me diverti bastante lendo o livro e, na mesma medida, fiquei de cabelo em pé.
Imagina só ter uma pestinha dessas dentro de casa? Ou ser professor dele? Tremo só de imaginar! rs
Algumas das confusões que ele se mete com os amigos (cada um com o nome mais pirado que o outro) são de fazer você morrer de rir enquanto chora de pena de quem tem que arrumar a bagunça.
E como não só de arte vivem os pestinhas, as cenas dos "castigos" são de lascar!
Bem ao estilo "Garoto-Pestinha-Apronta-Novamente", o livro levará você para todas as aventuras que você viveu (ou desejou viver) na adolescência!
Ótima pedida!


Sinopse: África do Sul, 1990. Dois grandes eventos estão prestes a acontecer: a libertação de Nelson Mandela e, o que para o garoto John Milton é ainda mais importante, o início das aulas no internato. Cercado por pais no mínimo lunáticos, uma avó gagá e colegas de dormitório para lá de estranhos (com apelidos do tipo Lagartixa, Rambo, Rain Man e Cachorro Doido), John (que graças a suas partes íntimas pouco desenvolvidas é debochadamente apelidado de Cotoco) faz o que pode para se adaptar - e tudo indica que não será fácil. Munido apenas da própria perspicácia e de um diário, Cotoco vive uma série de situações bizarras e divertidas: de mergulhos proibidos no meio da madrugada a acirrados campeonatos de críquete, passando pela caça ao fantasma de um professor e por catastróficas férias em família. E é nas páginas de seu diário que acompanhamos o peculiar - e sobretudo engraçadíssimo - funcionamento da mente de um garoto de 13 anos ao descobrir a vida, a amizade... e a pluralidade da fauna humana.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Resenha #73 - Eoin Colfer - Uma Aventura no Ártico

Divertidíssimo!
Se tem uma palavra que defina os livros do Artemis Fowl é essa.
As maluquices, traquinagens e panos desse menino são de deixar o Cebolinha de cabelo em pé!
Em Uma Aventura no Ártico as coisas não são diferentes! 

Artemis ainda está procurando o pai e precisará da inusitada ajuda da Holly para tentar encontrá-lo.
Mas, como nada em Artemis Fowl é fácil, a vida da Holly não está nada simples.
Além de ter sido rebaixada como castigo pelo sequestro do livro anterior, sabotagens, revoltas e misteriosos contrabandos estão sendo encontrados no mundo das Fadas. E o pior, Artemis é o principal suspeito de estar instigando os nada espertos goblins. Então, ajudar Artemis é a ultima atividade na lista de prioridades da Capitã.
Mas, o que nem ela, nem nenhum dos Elementos de Baixo, podem imaginar, é a que a traição que os aguarda só poderá ser superada com a ajuda do Menino da Lama mais odiado de todos os tempos!

Uma das coisas que eu mais gosto nas aventuras do Artemis é que, apesar dele aprontar todas, ele não perdeu a capacidade de acreditar em coisas mágicas.
Isso é uma coisa que falta, e muito, hoje em dia!
Sim, sim, eu sei que o Artemis é ficção, que não é de verdade... mas você vê as coisas que as crianças e os adolescentes tem como "modelo" e "ídolos" e só o que você é violência, abobrinhas e futilidades.
Aí você pega uma série de livros onde o objetivo do personagem central, por mais "Cebolinha" que ele seja, é encontrar o pai.
E aí você se pergunta (ao menos eu, toda vez que releio um Artemis, me pergunto) porque *isso* não vira filme?
Temos tanta magia, tanda doçura e pilhas e mais pilhas de aventuras em Artemis Fowl que seria um dos maiores acertos do cinema, transformá-lo em filme!

"Uma Aventura no Ártico", é um livro cheio de reviravoltas, cenários incríves, viagens pelo mundo a magia surpreendente, prendendo a atenção do leitor do início ao fim.
As cenas da Holly pilotando, do trem no Ártico e do resgate são absolutamente eletrizantes!
É uma ótima pedida pra quem gosta de fantasia, diversão e aventura!
Esse, Mortais, eu realmente recomendo!

Sinopse: O livro traz de volta o anti-herói mal-humorado e pessimista criado pelo irlandês Eoin Colfer. Mal saído da infância, Artemis Fowl é um gênio do crime e único herdeiro do clã Fowl, uma lendária família de personagens do submundo, célebres na arte da trapaça. Artemis se envolve com a perigosa máfia russa para libertar seu pai. Mas dessa vez um plano mirabolante não é suficiente. Ele vai precisar da ajuda de seus arquiinimigos, o povo das fadas.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Resenha #72 - Bianca D'Arc - One & Only

Em comemoração ao Dia do Vampiro, hoje a resenha vai sobre sobre um livro com eles!
Ao contrário da maioria, eu prefiro livros onde os vampiros não são 100% malvados, loucos, doentes e animais.
Mas, claro, meus vampiros d-e-f-i-n-i-t-i-v-a-m-e-n-t-e não brilham no escuro!
Bianca D'Arc é uma autora de romances eróticos e sobrenaturais, o que torna tudo bem divertido pra mim.

No primeiro livro, One & Only, conhecemos os personagens não tão politicamente corretos da Irmandade de Sangue.
As cenas inicias com o Atticus pensando na morte são de arrepiar. E quando ele encontra a Lissa fica tudo muito tenso e você quase consegue sentir a preensão dela ao entrar.
A estória dos dois é doce, explosiva e tem um toque arfante de Dominação.
Algumas das fantasias da Lissa são divertidíssimas, fazendo você ir da completa falta de ar ao riso absoluto.
Outras são daquelas que você não admitiria nem pro seu travesseiro que tem, mas que causa suspiros, tremores e altas de temperatura repentinas!

Como todo livro de vampiro, tem um grupo de malucos tentando matá-los. Nesse caso, são os Venifucus.
Como esse é pequeno, são só 79 páginas, só faz atiçar a curiosidade de todo mundo! O bom disso é que dá pra ler rapidinho!
Recomendo!

Sinopse: Um acidente mortal muda o destino de um vampiro solitário.
O Vampiro executor, Atticus Maxwell está na beira do seu próprio esquecimento... até o batimento cardíaco fraco de uma mulher que desesperadamente se feriu, quase mortalmente, chamá-lo de volta. O terrível acidente que quase tirou sua vida, tanto lhe trouxe uma mulher encantadora e intrigante que só poderia dar-lhe uma razão para viver novamente.
Lissa estava dirigido para uma conferência em um resort em uma última tentativa para encontrar um emprego. Em vez disso, em uma chuva de estrada da montanha Slick, quase a matou, e ela encontra o amor de sua vida. Um amor não dos mais aceitáveis, o recluso dono da vinha em Napa Valley, mas que não é muito humano.
Nenhuma barreira, nem mesmo dar a notícia aos amigos de Lissa, parece muito para segurar seu amor e deixá-lo florescer. Até que descubram que o acidente que os uniu não foi um acidente, e sim uma tentativa de assassinato por um inimigo desconhecido.
Atticus salvou Lissa uma vez. Ele pode mantê-la dessa forma em face de uma nova ameaça?