quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Resenha #86 - J.D. Robb - Eternidade Mortal

Olá Mortais!!

Se você ainda não leu os dois primeiros livros da série e não gosta de spoiler, pare aqui e volte pra página inicial.
Se já leu ou não se importa de uns spoilers sobre eles, divirta-se!

"Prepare o seu coraçãoooo... pras coisas que eu vou contarrrr" hehehe

Nesse livro, começamos a mais nova super aventura da Eve. Algo que a deixará com os nervos a flor da pele, de cabelo em pé e tremendo nas bases: o casamento!!!
As cenas dela antes, durante e pós compras são de matar! Você não sabe se ri ou se chora da total falta de preparo da Dallas nisso. (risos)
Ela escolhendo o vestido é de lascar! E a tentativa com as flores???
E, pra completar, a Mavis se diverte deixando ela apavorada!!!

Temos a entrada de alguns novos personagens que serão importantíssimos em toda a série. Também temos o retorno da policial Peabody, que dessa vez vem ajudar a tenente a desvendar os violentos assassinatos e o mistério do pozinho azul.

As investigações de homicídio, dessa vez, leva a nossa querida Eve a ficar dividida entre a amizade e o dever.
E isso é a parte mais difícil de ver no livro.
Você sofre com ela (alguns golpes vão te deixar com água nos olhos), enlouquece com ela e surta de raiva junto.

Uma das coisas que eu mais gosto em Eternidade é que, ao mesmo tempo que ele é um dos livros mais divertidos da série, com a preparação do casamento, as compras, as flores, ele também é um dos mais dramáticos, com as traições, as revelações e as reviravoltas.
Também mistura muito bem as doses de ação e romance, garantindo que tanto quem gosta mais do primeiro quanto quem gosta mais do segundo gênero se divirta e aprecie a leitura.

Para quem morre de curiosidade pelo passado do Roarke, a J.D. nos dá algumas migalhas sobre ele, nos deixando ainda mais famintas (os) por informação.

O final do livro é a coisa mais linda, fofa, romântica, cute cute... errr..já deu pra entender, né??? que existe. hauhauahua
Altas emoções, paixões avassaladoras e a dose certa de ação fazem de Eternidade Mortal uma incrível pedida!
Recomendo!!!

Sinopse:  Pandora é uma das top models mais importantes e desejadas do planeta: tem beleza, fama, dinheiro, poder, prestígio, amantes e contatos. Mas tudo isso deixou de fazer sentido, pois ela está morta. A modelo foi brutalmente assassinada com um bastão de prata, arma abandonada no local do crime. Seu rosto, de uma perfeição impressionante, desapareceu completamente ao ser esmagado e mutilado pela força de uma série de golpes ferozes e cruéis. Ninguém sabe quem foi o autor do crime, mas todas as suspeitas pairam sobre Mavis — a melhor amiga de Eve. A tenente não poupará esforços para inocentá-la e encontrar os verdadeiros culpados.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Resenha #85 - Mary Wine - Espectro do Sonho

Oie Gente,

Semana passada falei sobre o primeiro livro dessa série e, como a curiosidade não resiste, li o segundo também.

Dessa vez o livro é sobre um dos filhos do casal do primeiro, o Jared, e uma moradora de Benton que acaba de retornar ao lar.

Jared e Roshelle se conhecem em uma situação inesperada que, rapidamente, se torna um caso de vida ou morte.
Nenhum dos dois quer entrar em uma relação mas, inesperadamente, veem suas vidas entrelaçadas. E, pra protegê-la, Jared terá que fazer da vida de Roshele um inferno.

Existe bem mais ação que no primeiro livro, a relação entre os personagens principais é bem mais complexa e complicada, cheia de sombras e dúvidas.
A estória também é bem mais dramática que a anterior e existe muito mais terror psicológico.

Se tivesse que defini-lo em uma palavra, diria que é um livro tenso.
Você também acompanha o início da relação entre os personagens centrais do livro seguinte, deixando o leitor super curioso pra saber no que vai dar o trem.

É uma ótima pedida pra quem está querendo um romance dramático e cheio de tensão e ação.

O livro também não foi publicado no Brasil, mas existe uma tradução feita por fãs.
Recomendo!


Sinopse: Sonhos podem parecer frequentemente reais, mas quando se acorda normalmente percebe sua ilusão. 
    Imagens borradas assombram a mente de Roshelle, em seus sonhos existe um espectro do sonho. Mas Roshelle não é do tipo covarde e não se assusta com um simples sonho. Ela dá boas-vindas ao seu pesadelo e assim encarará seu monstro frente a frente. Mas em vez de achar uma besta, ela encontra sua cara metade. 
    A mente de Jared Campbell é treinada para a perfeição. Ele pode entrar nos sonhos de suas vítimas e com cuidado eliminar a lembrança de sua invasão, até que Roshelle entra em seu caminho. 
    A vida de Jared não permite qualquer envolvimento emocional, mas suas emoções o traem, e nada parece ter importância. Roshelle é um vicio e ele quer mais do que uma simples amostra. 
    O espectro do sonho e a sonhadora se encontram presos a situações perigosas que não afetarão apenas suas vidas, mas também a seus corações.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

In Death Comenta III: Drumbeat Amazônia

Oie Gente,

Como muita gente sabe eu tenho um outro projeto além do In Death, o PDL.
Sábado passado eu fui ao Drumbeat Amazônia, um evento da Monzila, apresentar o PDL.



O tema do evento era mídias sociais e internet livre, então foi super instrutivo e divertido.
Debatemos sobre os tão polêmicos direitos autorais, as novas mídias e as ferramentas novas da rede.

Foram apresentados três outros projetos além do PDL.
O Universal Subtitles, que tem como objetivo legendar todos os vídeos da Web. Pra isso, criaram uma super ferramenta de "legendagem" que torna tudo super fácil!
Eu já legendei um vídeo usando outros programas e, nossa, eu penei!! Com ele achei super simples! Além do que, o projeto usa html5, que torna todo o sistema livre de patentes de tecnologia.

Outro projeto foi o de treinamento em mídias sociais, mas eles ainda não tem um site próprio.
O pessoal do projeto, de Belém, se dispõe a ir nas empresas, escolas e associações de classes e/ou moradores, treinar as pessoas no uso das novas mídias e das ferramentas mais comuns da internet.
Se estiverem interessados em conhecer, entrem em contato comigo por e-mail que passo as informações deles.

O terceiro projeto foi o Rádio Web, um projeto de graduandos de jornalismo da UFPA.
O objetivo é a divulgação científica através do rádio, uma das principais fontes de informação do Pará.

O próximo lançamento do projeto é o Eureca, uma série de programas pra iniciação científica das crianças, abordando diversos assuntos e temas.
Deve ser lançado nas próximas semanas e estará aberto ao público e aos professores.

Também estava lá a galera do Blogueiros Paraneses, que foram os responsáveis por trazer o evento a Belém.

A qualidade do vídeo não está boa, mas, quem quiser ver um pouquinho do que aconteceu, vai ele aí.

Watch live streaming video from artemov at livestream.com

Pra quem quiser ver as apresentações dos outros projetos, é só entrar no Live Strem do Vivo Arte Mov
Quem quiser entrar em qualquer um dos projetos, é só entrar em contato comigo por e-mail.

Até a próxima!

domingo, 26 de setembro de 2010

Resenha #84 - Nora Roberts - Movido pela Maré

Oie Gente!

Uns dias atrás, falei do primeiro livro da Trilogia da Gratidão.

Hoje, falo sobre o segundo livro, Movido Pela Maré. 

A história dos irmãos continua a saga dos irmãos. Agora, já com o Seth definitivamente com eles, tentam construir sua empresa e se adaptar as mudanças que tiveram que fazer nas suas vidas.
Dessa vez, conta a estória conta sobre o lindo, fofo, doce romance entre Ethan e Grace.

Esse é um daqueles livros da Nora em que ela consegue criar personagens tão incríveis que, ao final da leitura, você está meio apaixonada(o) por eles.

A Grace é a criatura mais doce já criada pela Nora. Mesmo com todo o sofrimento pelo qual ela passou, com toda a timidez que tem, cada cena dela é de fazer você sorrir ou se condoer por ela.

E o Ethan? Deus meu, que criaturinha mais... mais... é, não existe um adjetivo que consiga definir o Ethan.
Ao mesmo tempo em que ele é doce, daquele tipo de homem que você deseja pegar e por no colo... e que você sabe que pode se apoiar e deixar que ele te ponha no colo.
É um desses personagens que nos fazem maldizer as autoras por criarem homens tão perfeitos que, na realidade, são um em um bilhão.(risos)

A cena da primeira vez dos dois é tãooo linda e tão engraçada.
Um homem daquele tamanho, tão nervoso, tão cheio de medo... ai, ai... fará os corações românticos suspirarem e tremelicarem no peito.

Também conhecemos um pouco mais sobre o passado de Ethan, as coisas pelo que passou. Uma das cenas mais emocionantes que já li é com Ethan, Seth, conversando sobre o passado e as coisas que aconteceram com eles. A cena é daquelas de fazer você se debulhar em lágrimas. Então, preparem os lencinhos, que duvido que alguém venha aqui dizer que leu e fiocou de olhos secos.

Dessa vez a participação do fantasminha resulta em cenas emocionantes. Claro que a Nora não entrega toda a história dos personagens de uma vez, mas algumas das dúvidas sobre o Seth são tiradas nessa estória.

É um romance maravilhoso, que fará você suspirar, rir e se emocionar de montão.
Recomendadíssimo!

Sinopse: Neste segundo volume da Trilogia da Gratidão, uma história dramática que fala de três homens que voltam para casa a fim de honrar o último desejo do pai... cuidar de Seth, um menino problemático que precisa de uma família. Esse retorno ao lar ensinará a eles mais do que algum dia poderiam sonhar a respeito do significado de uma família e suas responsabilidades. Agora é tempo de aprender também o significado da aceitação e do amor.
Dos três irmãos, Ethan sempre foi o que compartilhava a paixão do pai pelo litoral de Maryland. Agora que seu pai se foi, Ethan está determinado a transformar o negócio da família, a construção de barcos, num tremendo sucesso. Entre suas realizações, porém, surgem os maiores desafios de sua vida.Lá se encontra o jovem Seth, que necessita mais do que nunca do amor de Ethan. E há também uma mulher que ele sempre amou, mas jamais acreditou que pudesse conquistar. Por baixo das águas aparentemente calmas de Ethan, esconde-se, no entanto, um passado triste e doloroso. Ele terá que aprender a enxergar através das sombras para conseguir aceitar quem é. Porque em seu passado repousa também o seu futuro... e a sua única chance de alcançar a felicidade.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Resenha #83 - Rick Riordan - A Maldição do Titã

Olá Mortais!


Aviso: Se você não leu os livros anteriores, por favor, volte a página inicial e leia outra coisa... Se já leu, divirta-se!

Já falei aqui no blog sobre os dois primeiros livros da série do Percy. Para ler qualquer uma delas, clica aqui.

Quando peguei "A Maldição do Titã" pra ler, a primeira coisa que me chamou a atenção foram os títulos dos capítulos. Juro, é um mais intrigante que o outro!!! Que tal "Eu aprendo como cultivar zumbis"?? Ou "Thalia Incendeia a Nova Inglaterra"???
Com nomes assim, já temos a absoluta certeza de que a sorte do Percy não melhorou nadica-de-nada.
Eu acho que já disse isso antes, mas tem criaturinha mais sem sorte do que esse Percy Jackson?? Jesus-Maria-José, tuuuuuudo da errado com o garoto!!!!

Em O Mar de Monstros vimos que a Thalia voltava a vida, pegando todo mundo de surpresa. Aí, imaginem só o tanto de confusão que dá juntar: a filha de Zeus, o filho de Poseidon e a filha de Atena e mais uma cambada de adolescentes-eternos??

Como não só de mortais e meio-sangues vive a série, dessa vez temos altas participações de deuses, cenas de ação que você não consegue resolver se ri ou se chora, perdas irreparáveis e monstros marinhos tão fofinhos que da vontade de levar todos pra casa!

Ah, não posso deixar de fora o aviso de sempre: não leiam isso em público!!!
E não teimem comigo!
Uma das cenas de maior apreensão do livro, daquelas de fazer você ficar tensa (o) do fio de cabelo arrepiado ao dedão do pé termina de maneira tão, tão tão engraçada que a risada é impossível de segurar.
Não vou por aqui pra não estragar a graça, mas quem souber de qual cena eu estou falando vai me entender.
Eu resolvi ignorar meu próprio aviso e fui ler o bendito livro no ônibus.
Resultado: quase chorei de tanto rir e o ônibus inteirinho ficou me olhando!

A Maldição do Titã tem bem mais ação que os livros anteriores, mostrando que a estória está acompanhando a idade do personagem. As relações "mocinhos"/"bandidos" também ficam bem mais complexas e confusas, fazendo você, diversas vezes, duvidar do que viu até agora.

O final do livro é absurdamente eletrizante! Faz você prender o fôlego, se contorcer toda (o) na cadeira e quase gritar de desespero quando acha que a coisa toda vai cair e... err... xá pra lá =D
E, como sempre, a aula de mitologia grega é maravilhosa!

R-e-c-o-m-e-n-d-o!

Sinopse:  Um chamado do amigo Grover deixa Percy a postos para mais uma missão: dois novos meios-sangues foram encontrados, cuja ascendência ainda é desconhecida. Como sempre, Percy sabe que precisará contar com o poder de seus aliados heróis, com sua leal espada Contracorrente... e com uma caroninha da mãe.
O que eles ainda não sabem é que os jovens descobertos não são os únicos em perigo: Cronos, o Senhor dos Titãs, arquitetou um de seus planos mais traiçoeiros, e nossos heróis serão presas fáceis. Um monstro ancestral foi despertado - um ser com poder suficiente para destruir o Olimpo - e Ártemis, a única deusa capaz de encontrá-lo, desapareceu. Percy e seus amigos têm apenas uma semana para resgatar a deusa sequestrada e solucionar o mistério que ronda o monstro que ela caçava. Ao longo dessa jornada, enfrentarão o maior desafio de suas vidas: a terrível profecia da maldição do titã.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Resenha #82 - Lora Leigh - Os August

Oie Gente!!

Não acho que exista coisa mais difícil do que resenhar um livro que te causa reações e sentimentos contraditórios, principalmente quando é de um autor que você adora.
E é exatamente o que acontece na resenha de hoje.

Adoro a Lora Leigh. Li a série Bound Hearts, em tradução não revisada do espanhol, e me apaixonei por ela.
Aí conheci vários outros livros dela. Uns bens diferentes (vocês precisam ver o que ela fez com os vampiros!!), outros extremamente eróticos e ainda uns tão absurdamente "além da imaginação" que vale a pena ler mesmo que seja para você enlouquecer durante a leitura.
Mas nada, nada mesmo, havia me preparado pra minha completa, total, absoluta e irrevogável indignação causada pela série August.

Eu gosto de romances eróticos com todas as combinações de casais possíveis. Sejam romances baunilha ou com BDSM. Hétero ou homo. Sobrenatural ou fantasia. A minha única e exclusiva regra é que todo e qualquer jogo erótico seja consensual.

Em A Escolha de Mary conhecemos os irmãos August, homens tão cheios de traumas que, se tirássemos todo o sexo da equação, teríamos moradores de Jacobsville.
Eles passaram por terríveis provações quando eram meninos e, pra superar os problemas, eles passaram a compartilhar tudo. Incluindo as mulheres.
Até aí, por mim, tudo bem. O problema é que, para eles, não existe outra opção.
Não sei se o objetivo da autora era relatar como algumas coisas podem marcar uma pessoa ao ponto de fazê-las tomar caminhos alternativos, mas, pra mim, o jeito com que os personagens querem um "ou tudo ou nada", sem importar o fato de que as mulheres não querem uma vida em conjunto, simplesmente não me agradou.

Pra completar o conjunto, um personagem ou outro diz, durante os quatro livros, que aquelas relações são anti-naturais, anormais ou coisas do gênero, me passando um preconceito frustrante. Em vários momentos fiquei me perguntando porque, diabos, o personagem estava lá se achava tudo tão anti-natural assim. Aff!

Temos momentos emocionantes em todos os livros, um drama tenso, intenso e doloroso. Ler Os August é uma experiência para quem tem o coração forte e nervos de aço.
Ora você se compadece dos personagens e com o sofrimento pelo que eles passaram, ora você deseja matá-los por serem tão burros, brutos e egoístas.
Ela explora um terror psicológico durante os livros que fará a leitura ser, em vários momentos, dolorosa.
Eles te encantam pelo profundo amor que sente por suas mulheres e te desesperam pelo que exigem delas no início.

O Cade, por exemplo, pede algo pra Marly que é muito difícil, diz que não poderia ficar sem isso, mas se recusa a explicar, de fato, porque precisa disso.Tem vergonha, medo e o que quer que seja que use como desculpa.
E isso me deixou tremendamente frustrada. Principalmente quando vi as mesmas coisas e as mesmas atitudes se repetindo nos outros livros.
Em A Sedução de Sarah temos um pouco mais de honestidade entre a Sarah e o Mark, mas, ainda assim, sinto que todo o quesito ménage da relação é obrigatório e forçado, ao menos em boa parte da estória.

Em O Presente de Heather, o terror psicológico dos livros vai ainda mais fundo.
Os personagens se vêem frente a frente com seu pior pesadelo e descobrimos que não existe limite para a traição.
Todos os livros são tão intensos que chegam ao ponto de serem emocionalmente exaustivos.
O quarto livro, A Paixão dos August, finaliza a série. Por mim, era altamente dispensável. Nesse livro eles simplesmente fazem tudo ao contrário do que fizeram nos outros três. Você pode dizer "ah, mas se você não gostou antes, devia gostar agora". E eu digo: eu prefiro personagens não tão volúveis, muito obrigada.
Oras, eles me passam três livros provando que é preciso fazer A + B. E aí, quando finalmente eles tem o maldito A + B, eles simplesmente resolvem que querem um C?? Arrgg! Juro, li esse livro desejando matar a Lora! Hunf!

Mas, então, enfim...
Se você estiver querendo emoções intensas e for lê-los, fique sabendo que nenhum dos livros foi publicado no Brasil, mas existe uma versão traduzida por um grupo de fãs.
Té a próxima! 


Sinopses
A Escolha de Mary 
Ela tinha ouvido os rumores durante anos, histórias sobre suas preferências sexuais. Tinha se preparado para aceitar seus desejos. Preparado o corpo para seu toque.
Mas não estava preparada para a escolha que se aproximava...
A Sedução de Sarah 
Uma cálida noite do verão seis anos atrás, Brock August mostrou a Sarah Tate uma paixão que quase a destruiria. Mas o temor e a inocência a empurraram de seus braços a um matrimônio que nunca desejou, sem encontrar a felicidade nele. Agora Sarah está livre e quer essa noite que perdeu. Uma noite, umas poucas horas roubadas para conhecer o calor e a paixão de um homem que nunca tinha esquecido. Mas Brock tem outros planos em mente. Um segredo, uma paixão, um desejo que compartilham seus irmãos. Um desejo que Sarah será incapaz de negar. Isso, se puder escapar dos escuros intuitos do perseguidor obcecado em destruir aos homens August. 
O Presente de Heather
Ela traria o presente da aceitação, ou quebraria os laços que foram forjados no fogo do inferno?

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Resenha #81 - Eoin Colfer - O Código Eterno

Oie Gente!

Tão afim de uma super aventura hoje?
De altas doses de diversão?
Então senta aí que vou contar porque ler Artemis Fowl O Código Eterno é exatamente o que você deve fazer.


Que o Artemis é inteligente, todo mundo sabe (principalmente ele mesmo). Que ele é um pestinha, também sabemos. Mas o que ninguém poderia imaginar é que, dessa vez, ele colocou o mundo inteirinho em risco!


O pequeno-pestinha resolveu surrupiar tecnologia do Povo, desmontar tudo, estudar, remontar outra vez e criar um super-hiper-mega computador (algo assim como o sonho molhado de todo nerd).
Aí, teve a ideia de gênio de chantagear um mafioso. Há! Nosso menino prodígio do crime, dessa vez, se meteu numa senhooora encrenca.
E adivinha quem vai precisar socorrê-lo?

Mas a Holly também não está numa boa.
O Povo das Fadas se viu numa situação de extremo risco. Alguém conseguiu detectá-los, mesmo com toda a proteção do Potrus, levando todos em uma corrida contra o tempo para proteger sua existência.
Chuta só de quem é a culpa? hé-hé!


No meio de toda essa confusão temos o anão mais safado de todos os tempos, Palha Escavador, bancando o bom-moço.
Pra isso, ele resolve tirar o capanga-tampinha da jogada deixando ele louco de tanta irritação.
Você morrerá de rir com as gracinhas do Palha.
Pra completar, dessa vez conseguiram juntar os capangas mais burros de todos os tempos. Pela madrugada, é cada absurdo!!O.o

O livro é dividido em duas partes e achei a segunda bem mais divertida do que a primeira, principalmente por toda a ação acontecer nela. hehe
O Código Eterno é uma ótima pedida pra quem gosta de aventura infanto-juvenil, misturando aventura, fantasia e cenas de ação de arrasar!
Recomendo, recomendo, recomendo!!


Sinopse: Artemis Fowl construiu um supercomputador — o Cubo V — a partir de tecnologia roubada do povo das fadas. Em mãos erradas, ele poderia destruir tanto os homens quanto os seres encantados. Mas não há por que se preocupar, pois Artemis, como sempre, tem um plano brilhante. Ele não quer usar sua invenção, quer apenas chantagear um inescrupuloso empresário americano que tem ligações com a Máfia. O encontro é em um restaurante no centro de Londres, apinhado de turistas. Artemis será escoltado por Butler, seu invencível guarda-costas. O que poderia dar errado...?

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Resenha #80 - Jory Strong - Trace's Psychic

Oie Pessoas!

A resenha de hoje é sobre outro romance sobrenatural. Dessa vez, da autora Jory Strong.
Apesar de já ter lido quase todos os livros dela, acho que é o primeiro livro que resenho.
Nessa série, Jory Strong mistura sobrenatural com suspense, acrescenta uma dose absurda de humor e uma super pitada de erotismo.

Cada livro da série enfoca em alguns dos personagens apresentados no primeiro livro, Trace's Psychic.
Neste, o romance central é entre Trace e Aislinn. Ele, um policial durão, que não acredita em magia, médiuns ou qualquer coisa do gênero. Ela, uma meio-elfo que voltou para o mundo mortal depois de ser rechaçada pela família da mãe, uma elfo de sangue puro.
Sua descendência élfica garante que só se apaixonará pelo homem que for sua alma gêmea e ela sente que esse homem é Trace. Mas o ceticismo de Trace pode impedir que isso aconteça.

Aislinn é romântica, doce e toda suave, um contraste perfeito para a dureza, força e dominação do Trace.

Alguma das cenas entre os dois são tão... tensas e densas que são de deixar você sem fôlego. As cenas de amor entre eles são fortes, intensas e incrivelmente quentes.
O livro tem uma pincelada de DS, restrito as brincadeiras do casal no quarto.

Pra balancear todo o romance, temos um assassino cruel que tem toda intenção de fazer da Aislinn a próxima vítima. A autora não da muitas pistas sobre ele durante o livro e, as poucas que da, deixarão você em dúvida e confuso até quase o final, criando um grande impacto no final.
Ela sabe balancear as cenas, não deixando que ele fique monótono, misturando erotismo com magia, romance com terror.
E é essa mistura uma das coisas que mais me agrada nos livros da Jory Strong!

O livro não foi oficialmente lançado no Brasil, mas foi traduzido por um grupo de fãs.

Recomendo!


Sinopse: O detetive de homicídios Trace Dilessio sempre considerou a si mesmo como o típico homem de carne e purê de batatas,
um homem enérgico que gosta das mulheres de seios grandes, bom traseiro e pernas intermináveis.
Aislinn Windbourne não tem nada a ver com o tipo de mulheres às que normalmente persegue. E, apesar de odiar as médiuns,
e em especial às que se veem envolvidas em assuntos policiais, Trace parece incapaz de lutar contra sua obsessão pela delicada beleza que o faz sentir-se primitivo e protetor ao mesmo tempo.
Os anos de rechaço no espaço élfico, porque é meio elfa, meio humana, fizeram que Aislinn fosse muito precavida na hora de abrir as portas de seu coração... até conhecer Trace.
A cativa desde o começo e, entre elfos, essa reação normalmente significa que um casal está destinado a formar um vínculo de amor.
Mas, embora o amor afugente sua solidão, cada vez que Trace rechaça a magia que forma parte do que Aislinn é ela teme que o mundo dos humanos seja igualmente doloroso que o mundo no qual se criou.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Resenha #79 - Kansey Michaels - Inocente Tentadora

Oie Gente!!

 Esse foi um dos primeiros e-books que eu li e, até hoje, não consegui comprar os livros.

Mas, assim como na primeira vez, sempre me encanto com ele.
Inocente Tentadora abre a série de livros sobre a família Coleman, contando sobre o golpe que levou a morte do patriarca da família, a mudança para os Estados Unidos, a tragédia que se abateu sobre eles quando Rose volta para Sorajhee em busca de respostas e até onde a maldade e a ânsia pelo poder podem levar uma pessoa.

Só o prólogo do livro já valeria a leitura, de tão intenso que ele é.
Você poderia dizer que os personagens são típicos, mas a estória é tão encantadora, tão... romântica, que qualquer pessoa que goste de um romance com um toque de suspense, irá adorar lê-la.
Pra completar todo o quadro, temos uma das personagens mais estabanadas que eu já vi. Por onde ela vai, acaba caindo, tropeçando ou derrubando as coisas. O pai dela é uma peste. Grosso, mal educado e estúpido, acusa Hannah das piores coisas possíveis, tudo porque foi abandonado pela mulher.
E, apesar de não ser chegada em sheiks e príncipes, temos vários nesse livro. De todos os tamanhos, com vários temperamentos... o que resulta em um montão de cenas hilárias, principalmente quanto todos se unem pra provar pro Alex que ele não pode viver sem a Hannah.

É uma ótima pedida para um fim de tarde divertido!
Até a próxima!

Sinopse: Alex Coleman jamais denegriria o respeitado nome de sua família seduzindo uma jovem inocente como Hannah Clark. No entanto, a bela jovem, com sua personalidade forte e mareante, é tentadora demais, e o famoso criador de cavalos não consegue resistir. A honra exige que ele faça de Hannah sua esposa. Mas o destino e Alex já fora traçado, em um país muito distante... E ele enfrenta agora o dilema mais difícil de sua vida: escolher entre o amor e o dever.

domingo, 19 de setembro de 2010

Resenha #78 - Nora Roberts - Arrebatado Pelo Mar

Oie Pessoas!

Meu vício por Nora Roberts é conhecido em vinte e seis Estados e um Distrito Federal. rs
Então é sempre divertido começar uma resenha sobre um livro dela.

Arrebatado pelo Mar é o primeiro livro da Trilogia da Gratidão. Apesar do nome, é uma série de quatro livros (coisas de Nora Roberts), que conta a estória da Família Quin, uma das famílias mais diferentes já criadas pela Nora.

Três meninos problemáticos adotados por um casal, formando uma família diferente. Já adultos, se vêem tendo que reformular toda a própria vida e voltar para casa quando o pai deles se encontra a beira da morte, com um novo filho e muito mistério ao redor da nova adoção.

Arrebatado pelo Mar é um dos "romances românticos" da Nora, e vai garantir risadas, lágrimas e diversão.
Cameron Quin é o típico viciado em adrenalina. Esportes radicais, mulheres e muita farra, ele vê sua vida virar de cabeça pra baixo quando conhece Seth e Anna.
Seth é o mais novo filho da família Quin e lembra muito os três personagens da estória.
É encantador acompanhar o desenvolvimento da relação entre todos eles, os tropeços, acertos e adaptações que toda nova família precisa fazer.
Também é divertido acompanhar em quantas encrencas eles conseguem se meter. Até uma simples batata no forno consegue virar um caso de vida ou morte com essa família!


E, me acreditem, vocês vão se divertir tremendamente com o "fantasminha camarada" do livro!
Esse eu recomendo!! =)

Sinopse: Esta é a história de três homens unidos pelo amor de um extraordinário casal que os adotou, dando a eles uma família. Agora, já adultos e vivendo cada uma a sua vida, os irmãos Quinn devem retornar à casa da família na costa de Maryland para honrar um pedido irrecusável.

Resenha #78 - Nora Roberts - Arrebatado Pelo Mar

Oie Pessoas!

Meu vício por Nora Roberts é conhecido em vinte e seis Estados e um Distrito Federal. rs
Então é sempre divertido começar uma resenha sobre um livro dela.

Arrebatado pelo Mar é o primeiro livro da Trilogia da Gratidão. Apesar do nome, é uma série de quatro livros (coisas de Nora Roberts), que conta a estória da Família Quin, uma das famílias mais diferentes já criadas pela Nora.

Três meninos problemáticos adotados por um casal, formando uma família diferente. Já adultos, se vêem tendo que reformular toda a própria vida e voltar para casa quando o pai deles se encontra a beira da morte, com um novo filho e muito mistério ao redor da nova adoção.

Arrebatado pelo Mar é um dos "romances românticos" da Nora, e vai garantir risadas, lágrimas e diversão.
Cameron Quin é o típico viciado em adrenalina. Esportes radicais, mulheres e muita farra, ele vê sua vida virar de cabeça pra baixo quando conhece Seth e Anna.
Seth é o mais novo filho da família Quin e lembra muito os três personagens da estória.
É encantador acompanhar o desenvolvimento da relação entre todos eles, os tropeços, acertos e adaptações que toda nova família precisa fazer.
Também é divertido acompanhar em quantas encrencas eles conseguem se meter. Até uma simples batata no forno consegue virar um caso de vida ou morte com essa família!


E, me acreditem, vocês vão se divertir tremendamente com o "fantasminha camarada" do livro!
Esse eu recomendo!! =)

Sinopse: Esta é a história de três homens unidos pelo amor de um extraordinário casal que os adotou, dando a eles uma família. Agora, já adultos e vivendo cada uma a sua vida, os irmãos Quinn devem retornar à casa da família na costa de Maryland para honrar um pedido irrecusável.

sábado, 18 de setembro de 2010

Resenha #11 - Mary Wine - Sonhos Sombrios

Oie Gente!

Depois de uma semana escrevendo e apagando, escrevendo e apagando, finalmente consegui algo que me inspirasse uma resenha decente.

Dramático, frenético, tenso e insinuante, temperado com uma altíssima dose de sobrenatural, Sonhos Sombrios é um livro fácil de ler.
A autora consegue mesclar as cenas românticas com o suspense, deixando o leitor ligado na estória o tempo todo.
Você não passará por longos momentos entediantes entre as aventuras, apesar de encontrar alguns momentos cenas "óbvias". Mas, mesmo as cenas "clássicas de livros românticos" ficam bem diferentes pela alta dose de paranormal do livro.
A personagem central do livro é a Grace, uma integrante dos Rangers, psíquica e o ser mais arredio que eu já "vi na vida."

Não tente colocá-la nos padrões que você possa ter para qualquer uma das características acima, ela simplesmente irá quebrar todo e qualquer molde que você pode ter.
É dos rangers, mas por mais que tente evitar, também é uma pessoa sensível.
Ela é psíquica, mas não acredita em intimidade.
E acredita ainda menos no amor.
Até que encontra o Xerife Brice e se vê completamente envolvida e cativada por ele.
Brice resolveu, contra todas as suas crenças, aceitar a ajuda de uma "psíquica", desesperando para achar uma garotinha sequestrada.
Mas quando ele conhece Grace, todos os pré-conceitos e preconceitos dele vão para o espaço.

Como todo bom (e turrão) Xerife, ele a vê e percebe que ela é *a mulher* e simplesmente vai atrás do que quer.
E nem mesmo toda teimosia da Grace irá impedi-lo de tomá-la. Mas, claro, a combinação "mulher teimosa" com "xerife turrão" dão cenas engraçadas, absurdas e altamente picantes!

Poréeemmm...
Existe um grande erro de continuidade no meio da estória. Nada que cause um grande estrago, mas deixa o leitor um pouco perdido durante um tempo.
Num momento estão todos juntos, planejando como resolver outro sequestro e, do nada, todo mundo está desmaiado e mais pessoas foram sequestradas.
Meio confuso, admito, mas quando você se encontrar nesse momento, estiver sentado na cadeira com cara de paisagem, coçando a cabeça e tentando entender que parte do livro você pulou, lembre-se que todo o resto da estória vale a pena o momento inoportuno de confusão. 

O bom é que, logo em seguida, uma sequência de cenas frenéticas cativará a atenção de todos outra vez.
Leiam por sua conta e risco e não venham pedir reembolso quando se virem meio perdidos ou com taquicardia incurável. hehe


O livro não foi publicado no Brasil, mas esse, também, foi traduzido por um grupo de fãs.

Sinopse: O desespero pode bater em sua porta da forma mais improvável possível – Uma vez que você descobre as mentiras ao seu redor, sua vida nunca mais será a mesma.
O xerife Brice Campbell não acredita em poderes paranormais, mas tudo muda quando ele encontra Grace. A melhor perseguidora psíquica do Exército, Grace sempre resolve seus casos. Quando uma criança some do condado de Benton, ela é convocada. Só que desta vez, o foco da missão é ligeiramente modificado. Por causa de Brice.
Faíscas de desejo percorrem Brice e Grace, levando ambos a um turbilhão de paixões. Embora Grace tenha talentos extra-sensoriais surpreendentes, quando se trata de assuntos do coração, ela é uma noviça. 
Brice ensinará a Grace o que significa o amor: emocionalmente e fisicamente, mas primeiro ele tem que convencer a ela, que ele não é o grande vilão e predador da história. Eles têm que descobrir a grande paixão que os envolves.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Resenha #75 - Diana Palmer - Coração Desafiado

Olá Mortais!
Antes de tudo, pegue uma cadeira, um café (descafeinado, hein? Olha o estresse!!) e sente confortavelmente para ler essa resenha e-n-o-r-m-e.

A resenha de hoje é sobre aquela que ou você ama odiar ou odeia amar. Dou uma bitoca em quem adivinhar!!
...
E aí, aposto que acertaram: Diana Palmer. Façam fila para as bitocas!! =)

Veja, existem duas categorias da fãs da Diana: os que odeiam amar Diana Palmer e os que amam odiar Diana Palmer. Punctum.
Não existe uma sã alma que possa dizer que os livros da Diana são "esquecíveis", "passáveis" ou "de modinha".
Você os odeia profundamente, acha-os absurdamente insuportáveis ou fica absurdamente encantada(o) com a complexidade dos personagens dela. Você jura que nunca mais irá ler absolutamente nada do que ela publicar, bate o pé dizendo que as coisas que ela escreve são irreais e impossíveis, que os "mocinhos" são doidos varridos, que as "mocinhas" são umas bocós, mas, assim que sai um livro novo, você corre pra comprar, pede emprestado ou pega um livro digital pra ler. Não tem jeito, Diana Palmer é um caso de loucura sem cura.

Ela consegue juntar nos personagens todas aquelas características mais revoltantes do ser humano, fazendo tudo ficar variando entre o extremo-absurdo e a realidade nua e crua.
As vilãs são vilãs, as mocinhas são mocinhas e os mocinhos, uns bocós!
Os melhores amigos são pra vida toda (mesmo depois de dez ou doze anos longe um do outro), as cidades pequenas são imutáveis e todo mundo tem um parente/vizinho/conhecido que tem sempre a solução para os seus problemas na ponta da língua.

Pra começarmos a entender Coração Desafiado, preciso apresentar duas coisas pra vocês: Jacobsville e Os Irmãos Biscoito!

Jacobsville é a cidade mais insana já criada pela imaginação humana. Lá estão reunidos os mais loucos, machões e traumatizados homens de todos os tempos e de toda a literatura romântica!
Veja bem, não tem um homem normal em Jacobsville . Todos tem trauma/mágoa/horror de mulheres. Foram abandonados pelas mães, esposas e/ou (insira aqui toda e qualquer atribuição feminina, por favor).
E os Irmãos Biscoito não são diferentes.
São cinco irmãos, todos pirados, machões e viciadéeerrriimoooss em biscoitos.
Me acreditem, não é um vício qualquer!
Eles chegam ao extremo por conta do vício, nos causando gargalhadas descontroladas com os absurdos que eles conseguem criar.

Em Coração Desafiado, conheceremos Corrigan, um típico morador masculino de Jacobsville. Ele é fechado, machão, inseguro e totalmente sem jeito com as mulheres. E, claro, viciado em biscoitos!
E temos também Dorie. Ela e Corrigan tiveram um namorico, os dois apaixonados um pelo outro, mas a intensidade dele a assustou e eles acabaram tento uma briga terrível, o que levou ela a fugir da cidade.
Oito anos depois ela volta, um mistério ao redor do motivo de nunca ter visitado a cidade deixando algumas pessoas intrigadas.

Sendo um livro da Diana Palmer, alguma das cenas entre os principais personagens são revoltantes. Daquelas em que você deseja bater no mocinho e esganar a mocinha. Mas esse é só um dos encantos da Diana Palmer.
Você também xingará a vilã, chamará o mocinho de burro e a mocinha de pamonha. Amaldiçoará a Diana nos intervalos dos xingamentos, terá ânsias de dar com o livro na parede (ou a cabeça, afinal não conseguirá parar de ler) e não aguentará de ansiedade para ler o próximo.
É, basicamente, uma experiência única.

Se você for corajoso, gostar de emoções fortes, trate de conseguir o livro pra ler.
Você irá rir, chorar, xingar a Diana, insultar o Corrigan, ameaçar a Dorie de morte e se divertir de montão durante todo o processo!
Recomendo!

sábado, 11 de setembro de 2010

Resenha #12 - Maya Banks - Brazen

Oie Gente!

Provavelmente todo mundo que frequenta o blog já percebeu que eu tenho um gosto literário bem variado.
Assim como adoro fantasia infanto-juvenil, sou apaixonada por romances eróticos.
E não tenho nenhuma vergonha disso.
Eles são divertidos, dramáticos, picantes e absurdamente românticos!
E se esse romance erótico for da Maya Banks, ele também será incrivelmente dramático!

Uma das coisas que mais gosto em Brazen é o fato da estória ser tão diferente, mesmo tratando de um tema relativamente comum.
Vemos muitos livros sobre ménages, mas, em sua maioria, a relação é iniciada pelos homens.
E não é esse o caso de Brazen, pelo contrário.
Nele conheceremos Jasmine, uma personagem típica da Maya Banks: ora decidida, ora frágil, ela voltou de uma viagem totalmente decidida a conquistar os irmãos Morgan, por quem é apaixonada.
A estória, cheia de reviravoltas, dramas e cenas absurdamente hilárias (vocês verão, na cena do "acessório"), torna Brazen um daqueles livros que agradam quem gosta de dramas (a mesma cena do acessório é de fazer pedra chorar), suspense e comédia pastelão, tudo de uma  vez.
Claro, aconselho a quem for ler que trate de deixar um sorvete, umas pedrinhas de gelo e o ar condicionado no máximo, porque as cenas eróticas envolvendo os personagens são de pegar fogo em roupa molhada!

Em Brazen também conheceremos os personagens de vários outros livros (outra característica da Maya Banks), que, apesar de não ser uma série, tem indicações e referências um do outro, deixando nós, pobres Mortais (há-há, acharam que estavam livres disso, né?), morrendo de curiosidade.

Infelizmente, nenhum dos romances eróticos dela foi publicado no Brasil porque nós, pobres-Mortais-amantes-dos-romances-eróticos, não temos uma única editora que publique o gênero (um pecado Mortal, a meu ver).

Porém, se você não se importa em ler e-book, existe uma versão traduzida em ptbr por um grupo de fãs.
Mas, lembre-se, pra ler Maya Banks, você precisa ter a mente aberta e uma enorme caixa de lenços a mão!
Recomendo!


Sinopse: Uma mulher entra em uma campanha para ganhar os corações dos dois homens que ama. Jasmine deixou o rancho Sweetwater e os irmãos Morgan, não era mais capaz de suportar o doloroso dilema de amar os dois homens. Após um ano de distância, no qual ganha novas perspectivas, ela volta para casa com uma meta. Fazer com que Seth e Zane Morgan sejam seus. Jaz pode ter ido embora como uma menina inocente, mas voltou como uma mulher bonita, sensual.
Seth e Zane não estavam preparados para a guerra que ela começa e a cada batalha que eles combateram durante anos contra aquela atração. Ela quer ambos, mas Seth não tem nenhuma intenção de compartilhar sua mulher. Até que ela consiga mudar a mente dele porque ela não pode e não quer escolher entre dois homens que ama com paixão igual. Para ela, é tudo ou nada.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Aventuras da Ba: A Saga de "O Último Mestre do Ar"

Olá Mortais!

No Aventuras da Ba de hoje, temos a saga que foi minha ida a sessão de "O Último Mestre do Ar".
Se você quer saber o que achei do filme, clique aqui.
Sou uma das milhões de fãs adultas de Avatar*.
Vi o desenho a primeira vez no meio de uma situação super difícil e virou minha dose diária de diversão.
Então, foi com muita alegria (e medo) que recebi o anúncio de que Avatar iria virar filme.
Meses depois de ver o primeiro trailer é chegada a hora de ver o filme.
Fui ao cinema mais distante da cidade (o único com sessão legendada da versão 3D), passei uma hora e meia no ônibus, em meio ao trânsito infernal, sentindo os níveis de ansiedade crescerem a cada instante.
Afinal, fã que é fã sempre tem pavor que estraguem a estória do seu personagem amado.
Então, lá estava eu, ingresso na mão (nem vou contar a batalha que foi consegui-lo, porque, me acreditem, não quero fazê-los chorar), prontinha pra assistir o filme.
Primeira sala de cinema 3D em Belém, a maioria das pessoas com mais de 30 anos não tinham ideia do que iriam assistir. Todos tentando adivinhar sobre o que era o filme, o que me divertiu incrivelmente. Teorias mais insanas que aquelas, impossível.
Ah, eu era feliz e não sabia, pra variar.
Eis que surge: O Otaku Infeliz.
Imaginem, Mortais:
Otaku com namorada nova (e neófita no "círculo"), querendo garantir que ela tenha certeza de que ele sabe tudo de todas as coisas.
E o peste resolve começar a contar pra ela todas as adaptações feitas no filme. Ao meu lado. Alto o suficiente para eu ouvir.
Eu, que odeio spoiler mais do que odeio orelha em livros...

Entra o tema de Psicose, o assassino se aproxima...


Essa foi exatamente a minha vontade.
Quando vi que ele ia começar a contar realmente o que aconteceria no filme não me aguentei. Tasquei os fones nos ouvidos, lancei olhares de matar pro Otaku infeliz e enfiei a cara no livro pra tentar ignorar os adiantamentos do filme.
Como se para evitar que eu fosse parar atrás das grades, eis que o lanterninha abre a corrente e todo mundo começa a entrar. Sentei exatamente onde queria (na cadeira do meio da fileira do meio), olhei pro relógio e quase morri quando vi que ainda faltavam longos vinte minutos.
Conversas, SMS, pipoca.
Apesar de todas as tentativas, o tempo se arrasta como se estivesse me provocando.
E aí, quando já estava quase na metade da pipoca (e prestes a ficar sem as unhas), eis que surgem os trailers!
Desejos todos em 3D, divertidos, fofos, mas eu queria que aquilo acabasse logo e começasse o meu filme.
Afinal de contas, depois de toda essa saga, merecia não ter que esperar coisa alguma!
E eis que surgem a logo da Nickelodeon e começa o filme.
Os "Ooohhhsss" e "Éeeggguaaa" foram imediatos.
Quando começou o filme, de fato, todo mundo se mancou e fez silêncio.
Mas, ao final, eu ainda tinha ânsias de matar o otaku spoilero que resolveu me azucrinar!
Tem coisas, Mortais, que só acontecem comigo!

*Nome original do filme. 

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Resenha #76 - Rick Riordan - O Mar de Monstros

Olá Mortais,

Na resenha de hoje temos mais uma participação de Percy Jackson e Os Olimpianos.
Dessa vez ele está tendo um ano maravilhoso, calmo e bem tranquilo.  O que, se você conhece Percy Jackson, sabe que é muito, muito estranho.
E, como todos esperamos, a paz e tranquilidade dele não dura muito. Afinal, só Percy conseguiria transformar um simples jogo de queimada em uma guerra mortal.
E aí começa mais uma super aventura de Percy, Annabeth, Groover e os filhos dos Olimpianos.

Em "O Mar de Monstros", Rick Riordan consegue nos assustar, nos angustiar e nos fazer cair na risada nos momentos mais inesperados.
Algumas das cenas escritas por ele deveriam vir com o seguinte aviso:
"O Ministério dos Micos adverte: a cena a seguir pode causar risadas incontroláveis. Lê-la em público pode provocar olhares estranhos, sussurros e suspeita nas pessoas ao seu redor."

Esse é um daqueles livros que podem ser lidos por todas as idades.
Se você é adulto com crianças que não gostam de ler, dar esse livro pra elas é uma ótima pedida. Ele é um livro leve, divertido e abarrotado de aventuras, bem diferente daquelas leituras maçantes da escola. É uma ótima indicação pra quem quer imbuir nelas o gosto da leitura.

Se você é um adulto com crianças que gostam de ler (ou uma criança que gosta de ler), pode apostar que vai garantir horas e horas de diversão, altos ofegos e crises alucinantes de gargalhadas.

Se você é um adulto estressado e está precisando de uma folga, siga a receita da Dra. Barbara:
  • Pegue uma taça de café descafeinado (afinal de contas, você está estressado), seu exemplar de "O Mar de Monstros". 
  • Vá para a área livre mais próxima, de preferência bem ventilada e distante de pessoas normais. Abra-o e comece a ler.
Já na terceira ou quarta página, depois de seu cérebro ter despejado rios de endorfina causada pelas gargalhadas incontroláveis, você começará a sentir o estresse saindo do seu corpo e todos os seus músculos tensos e travados relaxando.

Se você é um adulto não estressado (há! Isso é mito!), gosta de fantasia, aventura e uma dose cavalar de humor, o livro irá garantir horas e horas de bons momentos.

De lambuja, todo mundo tem uma aula absurdamente divertidíssima de mitologia grega.

Então, Mortais, não tem desculpa para não ler "O Mar de Monstros".
Afinal esse eu, realmente, recomendo!

Sinopse: O modo como ele disse meu nome me deu um frio na espinha. Ninguém me chamava de Perseu, a não ser aqueles que conheciam minha verdadeira identidade. Amigos... e inimigos. O ano de Percy foi surpreendentemente calmo. Nenhum monstro que colocasse os pés no campus de sua escola, nenhum acidente esquisito, nenhuma briga na sala de aula. Mas quando um inocente jogo de queimado entre ele e seus colegas torna-se uma disputa mortal contra uma tenebrosagangue de gigantes canibais, as coisas ficam, digamos, feias. E a inesperada chagada de sua amiga Annabeth traz outras más notícias: as fronteiras mágicas que protegem o Acampamento Meio-Sangue foram envenenadas por um inimigo misterioso, e, a menos que um antídoto seja encontrado, o único porto seguro dos semideuses será destruído. Nesta vibrante e divertidíssima continuação da série iniciada com O ladrão de raios, Percy e seus amigos precisam se aventurar no Mar de Monstros para salvar o acampamento dos meios-sangues. Antes, porém, nosso herói entrará em confronto com um mistério atordoante sobre sua família - algo que o fará questionar se ser filho de Poseidon é uma honra ou uma terrível maldição.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

In Death Comenta II: O Último Mestre do Ar

Olá Mortais!

No In Death Comenta de hoje, vou falar sobre o que achei da adaptação para o cinema de "O Último Mestre do Ar".
Quando resolvi que iria assistir a adaptação do desenho para o cinema, tinha em mente que muita coisa do desenho seria suprimida ou adaptada, já que as versões do cinema precisam ser mais rápidas.
Com isso em mente, fui ao cinema esperando não ficar desapontada com a versão a ser apresentada.
E não fiquei.
Não só as principais características dos personagens foram respeitadas, como, apesar das adaptações, a mitologia da estória foi mantida.
É verdade que exploraram muito mais as tragédias da estória, mas, levando em conta o tempo curto para apresentar toda uma saga, isso era de se esperar.

Alguns dos atores escolhidos parecem ter sido desenhados com base nos personagens, o que compensa, e muito, algumas das cenas quase caricaturais que tem no filme, que garantiram altas gargalhadas durante a sessão.

Um pecado no filme foi o 3D. Realmente, deixou a desejar.

Pra quem conhecer um pouco mais da série, o Mundo Avatar é uma ótima pedida!
Se você puder, vá assistir!
É diversão garantida!