terça-feira, 8 de março de 2011

Resenha #131 - Giorgio Faletti - Eu Sou Deus

Oie Gente!!

Quando a Intrínseca me ofereceu esse livro eu aceitei principalmente porque o título chamava a atenção.
Como um tiro no escuro, resolvi pegar esse thriller para dar uma variada nos temas resenhados no blog. 
Chegou terça feira e resolvi render ele para o final de semana.
Comecei a ler na sexta e tive que me obrigar a largar em vários momentos para render e ponderar sobre a leitura.
São tantos detalhes, tantas ações acontecendo ao mesmo tempo no início do livro que é preciso parar para pensar, ou você vai perder informações muito necessárias para entender o final.

Cheio de armadilhas, emoções extremas e muita, muita correria, "Eu Sou Deus" conta a missão de um homem doente que acredita ser exatamente o que o título diz: Deus.
Com base na terrível história da guerra do Vietnã, o livro relata o que a guerra pode fazer com as pessoas e no que ela é capaz de transforma-las.

Vivien é uma policial dedicada que se vê numa situação muito difícil na sua vida familiar. Enquanto tenta fazer sua família resistir ao caos que a envolveu precisa por seu atual caso a frente de tudo, ou o custo será muito alto.

Russel é um jornalista marcado por escanda-los, viciado em autodestruição, que se vê envolto numa tragédia sem proporções e tendo que, finalmente, fazer a escolha que ele adiou a vida toda: estava pronto para ser ele mesmo e sair da sombra do irmão?

O livro é alucinante. Começa a te prender aos poucos, insidiosamente... quando você percebe, está completamente vidrado e não consegue larga-lo!
Totalmente recomendado para quem gosta de um bom romance policial, com um serial killer de deixar o Dexter de cabelo em pé!
Recomendo!

Sinopse: Aparentemente não há qualquer morbidez nas ações do serial killer que mantém Nova York sob ameaça. A escolha de suas vítimas não obedece a complicados percursos mentais nem ele as encara enquanto morrem, mesmo porque não teria olhos para tanto. Uma jovem detetive esconde os dramas pessoais sob a sólida imagem profissional. Um repórter fotográfico com um passado que deseja esquecer, busca uma segunda chance. Os dois juntos são a única esperança de deter um psicopata que sequer assume a autoria de seus crimes. Um homem que não pode ser responsabilizado pelos próprios atos. Um homem que acredita ser Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário