quinta-feira, 7 de julho de 2011

Resenha #156 - Helene Hegemann - Axolotle Atropelado

Oie Gente!!

A resenha de hoje é de um livro que recebi essa semana da Intrínseca.
Quando recebi o e-mail de divulgação aceitei ele sabendo que seria um desafio, já que tudo que li nos últimos dias foram autoras(es) que eu amooo e que mesmo me frustrando em alguns momentos só me trouxeram felicidade.
Então, quando terminei de ler Axolotle, o que me meio a mente foi o seguinte:

Uma viagem alucinada pela mente enevoada por drogas de uma adolescente alemã.

Acho que essa é a descrição perfeita para a leitura.
Gente, o livro é muito louco!
Se você não tem estômago forte, não leia!
Porque, sério, tem cenas de fazer o estômago embrulhar e o corpo suar frio!

Saquem só o que o "O Globo" disse sobre o livro e a polêmica causada pela autora.


Deu pra ter uma ideia do que enfrentei?

Ele é cheio de referências a blogs, músicas e textos de outras pessoas e tem algumas mudanças de tema entre os capítulos e uma viagem depois da outra.
Sério, gente, tem coisas que por mais loucas que tenham sido as minhas leituras nos últimos doze anos, me deixaram absolutamente agoniada!
Eu confesso que algumas partes do livro eu simplesmente não consegui ler. Sério, aquelas cenas não estavam exatamente no clima do meu estado emocional... muito... muito... muito, entendem?
Meu "Recomendo" de hoje fica aqui com a absoluta e completa anotação de que você só deve lê-lo sabendo que ele é forte, dramático e alucinante ou alucinado!

Até!


Sinopse:  “Vidas terríveis são a maior das felicidades”, desabafa Mifti em seu diário. Aos dezesseis anos, ela assumiu sua condição de “garota-problema” participante da cena underground de Berlim, onde mora desde a morte da mãe. A narrativa de suas experiências, radicalmente influenciadas pelo uso de drogas diversas, faz o leitor mergulhar em uma sequência de acontecimentos paradoxais e incomuns.

Em sua busca por uma parceria e por uma compreensão incondicional, ela encontra um mascote exótico e surpreendente: o axolotle — uma espécie de salamandra mexicana que, por um defeito genético, permanece em estado larvário, sem se desenvolver.

Com uma linguagem poderosa e inteligente, Helene Hegemann traz em Axolotle atropelado uma torrente de situações nas quais o sonho, o pesadelo e a realidade nua e crua se mesclam, e nem mesmo se diferenciam: apontam para um interessante jogo de intertextualidade e de referências que marca essa novíssima autora da literatura contemporânea.

Ficha técnica:
Tradução de André Delmonte

208 páginas | 14 x 21 cm | 260 gramas | R$ 39,90

ISBN 978-85-8057-058-8| EAN: 9788580570588

Categoria: Literatura estrangeira | Subcategoria: Romance | Tiragem: 6.000

Palavras-chave: Literatura contemporânea – Jovens alemãs – Cena underground

Um comentário:

  1. [...] Apoio Intrínseca – Radiante + Axolotle + Vaclav & Lena + Wondla + No Jardim das Feras; Foto do [...]

    ResponderExcluir