terça-feira, 2 de agosto de 2011

Livro Trauma #01 - Nicholas Sparks - Um Amor Para Recordar

Oie Gente!!!



Hoje tem o primeiro post de Livro-Trauma!

O primeiro autor escolhido foi.... Nicholas Sparks!


Como prometido, segue a explicação do motivo dos livros dele estarem na Estante Trauma!


Eu sou uma leitora de romances românticos altamente clichê. Isso quer dizer que meus livros favoritos todos tem finais felizes. Os casais terminam juntos, os vilões se dão mal e todo mundo termina contente.


Sim, sim, eu também sou aquela mesma pessoa que adora um livro escorrendo sangue e que adora ler as maldades dos serial killers nos trillers e ver os policiais se matando para conseguir prendê-los...


O que? Você esta surpreso? Jura? Achei que já soubesse que eu sou louca de pedra hauhauahuaha

Voltando...


Então, quando eu recebi o primeiro livro da Novo Conceito, ainda como prêmio de um sorteio e antes de ser parceria, eu não sabia quem era Nicholas Sparks... por isso fui perguntar para as amigas blogueiras...aí elas vieram me contar que livro dele sempre, sempre, sempre termina em desgraça!

Aí essa pequena informação foi completada com comentários do tipo "chorei horrores durante a leitura", "nossa, fiquei com os olhos inchados de tanto chorar" ou "chorei até dar dor de cabeça".

Então, err, aloooouuuu?? Eu peguei o caminho da montanha da Doida e fui para bem, bem distante do livro...

Aí depois veio "A Última Música", os mesmos comentários... "o livro é lindo, mas o final é uma tragédia só!", "nossa, como sofri lendo isso!".

"Ahã, tá bom.... sai pra lá, filho, que meu negócio é final feliz" foi o que eu pensei... e lá tasquei mais um na estante trauma...


Oras, não me olhem com essa cara! O que eu ia fazer lendo eles, sabendo que eu ia sofrer? Na-na-ni-na-não! Foi fazer companhia prara os meus Stephen Kings, para os meus Anne Rices e para minha coleção-que-nunca-completo da Agatha Christie.


Aí me apareceu "Um Amor Para Recordar" e, putz, foi o terceiro livro dele que eu ''tasquei'' na estante... sem nem mesmo consultar ninguém. Ele chegou e eu botei ele lá... então, bom, aí tive a ideia e o resto vocês já sabem....


Agora, vamos ao que eu achei do livro!


"Um Amor Para Recordar"


Tem muita, muita desgraçada... tem personagem que você deseja matar em 60 % do livro, mesmo sabendo que o Nicholas esta apenas retratando um adolescente normal...

Em Um Amor Para Recordar temos o Landon Carter contando sua história. Ele começa já adulto e avisa que vai nos fazer chorar (como se não bastasse saber que é o livro do Nicholas) ao final dela.

E ele faz. Mas, veja, antes disso ele também nos causa muitos e muitos desejos de socá-lo!

Ok, ok, no final ele se arrepende e... bem, faz aquilo lá que ele faz, mas, putz, no processo ele age como um imbecil completo e sem solução...

Esse até pode ser um dos motivos do final ter o impacto que tem, mas, arf!, no processo de leitura foi duro não desejar querer matarrr aquela criatura superficial... ok, ok, muitos adolescentes são assim (eu provavelmente foi assim também, em momentos que todos nós atuamos como completos asnos) e é completamente comum a ignorância juvenil... mas também é bem irritante.


Também temos a Jamie, que é daquele tipo de pessoa que... não existe. Sério, gente, ninguém é assim tão bonzinho. Aposto que nem mesmo Madre Teresa!

Ela cuida dos animais perdidos, ajuda criancinhas a atravessar a rua, cuida de órfãos, pessoas idosas, amiguinhos necessitados, do pai, dos professores... de todos...

E, mesmo naqueles momentos em que você acha que ela está sendo feita de boba, simplesmente mostra que de boba ela não tem nada.


Ain, gente, é muito sofrimento pro meu coração romântico! Não dá! Eu preciso de finais felizes! Eu chorei litros naquele final! Como assim, mundo injusto? Já não basta a vida real?

Certo, enquanto os dois vão se torando amigos e você vê o quanto as coisas que acontecem a deixam feliz ao mesmo tempo em que o Landon luta com os estereótipos sociais dos adolescentes.

Temos vários outros personagens-clichê: o Pastor Batista, o Político Ausente, a Professora Solteirona...

Mas o que chega a atenção mesmo é o casal central.


Certo, certo, aposto que você está aí do outro lado querendo saber se eu chorei o tanto que me disseram que eu ia chorar e eu digo que... não rsrs

Certo, certo... eu chorei com aquele final do livro! Chorei no meio também... e, bem, naquelas partes emocionantes do início... err... certo, eu chorei tudo o que disseram que eu ia chorar... *suspiros*

Masss, apesar disso tudo, eu venci esse livro trauma! o/!

Agora tenho que escolher quem será o próximo, respirar fundo e enfrentar o medo!

Stephen King? Anne Rice? ...Crepúsculo???

Ahhhh, eu não seiiiiiiii!!!!

Então, enquanto eu olho pra estante e tremo, comenta aí dizendo o que achou da resenha e qual dos três você acha que eu devo enfrentar!

Beijos!!PS: Tão vendo só o que o livro fez comigo??? Me deixou tão traumatizada que até escrevendo errado eu estou!
Brigadinha, Leninha! XD



Sinopse: Cada mês de Abril, quando o vento sopra do mar e se mistura com o perfume de violetas, Landon Carter recorda seu último ano na High Beaufort. Isso era 1958, e Landon já tinha namorado uma ou duas meninas. Ele sempre jurou que já tinha se apaixonado antes. Certamente a última pessoa na cidade que pensava em se apaixonar era Jamie Sullivan, a filha do pastor da Igreja Batista da cidade. A menina quieta que carregava sempre uma Bíblia com seus materiais escolares. Jamie parecia contente em viver num mundo diferente dos outros adolescentes. Ela cuidava de seu pai viúvo, salvava os animais machucados, e auxiliava o orfanato local. Nenhum menino havia a convidado para sair. Nem Landon havia sonhado com isso. Em seguida, uma reviravolta do destino fez de Jamie sua parceira para o baile, e a vida de Landon Carter nunca mais foi a mesma.”

2 comentários:

  1. Tem outro livro que você pode por na lista: Souvenir de Therese Fowler... a inteligência aqui (eu) também tenho horror de histórias com finais que te deixam  arrasada, mas comprei o dito cujo e agora não tenho coragem de ler...

    ResponderExcluir
  2. [...] o primeiro, “Um Amor Para Recordar” e se você já leu o livro sabe o motivo dele ter entrado para a lista de traumas, certo? [...]

    ResponderExcluir