quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Resenha - #179 - John Verdon - Eu Sei O Que Você Esta Pensando

Oie Gente!

A resenha de hoje foi bem complicada de escrever.
Sentei, pensei, pensei... rabisquei ela umas cinco ou seis vezes e nada expressava exatamente o que eu senti durante a leitura.
Então já vou pedir desculpas adiantadas, já que sei que ela acabará um pouco confusa...

Sabe aquela cor que sempre deixa confusa... que você não sabe se é verde ou azul, vermelho ou rosa?
Agora imagine isso num livro?
Foi assim que me senti durante a leitura desse livro.
As primeiras oitenta páginas pareciam se arrastar.
O assassino não matava ninguém e o autor me dava tantos detalhes que eu comecei a ficar confusa.

Já estava achando que seria um daqueles livros que você precisa arrastar as páginas até acabar, mas aí veio a primeira grande surpresa.
(...)O conflito mais simples é o que existe entre o modo como nos vemos e o modo como vemos os outros. Por exemplo, se estivéssemos discutindo e você gritasse comigo, eu acreditaria que a causa do grito era a sua incapacidade de controlar seu temperamento. Mas, se eu gritasse com você, não pensaria que a causa do problema era meu temperamento, e sim a sua provocação. Ou seja, meu grito seria uma reação adequada a algo que você tivesse feito.(...)
Essa foi a primeira de várias passagens maravilhosa que tem no livro, todas muito reais e que vemos todos os dias da nossa vida.
Não anotei todas, mas tem várias passagens do texto que se todo mundo aplicasse à sua própria vida, tudo seria mais justo e mais simples.
Aquela coisa de que "quando você aponta um dedo para alguém, você aponta três para si próprio" é dito e comprovado em vários momentos.

O autor cria algumas situações que, confesso, achava que ele não ia conseguir resolver.
Pegadas que não levavam a lugar nenhum, detalhes além da conta, pistas que não apontavam para ninguém.
Cheguei na página 200 e não tinha absolutamente nenhuma pista de quem era o culpado.
Eram tantas informações que nenhum daqueles que eu desconfiava eu conseguia uma prova concreta de quem era o culpado.
Confesso que eu deduzi o mistério dos números antes de todos os detetives, mas aquelas botas... nossa, impossível hahaha

São tantas fases e sentimentos durante a leitura que não dá para defini-lo apenas como maravilhoso ou ruim.
É um daqueles livros que te faz passar por um espectro tão grande de sentimentos que só mesmo lendo para você chegar a sua própria opinião sobre ele.
Por isso eu disse no início da resenha que ele lembrava muito aquela cor indefinida... muito, muito difícil descrevê-lo num sentimento só.
Beijos

Ah, chegando em 20 comentários rola promo!

Sinopse: Uma carta perturbadora chega via correio com uma simples declaração ao final: "Veja como conheço seus segredos - apenas pense em um número." Errará quem pensar que uma carta dessas chega a seu destino final apenas por obra do acaso.Para o detetive aposentado da polícia de homicídios da cidade de Nova York, Dave Gurney, que está formando uma nova vida ao lado de sua esposa Madeleine, as cartas começam a deixar de ser estranhas para se tornarem um complicado quebra-cabeça que levará a uma enorme investigação sobre assassinatos em série.Trazido para o caso como consultor, Gurney em pouco tempo percebe pistas que a polícia local deixou passar. Ainda assim, diante de um oponente que parece ter o dom da clarividência, Gurney vê seus esforços irem em vão, seu casamento rumando a um precipício e, finalmente, um medo incontrolável de que seu adversário não pode ser parado.

2 comentários:

  1. Uau, parece ser um daqueles trailer que primam pelo suspense, A princípio parece que não vai andar e quando vc menos espera ta correndo e vc devorando as página!

    Adoro o jeito que vc escreve suas resenhas, sempre deixa aquele gostinho de quero mais!

    Entrou pra lista de desejados!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ba.

    Já tinha ouvido falar desse livro, mas não imaginava que fosse tão complexo.

    Não é a primeira vez que leio um thriller sem conseguir identificar o assassino, mas depois de tanta enrolação acabo surpreendendo-me.

    Não sei se lerei agora, mas ficará para próximas leituras, porque no momento estou preferindo enredos mais leves. (risos).

    Dica anotada! ^^

    Beijos.

    ResponderExcluir