segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Resenha #195 - Shari Anton - Por Decreto Real

Oie Gente!


Mês corrido dá nisso, até a resenha da maratona de banca fica pra cima da hora!
São 3 da tarde de domingo, eu acabei de abrir o livro e essa resenha é pra... amanhã...
Ok, tenho a facilidade de já ter lido o livro antes, mas não lembrava disso quando escolhi... e sim, se eu tivesse lembrado, não tinha escolhido de novo, porque, pela lágrima do santo livro, ô livro triste!


Por Decreto Real é um romance histórico, ambientado em 1100, que conta a história de Ardith e Gerard.
Ele é um lorde e ela  é filha de um e os dois tem um ano apenas para ficarem juntos e fazê-la engravidar.


Vocês sabem que históricos não são meus livros favoritos, mas esse (apesar de incrivelmente triste) é muito, muito bom.
Ela mostra situações que você consegue imaginar acontecendo na época onde o livro se passa, o que ajudou e muito a manter minha atenção durante a leitura.


Os personagens principais tem problemas bem condizentes com a época e é uma batalha maravilhosa a dos dois tentando continuar juntos.
Tudo de desgraça que vocês puderem imaginar acontece para manter os dois separados. Sequestros, fofocas, poções, mal entendidos... enfim...


Foi o único livro da Shari Anton que li, mas gostei muiiito dele.
Para quem gosta de romance histórico desse período é uma ótima pedida, viu?
Ou para quem gosta de um bom "desgraça pouca é bobagem"! hehehehehe


Confesso que fiquei tentada a colocar nessa resenha a conversa/fofoca/resenha/surto com a Elis no MSN enquanto eu explicava porque esse livro é uma "desgraceira maravilhosa", mas temos que manter uma aparência de normalidade. rsrs
Mas que aquilo ficou divertido, ficou! hehehehe
Beijos!!


Sinopse: Gerard de Wilmont queria, acima de qualquer coisa, tornar Ardith de Lenvil sua esposa. Mas e se ele e sua amada saxônica não fossem abençoados com o herdeiro que faria com que a união de ambos durasse para sempre?

Lady Ardith hesitou quanto ao decreto real que a tornava prometida de Gerard, barão de Wilmont, pois, embora ele sempre tivesse sido o dono de seu coração, ela sabia que o destino cruel não a fizera adequada para ser esposa de homem algum! Ela não podia se negar a cumprir o desejo do rei, mas sabia que seu casamento com Gerard estava fadado a terminar muito antes que ele imaginava!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Resenha #194 - Nora Roberts - O Vale do Silêncio

Oie Gente!


A resenha de hoje é do terceiro e último livro da Trilogia do Círculo: O Vale do Silêncio. Nele, finalmente, temos a batalha entre o Círculo dos Seis e os Vampiros.
Acho que para resenhar esse livro é preciso dividi-lo em duas partes. O romance e a guerra.


 O Romance:


O Vale do Silêncio é meu livro preferido dos três. Se você já leu a série, sabe que o Cian roubou a cena desde a primeira linha. E é nesse livro que finalmente chega a vez dele e de Moira ficarem juntos.


Gente! É tão, tão, tão lindo! Entre esses dois existe uma profundidade de sentimentos que vai deixar você desejando por um milagre. E digo isso porque, assim como os pombinhos, sabemos desde o primeiro beijo que o amor deles é impossível.
E é essa impossibilidade que torna tudo mais profundo, mais desesperado. E esse desespero leva nossos personagens viverem cenas absurdamente dilaceradoras de corações românticos!


Existe uma cena em particular, que não vou por aqui porque tenho muito apreço pela minha integridade física, em que a incerteza do futuro leva Moira a fazer um pedido impossível ao Cian. A cena é linda, romântica e muito, muito triste. Vai fazer você de desmanchar em lágrimas, sofrer e se desesperar pelo final.


Muito, muito, muito lindo mesmo!


A Gerra:


Os preparativos para a guerra continuam e as artimanhas da Lilith só vão reforçar porque eu acho ela, junto com o(a) assassino(a) de Innocent in Death, a melhor vilã da Nora.
A criatura é ruim, viu? E ela apronta uma que vai partir o coração de vocês igualzinho ela partiu o da Moira.
Eeeuuu, como boa viciada em vilões, queria que a batalha em si tivesse sido maior. Ela foi intensa, sangrenta, mas tão rápida! Eu sei, eu sei... batalhas mágicas tem que ser rápidas e monumentais, mas, aff, depois de quase três livros inteiros me preparando para ela, queria ter mais do que umas vinte páginas de sangue... [#fimdomomentoDexter]


Se você ainda não leu essa trilogia, eu aconselho a ler. Os livros podem, individualmente, não serem perfeitos, mas o conjunto faz a experiência maravilhosa.


Recomendo!


Ah, já falei que o blog está sorteando a trilogia completa?
Não? Então clica aqui e participa!


Sinopse: No reino de Geall, a erudita Moira ergue a espada em nome de seu povo. Agora, como rainha, deve preparar os súditos para a maior batalha de suas vidas contra um inimigo mais pérfido do que qualquer outro que jamais conheceram. Afinal, Lilith, a vampira mais poderosa do mundo, seguiu o círculo de seis através do tempo, rumo a Geall. 

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Resenha #193 - Gena Showalter - O Prazer Mais Sombrio

Oie Gente!!


A resenha de hoje é dedicada especialmente à Betinha, culpada por mais um de meus vícios literários: Senhores do Mundo Subterrâneo!


A série, que trata sobre guerreiros possuídos por diversos demônios, começa com a abertura da Caixa de Pandora por um grupo de guerreiros, espalhando pelo mundo todos os males. Como castigo, os Deuses aprisionaram os piores demônios no corpo dos guerreiros.
Violência, Morte, Dor,  Mentira, Dúvida e vários outros demônios, vieram para a terra quando os guerreiros foram banidos do Olimpo.
Os guerreiros, que ainda não controlavam seus próprios demônios, causaram grandes desgraças no mundo, passando a ser perseguidos pelos  Caçadores, que buscam a séculos a destruição dos Senhores.


Em O Prazer Mais Sombrio temos como casal central o Reyes, guardião da Dor e Danika, que foi condenada à morte pelos Deuses e que vem sendo caçada por Aeron nos últimos meses.
Agora os dois estão juntos e tem que encontrar uma maneira de evitar que ela acabe morta.


Eu adooooreeeiiii o livro! Ok, ok, eu gostei de todos, mas nesse você tem algumas escolhas tão difíceis, tão complexas e tão impossíveis que você acaba se compadecendo dos personagens.


De um lado temos um homem apaixonado, preso ao prazer da dor. Do outro, temos uma mulher assombrada por pesadelos, dividida entre o amor e o ódio. Para complicar tudo ainda mais, a Gena torna o sofrimento do Aeron tão pungente que você fica desesperado ao saber a escolha que eles terão que fazer.
A Gena tem um estilo de escrita totalmente dela. Por mais que você já tenha lido milhares de romances sobrenaturais (esse é o meu caso), você não vai ficar comparando-o com outros. Ele é tão diferente, tem tantas características especiais, que você vai terminar de ler, ficar desesperada pela próximo e se maldizer por ter demorado tanto para começar.
Ah, esqueci de dizer que essa série é ambientada em Budapeste? Ou seja, nada de cenários comuns e batidos!


Tem cenas tóoorrriiiiddaaasss de amor, paixão a flor da pele, lutas, guerras, sangue e muito, muitos homens sexies!
Não preciso mais explicar porque eu gostei, certo? rsrs


 O.que.é.o.Reyes? Gentem!
Você vai ler, dizer "oowwnnn" e querer pegar ele no colo! Nossa, mas ele é tão... tão... tão tudo!
Acabei um pouco mais apaixonada por ele e estou tendo que me controlar para não largar tudo e ir ler o livro seguinte!
É absurdamente v.i.c.i.a.d.o.r!!!!
Então, já sabe! Se gosta de livros maravilhosos e está querendo mais um vício, corra e leia!
Você não vai se arrepender!
Até!


Sinopse: Há milênios, quando os deuses habitavam o mundo, doze gregos foram condenados a carregar por toda a eternidade os espíritos malignos que libertaram da caixa de Pandora. Agora, eles precisam encontrar a única relíquia capaz de dar fim a seu sofrimento... ainda que possa destruí-los. Guardião de Dor, Reyes enfrenta um dilema mais dilacerante do que as garras de seu demônio. Embora desejasse Danika Ford, uma humana comum, ele deveria escolher entre o seu amor e a lealdade a um dos guerreiros acometidos pela maldição: Aeron, guardião de Ira, a serviço dos deuses para aniquilar Danika e toda a sua família. Se Reyes permitisse que Aeron cumprisse sua missão, perderia a única mulher capaz de proporcionar um prazer maior do que a dor. Entretanto, ao neutralizar seu companheiro, Reyes abrira uma brecha para que Danika fosse capturada pelos Caçadores, cujos planos eram torná-la uma Isca. Agora, deverá arriscar a própria alma para savá-la. Ainda que estranhe o fato de os deuses desejarem a eliminação de uma mera mortal.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Resenha #192 e Promoção - Austin Wright - Tony & Susan

Oie Gente!!

A resenha de hoje esta um pouco diferente, porque eu fui fazendo-a enquanto lia o livro. Foi absolutamente impossível resistir aos comentários, já que essa estória foi absolutamente... tocante! Identifiquei-me completamente com a Susan e aposto quase qualquer coisa que você iria se identificar com ela também!




Há vinte e cinco anos, Susan Morrow deixou Edward Sheffield, seu primeiro marido. Certo dia, instalada confortavelmente na casa em que mora, com os filhos e o segundo marido, inesperadamente ela recebe, pelo correio, um embrulho que contém o manuscrito do primeiro romance escrito por Edward. Ele lhe pede que leia seu livro: Susan sempre foi sua melhor crítica, justifica. Ao iniciar a leitura, Susan é arrastada para dentro da vida do personagem Tony Hastings, um professor de matemática que leva a família de carro para a casa de veraneio no Maine. Quando a vida comum e civilizada dos Hastings é desviada de seu curso de forma violenta e desastrosa, Susan se vê novamente às voltas com seu passado, obrigada a encarar a própria escuridão e a dar um nome para o medo que corrói seu futuro e que vai mudar sua vida.



Entenderam o motivo da afinidade imediata? Posso não ter nada haver com ela física e emocionalmente, mas entendo bem os sentimentos contraditórios vividos durante a apreciação de um livro novo.

Uma das passagens que me chamaram atenção logo no início foi:

Susan Morrow fez um pausa, chocada. (...) O que ela achava que não conseguiria suportar. Susan se sente atordoada com Tony, como se não tivesse pressentido aquilo. Um crime terrível e triste, embora ela acredite que, se as duas não tivessem morrido depois de chegar àquela altura da história, ela mesma teria ficado decepcionada. Pobre Tony: a que ponto o prazer de Susan depende do infortúnio dele. Ela tem uma noção de que a dor que a cena descortina, encarnada em Tony, é, de fato, dela mesma, o que é alarmante.


Capítulo 11, página 84.



É impossível não se ver um pouquinho nessa cena. Afinal, quem nunca sentiu algo enquanto lia algo é porque está fazendo alguma coisa errada durante a leitura.
E é isso, sentir, que "Tony e Susan" fará com qualquer entusiasta da leitura.


Por mais que o leitor não seja uma mulher de quarenta anos, com três filhos e morando em uma casinha florida com cerquinhas brancas, ele irá se "ver" na personagem durante os momentos mais emocionalmente contraditórios causados pela leitura de "Animais Noturnos".


Em alguns momentos me senti sobrepujada pelos sentimentos da Susan, que reagia às provações vividas pelo Tony.
Ao mesmo tempo ficava encantada pela capacidade do Austin Wright de reproduzir ali, naquelas folhas, sentimentos meus tão comuns e tão frequentes, vividos a cada novo livro que tenho o prazer de ler.
Sim, você deve estar pensando aí do outro lado que "os sentimentos do livro não são os seus, Dona Barbara", mas as reações de Susan à história são tão parecidas com as minhas próprias que a empatia é involuntária e imediata.


Se você faz parte do Clube dos Entregues e é daqueles que entra de corpo e alma na leitura de um livro, recomendo "Tony e Susan" sem nenhum receio, mesmo a história dentro da história sendo tão... dramática.
Se você ainda não faz parte desse clube, bem... o que está esperando para entrar?


Agora, vamos a promoção que eu prometi?


Dessa vez é supersimples participar.


Você deve seguir o @In_Death e a @Intrínseca no Twitter, comentar nessa resenha e tuitar a seguinte frase:
"Vou ganhar "Tony e Susan", lançado pela @intrinseca, que o @In_Death está sorteando! #AustinWright http://kingo.to/Ra2 "

E pronto! Já estará concorrendo.

A promoção começa hoje e vai até o dia 05/11.
O sorteio será feito pelo sorteie.me e o resultado será dado na minha timeline.
Não usem contas exclusivas para a promoção. As regras básicas para utilização do Sorteie.me estão aqui e qualquer violação das mesmas resultará na desclassificação imediata.
Faço esse pedido porque algumas pessoas foram desclassificadas pelo sorteie.me na minha última promoção feita nele. 


Beijos!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Resenha #191 - Lara Adrian - O Beijo Escarlate

Oie Gente!!


A resenha de hoje é sobre o segundo livro da Série Midnight Breed, "O Beijo Escarlate", da autora Lara Adrian.
Já tinha o lido o livro bem antes de sair no Brasil, então não reparem se alguns dos termos que eu usar não sejam exatamente os que a Universo dos Livros usou na versão em ptBr. Quando encasqueto com um termo eu simplesmente não consigo tirá-lo da cabeça.


Sei que tem muita gente que não gosta dessa série por causa de IAN, já que alguns elementos são muito parecidos.
Nesse livro as semelhanças são ainda maiores, já que temos uma médica (veterinária, no caso da Tess), um vampiro morrendo e uma história de amor muito, muito difícil.
Confesso que contrariando a maioria, pra mim é "Amante Liberto" que tem semelhanças com "O Beijo Escarlate",  já que eu li O Beijo primeiro. Mas essas semelhanças nunca me incomodaram, já que o estilo das autoras é bem diferente e elas tem... como direi... um "timing" de acontecimentos diferentes. Não sei se consigo explicar e provavelmente "timing" não é o termo que deveria usar, mas os estilos de escrita das duas autoras fazem as estórias ficarem, no geral, diferentes.


Para quem ainda não leu nenhum dos livros, deixa eu dizer o que você vai encontrar na série.
Em Midnight Breed, a guerra é entre vampiros e os Renegados, que são vampiros que se entregaram a sede de sangue e perderam o controle de si mesmos.
Eles agora estão unidos e comandados por um dos vampiros da primeira geração e tem como objetivo destruir todos os integrantes da Ordem e virar o mundo de cabeça pra baixo.


Nessa série algumas mulheres humanas são predestinadas aos vampiros. Elas são chamadas de Companheiras da Raça e só com elas um vampiro pode ter filhos.
Quando unidos, os dois formam um laço poderoso e absurdamente apaixonado.


Nesse volume temos o romance central entre a Tess e o Dante. Depois de uma emboscada, Dante invade a clínica veterinária de Tess em busca de socorro. Num ato desesperado ele a morde, precisando do sangue dela para continuar vivo. Ao fazer isso, acaba os unindo, já que Tess é uma Companheira da Raça.


Esse é um volume super dinâmico, já que ao mesmo tempo em que nossos guerreiros estão em guerra e os dois estão se envolvendo, vários outros romances e relacionamentos são insinuados. Personagens novos aparecendo, sendo apresentados e te deixando curiosa para tudo o que vem por aí.


Adoro a mistura da Lara de fragilidade com poder. Tess tem um passado obscuro e poderes que esconde com todas as forças, já que, no passado isso só lhe trouxe dor. Quando a pobre descobre que os vampiros existem é numa situação terrível. E o Dante, em um momento totalmente anta de ser, não explica para ela nada direito. Nem preciso dizer a confusão que dá quando ela percebe que ele também é um vampiro, né?


Um romance vampírico bem ao estilo "sangue, suor e sexo", O Beijo Escarlate é altamente recomendado para quem gosta do gênero!
Recomendo!


Sinopse: "Ligados por sangue e segredos sombrios, eles entram um lugar de perigo e prazer infinito… Ele vem a ela mais morto do que vivo, um alto estranho vestido de preto crivado de balas e perdendo sangue rapidamente. Enquanto ela luta para salvá-lo, a veterinária Tess Culver não sabe que o homem que se chama Dante não é um homem, mas um da Raça, guerreiros vampiros envolvidos em uma batalha desesperada. Em um único momento carregado de erotismo Tess é lançada em seu mundo – um deslocável e sombrio local onde bandos de vampiros Rogue espreitam a noite, deixando um rastro de terror. "


 

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Resenha #190 - James Patterson - 4 de Julho

Oie Gente!



A resenha de hoje é sobre o livro "4 de Julho", lançado pela Editora Arqueiro, quarto livro da série "Women's Murder Club" e o primeiro que leio da série.


Quando ele chegou aqui em casa eu fiquei super ansiosa, já que eu adorava o seriado que foi baseado no livro.
Por conta disse, esperava que o livro fosse alucinante. Certo, fiquei um pouco nervosa por não ter lido os livros anteriores, mas como conhecia o básico da série (personagens, enredo, etc), sabia que não ficaria completamente perdida na leitura.


Bom, acontece que toda essa ansiedade não foi bem recompensada. Eu não gostei de boa parte do enredo e me pareceu que o James optou por colocar tanta coisa em um único livro que acabou ficando um pouco perdido.


Acho que o que mais me incomodou foi o excesso de situações. Em "4 de Julho" temos um caso de assassinatos em série e temos o julgamento da personagem central, a Tenente Lindsay Boxer. Ela esta sendo acusada de má conduta profissional e precisa provar que estava agindo em legítima defesa. Além disso, temos assassinatos em série, que ficam completamente "de lado" pelo foco no julgamento.
Isso simplesmente não me agradou.


Ok, você pode até dizer que isso provavelmente aconteceu porque eu fui ler o livro cheia de expectativas. Mas normalmente é isso que acontece com os fãs, não é?
Você também pode dizer que a série era um tanto quanto sem graça, mas eu me divertia muito com aquelas quatro e fiquei muito "invocada" com o final dado pela ABC. (sim, exatamente, aquele final que não teve final que você está aí pensando).
Então pode ser que minhas frustrações tenham vindo disso: esperava muito mais de um livro que do qual só tinha conhecimento da adaptação.
Mas eu tenho uma justificativa: adaptações pra TV/Cinema normalmente são aquém do original. Então, se eu gostava tanto assim da série, iria amar o bendito do livro.
Mas, infelizmente, não foi o caso.


Espero que o próximo livro dele me deixe mais feliz! o/
Até!


Atenção! A sinopse oficial contém spoilers!


Sinopse: Lindsay Boxer é uma policial exemplar. Chefe do Departamento de Homicídios da Polícia de São Francisco, a tenente recebeu várias medalhas e menções honrosas durante seus 10 anos de serviço. Ao fim de um cansativo dia de trabalho, Lindsay se encontra com Claire Washburn e Cindy Thomas num bar. As três amigas compõem o Clube das Mulheres contra o Crime, grupo que tenta solucionar os casos ocorridos na cidade. Após alguns drinques, a tenente recebe uma ligação do inspetor Warren Jacobi. Ele acaba de localizar um veículo suspeito, visto na cena de um crime. Em poucos minutos Lindsay está no carro de Jacobi, cruzando a cidade na cola de um Mercedes preto. Depois de uma longa perseguição, a abordagem policial acaba fugindo do controle. Os dois adolescentes que estavam no carro reagem, descarregando suas armas contra a dupla de policiais. A tenente atira em legítima defesa, mas o resultado é uma menina morta e um garoto tetraplégico. Lindsay é acusada, entre outras coisas, de má conduta profissional e se vê num lugar que nunca imaginaria ocupar: o banco dos réus. Será o fim do Clube das Mulheres contra o Crime? A jovem advogada Yuki Castellano conseguirá provar a inocência da tenente? 

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Resenha Especial #189 - Nora Roberts - Os Irmãos MacKade

Oie Gente!


Hoje, como alguns de vocês sabem, é aniversário da Diva. Pensei muito no que fazer nesse dia, já que Nora Roberts é uma de minhas grandes paixões. Poderia fazer uma atividade interativa, aí juntamos as duas viciadas e fizemos a gincana e outras surpresas para vocês. Mas o que eu me daria de presente nesse dia tão importante?



Tenho uns 40 livros da Nora Roberts que ainda não li (o que? Não fiquem assim tão chocados, eu preciso rendê-los, já que não sei como vai ser o dia ($$) de amanhã e do resto do ano...), então poderia pegar um da pilha, ler, resenhar... mas poderia dar o azar de não ser um dos livros apaixonantes... então fui arrumar a estreia da minha quarta prateleira de Nora Roberts e peguei os MacKade. E aí eu parei tudo e corri com eles para o sofá.
Sou absurdamente apaixonada por esses quatro livros. Neles tem tudo aquilo que eu mais amo nos livros da Nora. Romances lindos, personagens encantadores e um toque de mistério e magia no ar.


Se você não leu essa série ainda, me deixe fazer um resumo sobre os quatro irmãos.


A série tem um toque de sobrenatural nela, já que nos campos de Antietam temos fantasmas da guerra de secessão americana.


Apesar de não ser um romance histórico, existem cenas onde nossos personagens “voltam passado”, revivendo as batalhas, o sangue e a morte. E, sendo a Nora a Nora, você consegue sentir a tensão e o terror no ar.
Acho que essa habilidade de nos transportar para dentro das tramas é um dos grandes poderes das nossas autoras preferidas.  É claro que nem todas elas conseguem isso com todos nós. Eu mesma já li alguns títulos que as amigas adoram e não consegui sentir a história, assim como tenho alguns títulos da própria Nora que não tocaram meu coração. Rs
Mas estou cá divagando...


São quatro homens maravilhosos, do estilo “Eu sou um menino muito ruim”. Eles são daquele tipo de homens de causar acidente de transito, fazer você dar a ré quando quer engatar a primeira e causar crises de gagueira incontrolável.


Quatro espécimes de bad boys, cada um com uma peculiaridade mais sexy que a outra.
Rafe é o menino ruim e sexy, que vai fazer você rir e partirá para a batalha para defendê-la de quem te faz chorar.


Jared é um cara durão, que tenta deixar sua marca no mundo. Também é aquele que vai defendê-la e consolá-la até o seu último suspiro.


Devin (pausa para os meus suspiros apaixonados, já que ele foi minha primeira paixão nos Norinhas) defenderá os fracos e os necessitados e dará muita, muita porrada nos abusadores.


Shane... Shane fará você se derreter toda de encanto pela paixão crua e natural dele.



O primeiro livro “O Retorno de Rafe Mackade” dá início a saga dos irmãos, sendo focado no romance de Rafe e Regan.
Ele foi embora de Antietam depois que a mãe morreu e era um dos irmãos-encrenca. Todos na cidade tinham certeza de que ele ia parar na cadeia e que não teria futuro nenhum. Anos depois ele volta par a cidade, rico e bem resolvido, ainda com aquela fama de menino ruim.


E, senhor, o que é aquela aparência de menino mau? Ulalá, que eu queria que ele viesse aqui fazer coisas malvadas comigo!


O segundo livro, “O Orgulho de Jared MacKade”, é selvagemente emocionante. O Jared por si só é uma força da natureza, mas a adição da Savannah, com sua beleza estonteante deixa o livro pegando fogo!
A atração entre os dois é imediata e visceral. Você fica sem ar, sem fôlego e se roendo de agonia enquanto os dois não se entendem.


Nesse livro temos maior participação das crianças, que sempre são um capítulo a parte nos livros da Nora. Em quase todos eles elas conseguem roubar a cena e te fazer desejar um igual.


O terceiro livro, “O Coração de Devin Mackade” é incomparável. O epítome do romântico e, de lavada, meu livro/personagem/romance favorito entre os MacKade.


O Devin é absurdamente maravilhoso. Apaixonado pela Cassie desde os dezesseis anos, finalmente toma coragem para demonstrar seus sentimentos. E a Cassie, nossa doce e inocente Cassie, é completamente arrebatada pela paixão avassaladora dele.


Temos tantas facetas nesse homem que é absolutamente impossível você resistir a ele. Temos o Xerife dedicado, protegendo e servido à Cidade. Temos o irmão encrenqueiro, se metendo em brigas e distribuindo socos nos irmãos. Temos o pai amoroso, nas cenas deliciosamente delicadas entre ele e Emma. E, pela santificada frequência cardíaca, temos o amante apaixonado.
Gente, não dá para ser lacônica com esse homem. Sou absolutamente apaixonada pela perfeição que a Nora conseguiu com ele. Juntou todo aquilo que todas nós gostamos de ler nos nossos heróis, embrulhou num pacote sensual dos infernos e nos deu de presente revestido com uma estória de amor maravilhosa.


O quarto livro, “O Despertar de Shane MacKade” é o livro mais... místico dos quatro. A ligação de Shane com os misteriosos fantasmas de Antietam é de deixar você arrepiado. Para completar o quadro a adição da Dra. Rebeca, com mais letrinhas antes do nome do que cidades no mundo e é o completo oposto do nosso herói. Ela é insuportavelmente inteligente, tímida e... deslocada. É um gênio e teve uma infância que não foi infância por conta da extrema inteligência. Alguns poderiam dizer que a Nora brinca com o clichê homem bronco e mulher inteligente, mas ela faz isso com tal delicadeza e suavidade que você percebe as diferenças e as acha atraente ao invés de ridículas.


É absurdamente impossível não se apaixonar por essa série.
E, como ela é maravilhosa e eu li os quatro livros entre o sábado e o domingo, agora estou padecendo de depressão pós livro.


Então, seja uma alma caridosa e deixe aí um comentário para me alegrar!
Até!


Sinopses:



O Retorno de Rafe Mackade:


Após 10 anos, Rafe Mackade retorna a Antietam, sua cidade natal. O rapaz rebelede, sexy e irresistível tornou-se um homem de sucesso, com dinheiro no bolso e muitos planos para o futuro. Para começar, acabara de realizar seu grande sonho: comprar a antiga mansão Barlow. Considerada uma casa mal-assombrada, Rafe planeja restaurá-la nos mínimos detalhes: estrutura, pintura e principalmente, decoração de época. Para essa tarefa, conta com a ajuda da bela Regan Bishop, dona de um antiquário local e tão rebelde quanto Rafe.


Além de contratar os serviços de Regan, Rafe também está muito interessado em arrumar espaço em sua vida atribulada para mais um desafio: conquistar aquela mulher arredia. Mas regan não está disposta a ceder aos caprichos de um homem pecaminosamente lindo. Ainda que esteja se apaixonando por ele ...

O Orgulho de Jared Mackade:


Savannah Morningstar passou dez anos tentando reconstruir sua vida e a de seu filho. Quando pensa que pode relaxar, Jared Mackade aparece para abalar sua estrutura. Irresistível e sexy, Jared é um advogado que chega com a notícia de que o pai de Savannah morreu e lhe deixou uma pequena herança. Mas a surpresa não interessa a ela. Sua relação com o pai nunca fora das melhores, e a herança não serviria como um pedido de desculpas póstumo. Porém, mesmo que queira abrir mão do legado , antes terá de lidar com a situação, e isso significa negociar com Jared. Ele se sente cada vez mais importunado pela presença de Savannah. Afinal, ela é tão teimosa ... e tão atraente ! Mesmo evitando de todas as maneiras possíveis se apaixonarem, os dois se descobrem completamente loucos um pelo outro. Agora, precisam enfrentar dosi grandes desafios para poderem fiar juntos: o passado de Savannah e o orgulho de Jared...



O Coração de Devin Mackade:


Há muito tempo o xerife devin mackade anseia pelo dia em que terá em seus braços o único amor de sua vida: cassie connor. Mas ela acabou de se libertar de um casamento doloroso, que traumatizou a ela e aos dois filhos. Quando cassie aceita o convite de rafe mackade para ser a gerente de sua pousada, uma mansão restaurada e assombrada por fantasmas da época da guerra de secessão, devin se preocupa ainda mais com ela e as crianças. Para piorar a situação, o ex-marido de cassie foge da prisão. Agora, devin terá de tomar uma decisão, e sua escolha deverá ser regida pela voz do coração.



O Despertar de Shane Mackade:


Shane Mackade amava as mulheres. Mas ele ainda não tinha encontrado aquela que levaria para o altar. Até conhecer Rebecca Knight. O único problema é que ela estava muito ocupada pesquisando as lendas das terras dos irmãos Mackade, o que a impedia de sucumbir ao charme de um deles. Talvez esse fosse o momento oportuno para Shane fazer-lhe a clássica proposta de unirem seus destinos. Afinal, o coração de Shane fora finalmente despertado para o verdadeiro amor, e ele não conseguiria viver sem Rebecca.


Rebecca acreditava que para tudo havia uma explicação. Até que ela começoua ter pensamentos bastante suspeitos sobre o sexy Shane. Ela não sabia por que isso estava acontecendo, mas tinha certeza de uma coisa: amar Shane poderia ser perigoso. E Rebecca não estava disposta a arriscar...

sábado, 8 de outubro de 2011

Resenha #188 - Nora Roberts - O Baile dos Deuses

Oie Gente!!


Continuando as resenhas do Especial Nora Roberts, hoje vou falar do segundo livro da Trilogia do Círculo, "O Baile dos Deuses". Nesse livro temos um foco maior na preparação para a guerra e no retorno dos seis para Geall. Os personagens estão cada vez mais unidos e terão que enfrentar situações muito difíceis nessa fase.


O foco romântico desse volume é a Blair e o Larkin. Os dois são opostos completos, coisa bem característica da Nora. Ela é prática, focada e tem um estilo "lobo solitário de ser". Ele é um ser mágico, divertido e esta decidido a ter uma família com ela.




Gente, sei que é feio da minha parte fazer isso, mas eu sempre acho os dois tão parecidos com a Eve e o Roarke! Claro, reserve as proporções mágico-sobrenaturias, temporais e milhonárias, Blair e Larkin não são tão insanos como casal quanto minha dupla futurística favorita?


Sempre adoooorrro quando a Nora faz isso, junta personagens opostos com um envolvimento tão bem estruturado que não te permite dizer "Não tem como esses dois ficarem juntos"!

No batalhão Vampiros do Mal, temos um outro lado da coisa terrível, malvada, malvada, sai-pra lá, cão, praticamente avó da Odete Roitman! da Lilith.


Esse livro traz várias cenas da Lilith "em família". Com o filho e a "esposa" ela é, pasmem, doce. Claro, você tem que levar em conta que ela é uma vampira muito do mal, praticamente o cão-chupando-manga de saias, mas na visão dela do que é família e dos direitos supremos que ela tem sobre o mundo, ela consegue ser amorosa com a própria família. Ela brinca com o filho (de um jeito iouque de ser), dando... brinquedos pra ele (pessoas vivas para ele brincar de pega-pega e coisas do gênero), divide as maravilhosas descobertas do mundo mágico com a Lora (a cena do espelho é maravilhosa!) ao mesmo tempo que planeja o fim de todos os mundos.

Eu já tinha lido a trilogia, por isso não me incomodei e dar um espaço entre os três livros.


Mas, para quem vai lê-los pela primeira vez, eu aconselho a ler os três em sequência.

Se for lê-los separados, vai acabar parecendo que a trilogia é meio... morna, já que tem muito treinamento entre as lutas.

Agorraaa, se pegar os três volumes para ler juntos, aí é uma v-i-a-g-e-m alucinante pela mente vampiresca/faérieca da Norinha.


Leia a resenha de "A Cruz de Morrigan".

Recomendo!


Sinopse: O Círculo dos Seis se prepara para a batalha final contra o exército escuro da vampira Lilith. Na Irlanda, um círculo de pedra serve como um portal e deve levá-los para um lugar e tempo antigos.


É no Geall que todos encontraram seus destinos: O Feiticeiro, A Bruxa, O Erudito, Aquele Shifter e Aquele que Foi Perdido. E quando sua coragem é testada, seus corações estarão unidos como nunca antes...

 

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Resenha #187 - Nora Roberts - Megan

Oie Gente!


A resenha de hoje é do quarto livro da coleção "As Irmãs Calhoun" e conta a estória de Megan, irmã do Sloan e que aparece no livro da Amanda quando o passado da Suzanna veio a tona.


Ela chega com o filho, Kevin, para morar nas Torres e trabalhar na nova pousada. Teve uma grande desilusão amorosa quando era muito nova e não confia nos homens e nem mesmo quer um novo amor.


Até que ela conhece Nathaniel. *pausa para os suspiros*. Ele é um ex-marinheiro que já morou na ilha quando criança e que voltou para lá depois de muitos anos fora.
É o ex-marinheiro-durão mais fofuxo de todos os tempos!


Ele se encanta com ela e vai ter que lutar uma batalha enorme para convencer a Megan que foram feitos um para o outro!


Esse livro foi o que eu mais gostei da série, já que a Nora conseguiu equilibrar perfeitamente o clima místico com a realidade.


 O contraste entre o clichê da mulher-magoada-fechada-para-o-amor com a suavidade da Megan é apaixonante.


 Assim como a docilidade e violência extremas das quais  o Nathaniel é capaz.


Ah, o parágrafo a seguir contém um spoiler. Só selecione o texto depois da seta se quiser lê-lo!


Tem uma cena em particular, onde ==> ele e a Megan estão deitados juntos e ele está enlouquecido de tesão, tentando conter sua necessidade por não querer machucá-la. Ele acha que, por ser um homem enorme e ela uma mulher minúscula, seu arroubo de paixão acabará por machucá-la e ele precisa defendê-la contra isso.


Não tem como não se apaixonar por esse livro.


Já tinha gostado dos dois primeiros, ficado encantada com o terceiro. Aí caí completamente apaixonada pelo quarto.


Recomendo!


Sinopse: Megan O'Riley não poderia ser mais grata. Ela e seu filho haviam sido aceitos pelas Calhoun e recebido a oportunidade de construir uma vida nova. Faltava apenas deixar para trás o passado que tanto a envergonhava, abraçar o presente e se tornar mais confiante no futuro. Afinal, ainda que seus dias agora fossem embalados por uma nova melodia, Megan ainda se sentia insegura para se despir de sua couraça profissional e deixar sair do casulo a mulher adormecida havia tantos anos por conta de um amor traiçoeiro... e do amargo fim de uma ilusão.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Resenha #186 - J.D. Robb - Imitação Mortal

Oie Gente!!


Inaugurando a nova plataforma do blog, vamos a um dos posts super atrasados do Mês Especial da Norinha!


A de hoje é a de Imitação Mortal, 19 livro da série.


Comooo sempre, antes de resenhar, preciso comentar sobre a tradução.


Vocês lembram que eu reclamei da tradução de Retrato Mortal e que amaldiçoei até a 20º geração do Renato/Bertrand/Quem-Quer-Que-Tenha-Feito-Aquilo, né?


Então eu fui ler Imitação com os dois pés atrás, um maço de arruda na mão e muita reza braba pra Nossa Senhora do Santo Conteúdo Literário.


Precisei de muita coragem para abrir o livro, porque a ideia de passar o estresse que foi “Retrato Mortal” me desanimava na leitura.


Aí me veio uma grande, enorme surpresa.


A Bertrand/Renato/Quem-Quer-Que-Tenha-Sido resolveu atender nossos pedidos nada discretos para que os textos dos nossos livros fossem preservados e nossos personagens favoritos tivessem as exatas características e excentricidades que a autora escolheu lhes aplicar.


Tinha Eve xingando pra tudo quanto é gosto, Roarke sendo curto e grosso, policiais sendo marrentos, ladrões sendo mal educados e tudo entre isso.


Tradução: a Bertrand optou por deixar todos os palavrões do texto original, fazendo nós, viciadas que lemos a série toda em inglês, muito feliz!


*pausa para a reverência para a Bertrand*


Se você leu até o quarto livro da série, pode continuar a leitura que é spoiler free. Se você não leu os quatro primeiros, não continue. Existem spoilers dos livros iniciais da série.


Agoraaa, vamos ao que você vai ler na estória!


Imitação Mortal tem a série mais sangrenta de todos os livros da série Mortal. Ele deixa pequenos bilhetes para a Eve, fazendo da investigação um jogo de gato e rato.


Vocês se lembram do que aconteceu com o Roarke no livro passado, certo?


Em Imitação ele ainda esta lidando com as descobertas e você percebe que ele esta um pouco perdido. Por conta disso a Eve resolve esconder algumas informações dele e, adivinha só? Acaba em um Roarke muito irritado.


Finaaaaalmente chega a cena antológica do encontro da Eve com a filha da Dra. Mira. Gente, eu a-d-o-r-o a saia justa da Eve. É impossível não rolar de rir com o pavor dela quando pega um bebê no colo.


Melhor que essa cena, só a briga do Roarke com a churrasqueira maldita!! É absurdamente cômico vê-lo perder as estribeiras com a máquina! Ele fica tãooo normal! S2*eu sei, eu sei, eu sou ruim, né? Mas preciso deixar vocês curiosas(os)!!)


Eu iaaa esquecendoo!! Ainda tem uma supernovidade envolvendo a nossa querida Peabody! É maravilhosa e todo mundo vai terminar a leitura com água nos olhos!


Deu pra entender que vão encontrar de tudo nesse livro, né?


Tem uma maravilhosa investigação, tem a Eve pagando mico, tem o Roarke perdendo pra máquina e tem a Peabody deixando todo mundo encantado!


Se você já gosta da série, vai gostar ainda mais depois desse livro.


Se não gosta, tá esperando o que para ler?


Corre aqui e confere as outras resenhas!


Slán tamall!!


 Sinopse: Verão de 2059. Um homem usando capa preta, bengala e cartola se aproxima de uma prostituta em uma rua escura de Nova York. Minutos depois, a mulher está morta. Um bilhete é deixado na cena do crime, endereçado à tenente Eve Dallas, convidando-a a participar de um jogo de gato e rato a fim de descobrir a identidade do assassino. A assinatura no bilhete é, simplesmente, “Jack”.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Resenha #66 - Nora Roberts - Volta ao Lar

Oie Gente!!

Essa resenha tinha sido postada originalmente em junho do ano passado, mas o blogger, por algum motivo que me escapa, deletou ela do blog...
Foram mais de oitenta resenhas deletadas e todo o arquivo de 2010 está bugando e dando como página não encontrada..
Vou reblogar todas as que eu reencontrar, começando por "Volta ao Lar", já que é pra estrear o mês da Norinha!
***

Volta ao Lar é o conjunto de três estórias independentes que tem uma coisa em comum: são lindas e sofridas!

Concerto InacabadoQuando terminei de ler Concerto Inacabado coloquei o pai da Vanessa na lista dos "personagens que mais odeio no mundo!"
Que criatura mais... mais... revoltante!As cenas da Vanessa com a mãe são de cortar o coração.
Ver as duas desejando falar o que sentem e cada uma presa a um medo e uma mágoa, nossa!

Agora, as cenas dela com o Brady... aiii... chegam a soltar faíscas!! Seja na hora que eles estão brigando ou na hora que o romance está no ar...
A cada nova "armação" do pai dela que era descoberta eu detestava mais ele e mais e mais torcia para os personagens.
As coisas que ele fez com ela, com a mãe dela e com o Brady são terríveis!
Esse é um daqueles livros super românticos, fofos e que fazem você torcer pelo final feliz desde a primeira página.
Temos a participação super especial de Sua Alteza Real, Gabriella Bisset!
Os personagens secundários completam a trama, seja com a divertida irmã do Brady ou com o Dr.
O final do livro é encantador, mas que ficou o desejo de *esganar* o pai dela, ah, isso ficou!

Ilha das Flores

Ilha das Flores é daquelas estórias que te cativam desde o início. 
Como todo bom romance da Nora, tem uma personagem revoltante. Se em Concerto Inacabado era o pai da Vanessa, em Ilha das Flores é a mãe da Laine.
Você descobre cada maldade no decorrer do livro que dá aquela vontade enlouquecedora de arrancar as páginas ou dar com o livro na parede.
Mesmo sentimento que você tem com o Dillon, quando ele simplesmente não consegue ver a verdade e acredita em todas as besteiras que aquela havaiana sem vergonha conta pra ele.
Revoltante!
O livro tem cenas lindas, com paisagens deslumbrantes, daquelas que deixam qualquer um louco de vontade de conhecer!

Sem Promessa, Sem Compromisso

Adoro livros com um "Q" de magia!
Só isso, normalmente, já basta pra me empolgar.
Mas abrir o livro e encontrar o David Brady... ai, ai, foi a cereja do meu bolo!
É um personagem forte, que não tem medo de dizer o que pensa e o que quer.
Ele bate de frente com a Aurora quando percebe que ela está escondendo algumas coisas, fazendo o livro ficar divertidíssimo!

É um livro romântico, mas bem dramático. Se você for ler, prepare-se para as lágrimas. 

Sinopse: Concerto Inacabado
Ao retornar à sua cidade natal após excursionar 16 anos pela Europa como concertista, Vanessa Sexton reencontra Brady Tucker, seu primeiro amor, e descobre que o adolescente rebelde se tornou um pilar para comunidade.


Ilha das Flores
Quando Laine Simmons vai para o Havaí visitar seu pai, que não via há 15 anos, ela conhece o novo sócio dele, o charmoso Dillon O’Brian. E ele está decidido a desmascarar Laine.

Sem Promessa, Sem Compromisso
A cliente mais especial de Aurora Fields é convidada para participar de um documentário sobre paranormalidade produzido por David Brady. David e Aurora logo sentem uma atração irresistível. Mas antes de se entregarem à fogueira da paixão, terão de enfrentar a revelação de muitos segredos que mudarão suas vidas para sempre.