segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Resenha #232 - Suzanne Enoch - Marido Por Encomenda

Oie Gente!


Hoje é dia de Maratona de Banca e a escolha para o mês de Janeiro foi Romance Histórico. (certo, eu sei, estou mais atrasada que pagamento de dívida pública, mas esse mês foi uma loucura e todas as minhas leituras ficaram paradas!)


Como vocês bem sabem, não sou lá muito fã do gênero (a culpa de todo esse receio é da Diana Palmer, mas isso é outro papo) e por isso sempre tenho uma dificuldade enorme lendo qualquer coisa dele.


Fiz a escolha baseada na autora e... pimba, peguei o segundo livro de uma série. Aí, bom, como não dava para ler o segundo livro sem ler o primeiro, resolvi ser cara de pau e troquei a escolha para janeiro da Maratona.


Adoro a Suzanne Enoch. A série Samantha Jellicoe, de autoria dela, é uma das minhas séries de banca favoritas. Li ela ainda em inglês, muito antes de sair no Brasil.


Quando soube que a autora também tinha romances históricos, fiquei curiosa, mas o receio com o gênero me fez adiar a leitura. Aí veio a maratona, a indicação e arrumei um motivo justo para me impulsionar e matar a curiosidade.

Minha implicância com históricos diminuiu muito depois que comecei a ler uma série da Samantha Kane, que apesar do enredo super alternativo, tem uma pesquisa história muito, muito boa.


Marido por Encomenda, primeiro livro da série Griffin, é exatamente o oposto do que eu imaginei que fosse ser. Sim, sim, meu preconceito sempre fala mais alto quando vou começar um histórico e sempre fico com a impressão de que vou achar o livro chato, que nada vai me agradar nos personagens, etc, etc, etc.


Não que o livro seja um primor de estória, mas ele é bem divertido. Apesar de não ser uma grande conhecedora do gênero (isso é especialidade da Tonks), posso dizer que os dois não são um perfeito exemplo de personagens da época da Regência.
Mas dessa vez nada disso foi assim. Eleonor e Valentine são absurdamente malucos. Ele é um devasso, um libertino completo que adora escandalizar Londres. Ela é uma moça de família rica que se rebela contra o irmão para ter um pouco de liberdade. Mal sabem os dois, mas vão acabar unidos e metidos em grandes problemas!


Para uma pessoa que ainda não tem exatamente um grande amor pelo gênero, toda vez que leio um histórico que me agrada e me diverte é uma grande surpresa.
Não acho que eu vá me tornar uma aficionada pelo gênero, mas ao menos agora consigo me divertir com ele. [risos]


Beijos!


Sinopse:  Eleanor Griffin sabe que um dia terá de se casar, mas até que esse dia chegue, ela quer flertar e namorar, como qualquer outra jovem de sua idade. Entretanto, temeroso de que a irmã se envolva em um escândalo, o duque de Melbourne pede a seu melhor amigo, Valentine, que fique de olho na espevitada Eleanor... Não poderia existir, em toda a Londres, um acompanhante menos qualificado do que Valentine Corbett, um homem tão libertino e devasso quanto bonito e atraente. Um conquistador incorrigível... e por quem Eleanor é apaixonada desde menina! 

3 comentários:

  1. O que são 6 dias de atraso? rsrsrs Nadinha! Também não sou muito fã de históricos, só se for de minha autoras preferidas. Não conhecia essa autora, mas achei o título engraçado. É ótimo quando não esperamos muito do livro e ele nos surpreende. Já quando o contrário acontece... Deixa pra lá!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Fabrica dos convites6 de fevereiro de 2012 12:25

    Eu já tinha lido uma outra resenha deste livro e ele assim como a sua já tinha me chamado atenção. Mais um pontinho para o livro.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. Oi Bá!

    Menina, faz tempo que não leio um romance histórico...

    Mas não é por gosto, é por falta de tempo mesmo rsrrsr

    Bjs

    ResponderExcluir