segunda-feira, 30 de abril de 2012

Resenha #264 - Lionel Shriver - Precisamos Falar Sobre o Kevin

Oie Gente,


A resenha de hoje foi bem complicada de sair da cabeça e vir para o papel.
O livro foi muito difícil de ler, já que o fala sobre os sentimentos, dúvidas e falhas da mãe de um sociopata.
É difícil também escrever sobre ele, já que Eva nos faz passear por várias fases de sua vida.


Seu amor pelo marido, sua necessidade contraditória de ter um filho, suas dúvidas e medos de mulher.
Em vários momentos você vê que ela assume claramente seus erros, mas você também a vê se esforçando para acertar.


Os textos do livro são cartas que ela escreve ao marido, Franklinh, cheios de detalhes que ela resolve compartilhar com ele, agora que ele não está mais lá.



Eu já havia lido obras com temas complicados, alguns bastante desconcertantes, mas "Precisamos Falar Sobre O Kevin" foi algo assim... incomparável.

As cartas da Eva para o marido relatam erros, escolhas e dúvidas que são muito difíceis para qualquer um assumir que os cometeu ou as teve em qualquer momento da vida.

É tudo muito intenso, cru, e eu acabei precisando de várias pausas durante a leitura dele.


Ao final da leitura eu não sabia dizer se tinha amado ou odiado o livro.

Ele me causou reações tão divergentes, tão confusas, que até agora, enquanto resenho, tento entender o que senti.


A Eva é, afinal, mãe de um sociopata. O filho dela, aquela pessoa que segundo os padrões de comportamento humano, é a pessoa que ela mais deve amar no mundo, causou à ela dores terríveis. Sofrimentos que ninguém deseja que uma pessoa tenha.

Aí você vê essas coisas acontecendo e começa a se preparar para odiar o Kevin completamente e ficar totalmente a favor da Eva. Pensa e tem absoluta certeza de que nada, nadinha, que ela poderia ter feito pode ter influenciado o monstro que o filho dela virou.

Nesse momento vem a autora e te passa uma rasteira, com cenas chocantes. Algumas, com o Kevin ainda bebê, faz você se perguntar se ele nasceu sociopata ou se ele se tornou um.

Não vou dizer que entendo de sociopatia ou até mesmo que fui pesquisar a fundo sobre o assunto, porque não fui.

Sei que a tendência está lá, desde a infância, mas realmente não sei o que faz a pessoa desenvolver a sociopatia e virar, por um exemplo, um serial killer. Não sei se existe uma pessoa que seja "sociopata" mas que não entre naquela figura estereotípica da palavra e, sinceramente, não estou preparada para saber.

Só posso dizer que apesar de tudo, valeu muito a pena enfrentar as profundidades desconcertantes do texto.





Recentemente o livro foi adaptado para o Cinema e, eu confesso, estou totalmente dividida entre assistir ou ignorar.

Se a adaptação for metade tão intensa quanto o livro, não sei se aguentaria assistir até o final.


Beijos!


 

Um comentário:

  1. [...] vocês já leram “Precisamos Falar Sobre o Kevin“, também da Lionel Shriver, sabem que ele é inquietante, com todas aquelas reflexões da [...]

    ResponderExcluir