segunda-feira, 4 de novembro de 2013

In Death Comenta #08 - Tablet ou E-reader. O que comprar?

Oie Gente!indeathcomenta


Hoje resolvi fazer um post comparando um tablet e um e-reader, já que vi muita gente dividida na hora de comprar. Qual o melhor para ler? Quem tem melhor custo benefício?
Escolhi alguns pontos importantes para avaliar, características que eu acho superimportante ao escolher o que vou comprar.
Eu utilizei os mesmos critérios de avaliação para os dois, independente da função principal deles, assim vocês têm uma ideia real do que encontrarão.


Os dois dispositivos utilizados para os testes foram:



Modebo do Tablet: iPad 4, 64 Gb.



Modelo do E-reader: Kobo Glo, memória expandida de 8Gb.



Formatos suportados: Tanto o Kobo Glo quanto o iPad suportam todos os formatos de e-books existem no mercado, incluindo os bloqueados com DRM.
A vantagem do iPad sobre o Kobo, nesse critério, é que o PDF abre perfeitamente no Tablet, aumentando de tamanho da fonte com alguns movimentos simples, enquanto no E-reader ele só funciona com o zoom do dispositivo, o que faz você precisar arrastar a página de um lado para o outro para ler.
Já todos os outros formatos funcionam igualmente bem nos dois dispositivos.


Bateria sem conexão ativa: Nesse quesito o Kobo Glo ganha do iPad de lavada. A bateria dele dura uma média de 16 dias, para quem lê algumas horas por dia, utilizando a iluminação o tempo todo.
O iPad, mesmo com todas as conexões desligadas, o máximo que consegui render foi algo perto de 12 horas. Mas confesso que estava ouvindo música enquanto lia, então a minha precisão não foi tão perfeita assim.


Bateria com conexão ativa: Já se você ativar as conexões de internet dos dispositivos, aí o iPad vai deixar o Kobo Glo bem para trás. Ela dura aproximadamente 10 horas com uma navegação ativa, enquanto no Kobo Glob ela não durou nem mesmo 5 horas. Quando você ativa a Wi-fi do Kobo Glo a bateria descarrega tão rápido que você consegue acompanhar a bateria descarregando.
Se você apenas ativar a Wi-fi no Kobo, sem sincronizar nada ou tentar navegar na rede ela durará bem mais, mas ainda assim não durará tanto quanto a bateria do iPad.


Leitura noturna: É possível ler no escuro com os dois dispositivos, mas o Kobo Glo ganha nesse critério por que a iluminação dele não irrita os olhos. O grande truque é a tela imitando papel, que deixa a leitura bem suave.


Já no iPad é como tentar ler no computador com a luz apagada. Você até consegue, mas depois de algumas horas você acaba tentado a arrancar os próprios olhos de tanto que eles estão ardendo.


Funções: Acho que essa é a principal característica que definirá qual dos dois dispositivos você comprará. Se você quer um dispositivo apenas para ler, vá de e-reader. Ele é leve, prático, discreto e perfeito para ler. Se você quer um dispositivo que faça muito mais do que isso, aí você precisa de um tablet. Apesar dos e-readers mais simples virem como navegadores, o sistema deles não foi projetado para navegação. A tela não é colorida e como eu disse no post sobre o Kobo, o sistema de links dele é péssimo.
O Kobo também não aceita a instalação de outros aplicativos, então não é possível usar ele para ouvir música ou jogar.
O iPad não tem essa restrição. Tendo sido projetado para ser um finíssimo computador, você navega, joga, ouve música e lê, tudo-ao-mesmo-tempo-agora.


Só que você também precisa saber onde você vai usar o dispositivo. Ler num e-reader, que é pequeno, tem uma aparência bem mais discreta, chama bem menos atenção do que ler num tablet, que normalmente tem entre 7 e 10 polegadas e um design feito para chamar a atenção.


Peso: O Kobo é infinitamente mais leve que o iPad, então para quem vai passar horas e horas lendo é muito mais confortável ler nele do que no iPad. Já experimentei passar um dia inteiro lendo no Kobo e um dia inteiro lendo no iPad e na segunda experiência eu precisei apoiar o iPad em algo em vários momentos. O Kobo é tao leve que você quase não percebe que está com ele na mão, o que não cansa o braço.


Mobilidade: Achei muito mais fácil serelepear por aí carregando o Kobo do que carregando o iPad. Primeiro porque o Kobo é bem mais leve e não transforma a minha bolsa em um peso pesado. Segundo porque dá um certo pavor andar com um iPad dentro da bolsa, se perguntando todo segundo se tem algum ladrão com visão de raio X pronto para rouba-la e deixar você com a dívida.
Apesar de ser terrível dizer isso, se falta de segurança for um assunto frequente na sua vida eu não aconselho a comprar um tablet para serelepear pelo mundo. Como o Kobo é bem menor esconder ele na roupa/bolsa/mochila é muito mais simples do que um tablet de 10 polegadas.


Tamanho da tela: A tela do Kobo Glo mede 6 polegadas e a do iPad mede 10. Para ler eu não vejo defeito na tela pequena do Kobo, já que eu consigo deixar a fonte do tamanho que eu quiser e a página do epub se expande para acomodar o texto perfeitamente.
Já se você estiver lendo em PDF, aí a tela de 10 polegadas do iPad ganha de lavada. Como o PDF não é editável e você não pode alterar a fonte dele, ter mais espaço para a página é sempre melhor.


Livrarias próprias: O Kobo tem a Livraria Cultura e o iPad tem a iTunes Store e nos dois você consegue comprar direto pelo dispositivo. Os preços da Livraria Cultura são bem melhores e eu prefiro o acervo deles, mas você consegue se divertir bastante na iTunes Store, além de vez ou outra ganhar um presentinho da Apple.


Títulos disponíveis: Aqui os dois empatam e desempatam o tempo todo. A Kobo tem um acervo infinito de livros, com preços maravilhosos (como eu já disse). Sejam eles em português, inglês, espanhol ou francês, falou em comprar e-book, falou em Kobo.com. Você também pode comprar os ebooks em qualquer outra livraria e enviar para ele por USB, lendo formatos epub (com ou sem DRM), PDF, Mobi e HTML sem problemas.
Aí você pensa que eu vou dizer então que o Kobo é melhor, só que o iPad empata a disputa ao permitir que você compre qualquer livro, diretamente por ele, em todas as livrarias virtuais do mundo. A livraria da Apple tem preços terríveis ( US$ 14,00 em um e-book? Sério?), mas a Kobo, a Amazon, a Barnes and Noble, a Saraiva, etc, tem aplicativos para iPad que permitem que você compre e baixe os livros automaticamente, sem precisar conectar ao computador para fazer o download.
Então no quesito títulos disponíveis os dois empatam e não servem mesmo para definir qual deles você vai comprar. rs


Compras nas livrarias: Aqui a coisa complica um pouco nos dois. O Kobo permite a compra direto pelo dispositivo, bastando você conectar na Wi-fi, logar na sua conta da Livraria Cultura e ter um cartão de crédito cadastrado lá para comprar. Os livros são vendidos em Real, então você sabe quanto ele custará de fato.
Eu não tive como testar o pagamento via Pay Pal pelo Kobo, mas pelo site da Kobo é possível pagar através dele.
O iPad também permite que você compre direto no dispositivo, mas só com cartão internacional e em dólar. O que quer dizer que você pagará vários impostos sobre a compra e que se o dólar subir, bom, você acabará com um prejuízo daqueles!


Preços dos dispositivos: Beeemmm... aí existe uma grande diferença entre os dois. A média de preço de um tablet realmente bom é R$ 1500. O iPad mais barato, por exemplo, é o iPad Mini de 16 Gb, que custa nada mais nada menos que R$ 1199,00. O mais completo, o iPad 4 64 Gb 4G, custa R$ 2.099,00 (bem mais barato do que quando eu comprei, arf). Já os e-readers disponíveis no mercado brasileiro são bem mais baratos.
O Kobo Glo, vendido na Livraria Cultura, custa R$ 479,00.
O Kindle Paperwhite, vendido na Ponto Frio, custa os mesmos R$ 479,00 na sua versão com Wi-Fi.
O e-reader mais caro que eu encontrei para vender no Brasil custa quase a metade do preço do iPad mais barato sendo vendido. É o Kindle Paperwhite com 3G, que custa R$ 699,00 também na Ponto Frio.


Hardware: Essa é uma disputa injusta, mas necessária. O Kobo (e a maioria dos outros e-readers) tem processadores de 1 Ghz, o que não é ruim. Alguns anos atrás um computador com um processador era top de linha, mas mesmo sabendo disso não tem como como comparar ao dual-core AX6 que vem no iPad. A velocidade de mudança nas páginas (já que estamos falando de um teste para leitura) é incrível. Não vejo um defeito no Kobo, mas não dá mesmo para comparar a velocidade dele a velocidade de mudança de página no iPad.


Sistema de leitura: O Kobo possui um único sistema de leitura, que abre todos os arquivos utilizando o mesmo padrão. Já o iPad permite você escolher que programa você deseja utilizar para ler. Eu testei os aplicativos do Kobo, iBooks, Adobe Reader, Kindle, Livraria Saraiva e cada um tem uma característica própria e um sistema de organização. O grande problema que você acaba esquecendo que livro está onde e as vezes leva um tempão para achar o que você está querendo ler.


Então se o preço é um fator importante e você quer o dispositivo principalmente para ler, tem um computador em casa, compre o e-reader que você não se arrependerá.


Transferência de arquivos: Aqui o Kobo é bem mais simples para a transferência off-line. Basta você conectar o cabo ao computador, copiar e colar os arquivos e pronto. No iPad é preciso conectar, abre o iTunes e transferir através dele para o programa que você deseja usar na leitura.
Já na transferência online o iPad é bem mais simples. Abriu a livraria, comprou, baixou e pronto.


Bom, acho que esses são os principais pontos de comparação entre os dois tipos de dispositivos e apesar de algumas particularidades, você pode aplicar as informações para quase todas as marcas disponíveis no mercado.
Se alguém tiver alguma pergunta específica é só postar aí que eu faço o teste e respondo!


Beijos!

12 comentários:

  1. Oi, Ba.

    Peço mil desculpas por não ter enviado o texto que pediu.

    Desde aquela vez, me aconteceram tantas coisas pessoais, fora o tempo escasso por conta das revisões, que ando trabalhando está complicado demais.

    Mas o que eu iria falar era mais ou menos isso. Você colocou muito bem, já que testou os dois.

    Agora meu sonho de consumo é um Kindle ou Kobo, mas ainda paira a dúvida. Por enquanto fico com o iPad mesmo.

    Ficou ótimo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Bárbara! Adorei o post. Tirou várias dúvidas que eu tinha.
    Acho que vou comprar um kobo. Pela praticidade, por ser mais leve, por ser apenas leitor, por ser mais barato, haha. Enfim, kobo forever. HAHAHAHA
    Obrigada por explicar tudo direitinho.


    Beijo,

    ResponderExcluir
  3. Oie Fê!


    Ah, que bom que tirou algumas das suas dúvidas! rsrs
    Eu fiz o post pensando justamente nisso. =D


    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oie Carlinha!


    Que isso, flor, eu te entendo! =D
    Acabou de deu tudo certo, já que era mais simples ter os dois equipamentos para fazer os testes hehehe


    Bjus!

    ResponderExcluir
  5. :)



    Outra dica: Sempre diminuo a luminosidade do meu tablet (um fator que faz a bateria durar bem mais) e deixo a leitura em sépia que não cansa a vista. :)


    O que realmente me irrita são alguns aplicativos de leituras que são horríveis e detesto como o Saraiva Reader (até agora não descobri como passar os arquivos p/ um leitor que eu goste. Prefiro mil vezes os app iBooks e o Kindle.

    ResponderExcluir
  6. Como você põe em sépia?


    Ah, pra por nos leitores você tem que conectar o itunes, ir em "neste ipad", depois em "aplicativos".
    No final da página tem a lista de aplicativos instalados no ipad. Aí você marca o aplicativo que você quer adicionar conteúdo, vai aparecer um botão "adicionar" e você consegue adicionar conteúdo. =D


    Bjus!

    ResponderExcluir
  7. Para colocar o sépia nos aplicativos:

    iBooks:

    — Abra o livro em questão;
    — Clique no botão superior direito (aA) e clique em TEMAS, escolhendo a opção Sépia.

    Kindle:

    — Abra o livro em questão;
    — Clique no botão superior esquerdo (aA) e clique em Sépia.



    Simples.



    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Já que eu adoro dar pitaco hahahahah e eu sou geek tb e apple lover , vou te contrariar .... dá para transferir arquivos para o iPad só copiando em colando, sem o iTunes.

    Um exemplo é o media monkey que existe para ruindows ;) Com ele vc só arrasta qq coisa para o ipad, ipod, iphone.

    E o Kobo eu achei uma porcaria para ler os arquivos em pdf, já em epub ficam maravilhosos. E Ele lê mobi? Nem tinha visto isso. kkkkk

    Pena que aqui não tem o Sony reader à venda na Sony store, pq esse sim lê tudo, inclusive pdf e tem o Reader Store que dá um show nos preços, mas como o leitor não é vendido aqui, a loja tb não é disponível no Brasil.

    Fora isso, comparar iPad com Kobo é sacanagem, né? De qualquer forma, quem quer ler livros e não ser assaltado , o Kobo é bem mais indicado. O Kindle eu achei muito restritivo.

    bjks

    ResponderExcluir
  9. O stanza era excelente para ler ebook, já deixava o fundo amarelado, mas acabou. Saiu em setembro da app store.
    Por outro lado, tem o Bluefire reader. tem para iOS e Android. é Gratuito e tem várias funções para deixar a leitura agradável e regulagem de fontes e transição de páginas. Vc pode ler ebook com ou sem drm. É perfect!
    Eu vivo testando essas coisas por conta dos ebooks que diagramo... bjksss

    ResponderExcluir
  10. Oi, Bárbara:
    Como sou um devorador de livros de papel (mas prestes a estender meu braça a um Kobo), me tire uma dúvida: revistas e jornais (como os vendidas no iba) podem ser lidas no Kobo?

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Desculpe a demora em responder, estava viajando a trabalho. Olha, eu nunca tentei ler nele. O pior é que eu não tenho mais assinatura do Iba para testar... Você tem algum arquivo que possa conferir qual o formato dele? Assim eu posso ver se funciona.

    Bjus!

    ResponderExcluir