quinta-feira, 31 de julho de 2014

In Death por Anne Magno #02 - Nora Roberts - Álbum de Casamento

Olá leitoras vorazes do In_Death, estou chegando na #Tel@!


álbum de casamento


Há alguns meses fui convidada pela chefinha do blog a participar de um evento literário em nossa cidade, e em seguida recebi a grande honra de ser convidada para resenhar também para o mencionado e amado blog. Vocês nem precisam cogitar qual foi a minha resposta, receber (mais) livros e poder escrever livremente sobre os mesmos, é para deixar qualquer bookaholic feliz da vida.


Bom para quem não me conhece de resenhas ou eventos em Belém (ou de bienais), lá vamos nós, meu nome é Anne, sou uma Assistente Social apaixonada pela profissão e especializada em grupos familiares e politicas públicas, concurseira de plantão, uma bookaholic romantizada, artista plástica quanto inspirada, K-doramaniaca sempre que dá tempo de baixar ou assistir (ou meus ´oppas` estrelam um novo dorama), e colaboradora de blogs literários como o Garota Pai D´egua e agora o In_death. Resolvi fazer um autoteste como resenhista nova no pedaço, meter a cara escrevendo sobre uma das autoras mas amadas pela Bah, a então máquina de best-sellers, Nora Roberts. A ´´dona da casa`` disse que eu tinha passe livre para escrever, então lá vamos nós.


A resenha de hoje, fala sobre uma das novas séries dela chamada ´´o quarteto de noivas``. Este foi o meu primeiro contato com a autora em questão, e devo admitir que já tinha ouvido muito sobre a mesma, mas quando parei para pesquisar sobre suas obras, fiquei um pouco intimidada, ou no mínimo assutada quando vi quantos livros essa diva literária já havia escrito, e resolvi esperar um pouco mais ou uma indicação literária mais insistente, eu sei…eu sei…Noraholics me perdoem e não me odeiem.


Mas como eu já sabia que se tratava de uma ótima autora, e quem me recomendou (já tinha babado horrores sobre os livros dela) e me deu o livro é muito (Leia-se: muito, muito, muito…) fan dela, me deixei cair em tentação, e li (que rufem os tambores) o livro álbum de casamento.


#MOMENTOSURTADA: Não poderia deixar de começar a falar do livro, sem falar do esguiamente feroz, nerdemente sedutor e lindamente estabanado, Carter. Eu simplesmente amo esses Nerds cativantes nos livros, e o Carter entrou para o meu NERD List em 2° lugar, nada menos que isso. Um professor, com mestrado, que resolve voltar a lecionar em seu antigo High School, e que ainda por cima gosta de Austen, assim como clássicos da literatura inglesa, já tem com certeza um espaço no meu coração bookaholic. E ainda por cima ele escreve um livro também, dentro do livro...nhowm.


Achei o livro de uma leitura rápida, e isso por um lado é ótimo, pois em uma tarde que tem tudo para ser chatinha, a leitura desse livro pode transformar sua tarde em um doce (um bem-casado, para entrar no clima do tema do livro) com uma história cheia de altos e baixos, com um quarteto de amigas que você pode se identificar com uma delas, ou porque não, com todas elas em um dado momento de sua vida.


Mas, o lado ruim dele ser rápido, é que você logo que saber o que acontecera com a próxima amiga e você se depara com a triste realidade: É UMA SÉRIE EM ANDAMENTO. Ou seja, você tem que esperar os demais livros serem publicados, é um sofrimento para qualquer coração bookaholic.


Esse livro fala sobre segundas chances, tanto da Mackensie com o Carter, quanto a vida individual deles. Mack é uma fotografa genial que ama o seu trabalho e sua liberdade no trabalho, mas por trás dessa paixão há marcar de uma infância e adolescência marcada pelo que hoje podemos chamar de terrorismo psicológico e afetivo parental…no caso dela, ela sofre desse terrorismo por causa da mãe dela, que tem síndrome de Peter Pan e não quer crescer (já deu para perceber que eu não suportttttttttto aquela vaaaaaca da mãe dela) e fica sempre rondando a Mack, e deixando ela em frangalhos.


Mas ela sempre pôde contar com as suas fiéis escudeiras, Parker, Emma e Lauren, com quem além de dividir os dramas com a mãe, ainda trabalha com as elas em uma mega mansão onde tudo pode acontecer de fantástico, quando se trata em realizar o casamento de conto de fadas.


O carter além de fofamente nerd, também tem que superar alguns entraves de sua vida amorosa e se jogar de vez, se ariscando e expondo para conseguir chegar em quem ele sempre sonhou desde o colégio, a Mack, superando os rotineiros afastamentos dela por causa da mãe, e pelo medo dela. Mostrando que ele pode ser a lente pela qual ela vai poder enxergar uma nova imagem da vida (nossa isso foi quase poético, to inspirada mesmo!).


As desventuras deles dois, eu não consigo descrever de tão cativante, sem contar spoillers, e eu sou contra soltar spoillers assim (posso contar por outras redes sociais, mas não em uma resenha minha! rsrsrs)…mas o Carter (arfandooooooooooooo) é o Carter. Ao mesmo tempo que a Mack dá um passo para trás ele acompanha ela para que não haja um afastamento (novamente) entre eles, e assim eles vão dançando, até queeeeeeeeeee…você vai ter que ler o livro para descobrir!


O livro é super bem escrito, eu amei esse meu primeiro momento com a autora, a sensação que tive foi que estava lendo um livro escrito por uma amiga muito próxima, e achei incrível que ela conseguisse me proporcionar esse sentimento logo no primeiro livro em que tenho contato. Eu não posso me considerar (ainda) uma Noraholics, eu admito, mas eu super indico o livro, e estou muito ansiosa para saber o que vai acontecer com as demais amigas, que serão as personagens principais dos próximos volumes da série.


Fica a dica!


SKOOB -  GOODREADS - EDITORA ARQUEIRO

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Apresentando: Fernanda Karen

Oie Gente!!


Terminando as apresentações, hoje é o dia da Fernanda Karen!


Fêeee! Seja bem-vinda e espero que tu te divirtas muito por aqui!


Nome: Fernanda Karen.


Cidade: Belém/ PA.


Profissão: Estudante/estagiária de Serviço Social.


Estilo preferido: Acredito que existem coisas boas e ruins em todos os gêneros literários, então procuro ler de tudo. Não consigo favoritar um estilo. Sorry.


Estilo odiado: Não odeio, mas leio bem pouco de Auto-ajuda.


Autor/Roteirista que desejas matar: Felipe Neto (Nunca li o livro dele, mas o acho um antipático. Ah, e eu não o mataria; Só aleijaria. Rsssssss.)


Livro/Série que mudaria o final: O início e o meio também da série Hush Hush.


Personagem com quem casarias (vale elf@, vampir@, werewolf, detetive, tenentes, ladrões, etc):


 *Suspira* Não queria parecer promiscua mas já que a questão foi levantada, vou apontar meus principais amores da vida:
Seth Mortensen, da série Georgina Kincaid;
James Carstairs, da série As Peças Infernais;
Fitzwilliam Darcy, de Orgulho e Preconceito.
Ian Clarke, de Perdida;
Adrian Ivashkov, da série Vampire Academy e Bloodlines;
Augustus Waters, de A Culpa e das Estrelas;


Luke-só-pensa-naquilo-Costello, de Férias;


Dentre outros. (GENTE, QUE PERGUNTA DIFÍCIL, VIU.)


Tu sequestrarias __Richelle Mead____ pra escrever só pra ti. (A manteria em cárcere privado - casa, comida e roupa lavada - com muito amor).


Quote favorito: Vou expor o do meu livro folheado da vez:
"... e se assustou com a suspeita tardia de que é a vida, mais que a morte, a que não tem limites." - O amor nos tempos do cólera, de Gabriel García Márquez.


Além de ler/assistir séries, gosta de: Socializar, cinema e dormir.


Enquanto estás lendo preferes: Pessoas no mute.


Coisa que te irrita quando estás lendo: Chamarem meu nome aos gritos. (Minha mãe faz muito isso. PARA, MÃE!)


O que te faz desistir de uma série/um livro?: É super difícil eu desistir de leituras mas quando a narrativa é chata fico desestimulada, então dou um tempo e panz.


Rápido, indique um livro/uma série!: Bloodlines (e isso inclui Vampire Academy!) e As Peças Infernais.


Quente, fervendo ou pegando fogo?: IN FIREEEE!


Drama, comédia ou policial?: Drama/Comédia.


Se fosse possível viver em um livro/série, qual seria?: Perdida, de Carina Rissi. (Livro adorável, ARGH! <3)


No teu futuro imediato está: Estudos acadêmicos com eventuais (ok, frequentes) furadas de filas para livros literários.


Onde mais te encontramos?: Reclamando da vida e surtando por livros (selado!) no twitter: @FernandaKaren (https://twitter.com/FernandaKaren) e nos blogs Nem te Conto (http://nemtecontoblogg.blogspot.com.br/) e Garota Pai D'Égua (http://www.garotapaidegua.com.br/).


Também no instagram e no Skoob

sexta-feira, 25 de julho de 2014

In Death por Lilian Sinfronio #04 - Amanda Brooke - A Escolha do Coração

O seu humano é uma criatura muito frágil, se a gente parar para pensar bem. Nas Imageadversidades, a primeira coisa que o cérebro faz é querer dar pau e apagar tudo, já repararam? Em qualquer crise, o que chamam de surto nervoso nada mais é do que o cérebro ~cretino~ relutando em aceitar ou lidar com algum problema que possa causar dano estrutural. Fala sério.


A única figura a ir contra essa assertiva é uma mãe, reconhecidamente a fera mais indômita que pode haver. Qualquer mulher, por mais frágil que possa ter sido dali pra trás, nunca tem sua fúria ignorada quando o assunto é a saúde e bem estar de sua prole. É uma coisa mais instintiva do que racional, o que prova que somos ligeiramente Frágeis & Irracionais. Mas peraí que essa resenha não está tomando o caminho esperado.


A Escolha de uma mãe entre a sua vida ou a de seu filho nunca parece ser uma dúvida, digo isso como afirmativa hipotética, já que não sou mãe e meu único instinto materno é o canino (e mesmo assim é forte, olha). Tendo que escolher entre seu bem estar e o de seu pequeno bebê não há dúvida sobre qual a escolha, MAS e se essa vida ainda fosse algo a ser  gestado no futuro? E se a opção for viver sua vida feliz sem ser mãe OU ter uma linda bebê mas nunca poder carregá-la? Essa parece ser uma simples questão, para quem nunca teve a experiência de carregar o fruto de nove meses de amor e dedicação antes de ter que abdicar dele.


Os mais práticos certamente não vão encontrar na leitura de A Escolha do Coração uma boa companhia, mas as questões que o livro traz podem ser de grande valor. Saca só, se qualquer um pudesse saber do seu futuro e fazer escolhas mais acertadas a partir do que sabe, alguém aguentaria a responsabilidade das consequências disso?


Eu, sinceramente, acho que ninguém conseguiria brincar de ser Deus... e mesmo assim a maioria de nós gostaria de poder “adivinhar” como a vida termina. Então, basicamente, o que estou querendo dizer é que, todos gostaríamos de saber do futuro mas ninguém conseguiria aguentar o fardo das perdas e ganhos, MENOS uma mãe que estivesse lutando por um filho.


A autora iniciante, Amanda Brooke, trouxe para sua estreia um romance excelente. Nele, Holly, nossa protagonista, vai ter que “viajar no tempo”, conhecer a filha que a aguarda e decidir se vale a pena morrer por ela. Essa nova abordagem de viagem no tempo foi feita de forma suave, tanto que nem achei clichê, e todos os outros elementos de um bom romance estiveram ali – desde o marido perfeito que todas gritam e desejam até aquela senhora amiga e amorosa para todos os momentos.


Um bom mês de julho para leituras, um excelente mês na verdade.


                                             SKOOB -  NOVO CONCEITO - YESTERDAY'S SUN

quinta-feira, 24 de julho de 2014

NEWS: Kindle Unlimited

Oie Gente!


20140724-170944-61784067.jpg
Não sei se alguém por aqui tem conta na Amazon (na loja americana), mas para quem tem, temos uma grande novidade.
O Kindle unlimited é um serviço novo da Amazon de deixar qualquer bookaholic louco da silva sauro!
Por uma assinatura de $9,90 mensais, você tem acesso ilimitado aos ebooks e áudiobooks da Amazon. São 600 mil títulos, minha gente!
Para quem quiser enlouquecer, surtar, entrar em êxtase bookahólico, basta clicar aqui e fazer a festa: http://amazon.com/kindleunlimited


Não, eu não estou recebendo dinheiro para fazer a propaganda... Ela está sendo feito apenas pelo meu surto desenfreado com a ideia de acesso a 600 mil títulos por menos de 30 Dilmas.
Gente, é o preço de um livro, dos mais baratos...
Eu surtei geral e completamente, quando a Garota Pai D'égua me contou isso semana passada.


Tem de tudo lá... Todo tipo de livro...


20140724-170047-61247617.jpg


Eu só testei a loja americana e, pela quantidade de livros dentro da categoria romance, acredito que, por enquanto, só livros em inglês.


20140724-170350-61430323.jpg


Mas estou tentando me conter e lembrar que existe uma vida fora do Kindle, então não explorei tudo ainda.
Se alguém precisar de mais detalhes é só chamar!


Beijos!

sexta-feira, 18 de julho de 2014

In Death por Lilian Sinfronio #03 - Viviana Mazza - Malala - A Menina Mais Corajosa do Mundo

MALALA_1396922418P


Malala é um nome simples, mas hoje reconhecido internacionalmente como símbolo de luta pela liberdade das mulheres, desde o ir e vir até o mais forte de todos, o direito a educação. Durante alguns meses muito se falou dessa menina paquistanesa que foi contra todo o temido talibã pelo direito de ir à escola junto com suas amigas e poder aprender, como qualquer um dos seus irmãos menores.


Para qualquer um que esteja fora do contexto da região, simplificando bastante, rola muito conflito político/religioso por aquelas bandas, onde muito se proíbe e por tudo se mata, principalmente as mulheres, que são proibidas de tudo e renegadas ao desprezo de serem “mu.lhe.res”. Triste.


Malala não foi a única a sofrer as consequências por tentar ter mais do que impuseram a ela. Ela foi sim usada como exemplo para todo o horror que acontece em locais onde a intolerância religiosa é tão forte. Não que essa intolerância seja novidade em qualquer lugar do mundo, mas onde o uso da arma acaba sendo a solução para o conflito, garotas como Malala são o que acontece todo dia, não a exceção.


O livro lançado pela jornalista Viviana Mazza, em 2013, veio junto com toda aquela enxurrada de informações e holofotes sobre a garota Malala, que aos 15 anos foi perseguida pelos Talibãs e sofreu um atentado que quase a matou. No livro, ela reconta a história desde os 11 anos de Malala, quando a menina viu sua escola sendo fechada e sua família e amigos sofrendo restrições e tendo que fugir da violência.


O livro em si é simples, até demais. Acho que esperei demais do título forte, misturado com a expectativa de tudo o que vi do assunto. Queria algo como um estudo profundo do ponto de vista autora, mas o que encontrei foi um relato muito romanceado e simplista da vida e vivências de Malala. Com capítulos curtos e rapidíssimos, a autora toma a liberdade de relatar os pensamentos da adolescente que não se conformou com as castrações impostas por alguns e resolveu que iria falar ao mundo, mesmo que começasse pequeno.


Fiquei um tanto decepcionada em saber do distanciamento da autora e concluir da impossibilidade dela em saciar minha curiosidade. Enfim, o livro traz um olhar simplista porém válido, vai de cada um buscar mais e tirar suas conclusões sobre o que essa garota significou e buscou.


 

*Esse livro foi lido através do Grupo do Livro Viajante no Skoob*


                               SKOOB  - GOODREADS - STORIA DI MALALA

quarta-feira, 16 de julho de 2014

In Death por Anne Magno #01 - A.G. Howard - O Lado Mais Sombrio

Oi, gente como estamos?


O-Lado-mais-Sombrio


A pergunta de hoje, para adentrarmos no livro do dia é: Vocês fazem uma lista (física ou mental) dos dez melhores livros que vocês leram no ano? Ou no semestre?


Bom, eu faço, e em junho tive o prazer de conhecer um dos livros que vão compor minha top #5 (que são os mais mais da top #10) desse semestre.


Não sou muito inteirada sobre a leitura de contos de fadas, e o único contato que tenho com esses são os personagens que encontro em Once Upon a Time (a série) onde os vejo todos juntos e misturados.


Alguém aqui nessa resenha, já leu a história de Alice no país das maravilhas? Pois é, se você leu, parabéns, se não, após a resenha que estou tentando escrever espero no mínimo despertar em você a curiosidade que floresceu em mim sobre o conto de fadas. O livro que provocou toda uma série massiva de quotes no meu Twitter se chama, O lado mais sombrio, escrito pela bibliotecária escolar (cosplay de Alice) A. G. Howard.


O livro pode, assim como não pode, se é que deu para entender, ser considerado uma nova roupagem do citado conto de fadas. A princípio devo admitir que achei a capa do livro meio assustadora.


E no mínimo espera um livro bem macabro, não que ele também não seja...rsrsrs...mas a estória não é bem assim. E observando que parte da minha incoerência textual se dá pela confusão que esse livro me causou.


Como esperado, o livro é inserido no gênero fantástico, com uma colher de chá de romance.


Bom, passemos a resenha, o livro conta a história da Alyssa Victoria Gardner, e ela é nada mais, nada menos que a das bisnetas da Alice que inspirou Lewis Carroll, a escrever o ´´Alice no país das maravilhas``, mas com exceção do cabelo loiríssimo e os olhos que são duas safiras, ela nada tem a ver, ou, pelo menos, prefere pensar assim, com sua antepassada tachada de louca e internada numa casa de repouso antes de morrer.


Considerei a Alyssa uma mistura de gothic lolita e nas horas vagas uma grunge skatista, ela usa drads roxos no cabelo, faz um make tipo gatinha nos olhos, e adora botas, e por aí vai, porque citar algumas coisas na sua aparência ou modo de vestir, até certo ponto também pode ser spoiller.


Ela vive com o seu pai, que é dono de uma loja de materiais esportivos, a sua mãe, após um episódio fatídico na infância da Alyssa, resolveu se internar em uma casa de repouso. Sua melhor amiga ataca de personal stylist para a Alyssa, e o Jeb...a (suspiros melosos) o Jeb!


A história começa quando Alyssa toma uma decisão drástica de parar de fugir da história de sua família, e procurar as ´´cartas`` que estavam faltando no jogo em questão. E para melhorar o humor dela, o Jeb, que ate então é seu melhor amigo, ainda resolveu ir para a Inglaterra com a sua namorada Taylor.


Alyssa literalmente cai na toca do coelho para descobrir (e fugir das realidade, que é: Jeb vai para a Inglaterra com a Tay!), e salvar sua mãe de uma sessão de tratamento de choque. E descobre que tudo o que seus olhos viam e a forma que ela percebia a vida, estava tudo errado, e que nem tudo era o que parecia no espelho.




Top #5 – ALERTA SPOILLER LEVES: o livro entrou para a minha lista, porque eu jamais esperava conhecer uma interpretação do país das maravilhas e seus personagens da forma como a escritora fez. Foi mas aceitável para mim compreender, esse país maravilhosamente maluco nessa nova leitura. Onde o coelho não é tão fofo e branquinho, a lagarta já é uma mariposa, chamada Morpheu, e que ainda por cima é lindo demais. A rainha vermelha já é outra pessoa, a rainha branca sumiu.




Uma das coisas que percebi com o livro, e comecei a aceitar, nos sentido literário, é: pode sim, ser possível amar duas pessoas (caras) ao mesmo tempo, por que o amor toma várias escalas e proporções, como uma escala de cores de Newton.


Morpheu (gritos loucos, desvairados, arfando), consegui ensinar isso para a Alyssa.


O que falar do Morpheu? Ele é a nova forma da lagarta, ele é: lindo, ousado, inteligente, sedutor, valente e sábio. E ele é azul! Com pedras preciosas ao redor de seus olhos, que entregam qualquer emoção que ele possa sentir. Ele ajuda (dando uma nova conotação a palavra!) a Alyssa em sua jornada pelo país das maravilhas, junto com o Jeb, que foi parar lá da forma mais estranha possível.


A história é bem escrita, é cativante, e felizmente parece ter uma continuação, pois segundo minha pesquisa no skoob, se trata de uma série chamada, Splintered, e esse é apenas o livro 01.


O final do livro, apesar de ´´FELIZES PARA SEMPRE`` e isso não é spoiller, tem uma parte bem real, e acho difícil decepcionar o leitor.


Para quem leu o livro de Lewis, fica a dica para novas descobertas in Wonderland, e para quem ainda não leu o sonho de Alice, leia, e também a este livro resenhado, porque você vai achar certas explicações da autora para algumas coisas bem razoáveis, que antes pareciam bem malucas em Lewis.


O que posso garantir, é: você nunca viu através desse espelho para Wonderland.


Fica a dica e até a próxima.


Espero que tenham curtido a resenha, abraços de urso!


SKOOB NOVO CONCEITO – GOODREADS

terça-feira, 15 de julho de 2014

Noraholicando #17 - Nora Roberts - Mar de Rosas

Oie Gente!


Hoje tem mais Nora Roberts!


Dessa vez será “Mar de Rosas”, segundo volume do “Quarteto de Noivas”.


Dessa vez prometo ser um pouco mais centrada: não falar tanto sobre o Carter e falar um pouco mais sobre a série o livro.


Primeiro, os nomes!
O “Quarteto de Noivas” é formado por quatro amigas do estilo “desde sempre”, Mac, Emma, Laurel e Parker. Elas montaram uma empresa de organização de eventos, especializada em casamentos e estão fazendo cada vez mais sucesso.


A Mac é a fotógrafa, Emma a florista, Laurel a chef e Parker é a organizadora-resolvedora-de-crises-etc.
Além dessas quatro loucas, temos o Carter (pausa para gritinhos histéricos), Jack, Delaney e Mal, quatro espécimes masculinas perfeitas, daquele tipo que nós adoramos e desejamos e que, assim que inventada, usaremos uma poção mágica para entrar nos livros e conseguir.


Vocês sabem o motivo de eu adorar essa série? Além do óbvio? É que apesar do nome hiperomântico, ela é tudo, menos água-com-açúcar.
Primeiro porque tem todo aquele enrolar de lençóis, segundo porque temos, bem... coisas como estas acontecendo o tempo todo:




Entraram na cozinha e o caos estava instalado ali.
Enquanto Maureen Grady, a retidão em pessoa, trabalhava diante do fogão, com movimentos eficientes e o rosto plácido, Parker e Laurel estavam paradas uma diante da outra.
– Temos que fazer – insistia Parker.
– Merda, merda, merda.
– Isso é trabalho, Laurel. E no trabalho você faz o que o cliente quer.
– Eu vou lhe dizer o que eu gostaria de servir para essa cliente...
– Pare com isso. – Parker, com o cabelo castanho preso num rabo de cavalo, já estava usando um terninho azul-escuro próprio para as reuniões com clientes. Os olhos dela faiscavam de impaciência. – Olhe, já fiz uma lista das coisas que ela escolheu, com número de convidados, as cores e as flores. Você nem vai precisar falar com ela. Eu vou intermediar.
– Pois vou lhe dizer o que pode fazer com a sua lista...
– A noiva...
– A noiva é uma babaca. Uma idiota. Uma mimada que deixou bem claro, quase um ano atrás, que não queria os meus serviços nem precisava deles. Ela pode se danar, porque não vai sentir nem o cheiro dos meus bolos agora que se deu conta da própria estupidez.
Vestindo uma calça de pijama de algodão, a camiseta que tinha usado para dormir e com o cabelo ainda todo despenteado, Laurel se deixou cair numa das cadeiras da mesa posta para o café da manhã.
– Você precisa se acalmar. – Parker se abaixou para pegar uma pasta, que Laurel provavelmente tinha jogado no chão. – Aqui tem tudo de que você precisa – falou, pousando a pasta em cima da mesa. – Já garanti à noiva que vamos dar um jeito, então...
– Então você cria e prepara um bolo de casamento de quatro andares, mais um bolo para o noivo e uma seleção de sobremesas para duzentas pessoas. Tudo isso de hoje até sábado, sem nenhuma preparação prévia, quando tem três outros eventos no fim de semana e uma festa noturna daqui a três dias.
Com cara de poucos amigos, Laurel pegou a pasta e, num gesto deliberado, a atirou no chão.
– Você está sendo infantil.
– Ótimo, sou infantil.


– Meninas, suas amiguinhas chegaram para brincar – interveio a Sra. Grady, quase cantarolando, num tom de voz exageradamente doce, e os olhos risonhos.
– Ah, ouvi minha mãe me chamar – disse Emma pronta para sair da cozinha.
– Nada disso! – exclamou Laurel. – Escutem só. É o casamento Folk-Harrigan no sábado à noite. Com certeza vocês lembram que a noiva torceu o nariz só de pensar na possibilidade de a Confeitaria da Votos fornecer o bolo ou qualquer sobremesa. Como ela esnobou a mim e a todas as minhas sugestões, insistindo em dizer que a prima, uma chef pâtissier em Nova York, que estudou em Paris e fazia bolos para ocasiões importantes, ia cuidar de toda essa parte. Vocês se lembram do que ela me disse?
– Ah. – Emma chegou um pouco para o lado porque o dedo de Laurel estava apontado bem direto para o seu coração. – Não das palavras exatas.
– Pois eu lembro. Ela disse, com aquele ar de deboche, que tinha certeza de que eu podia perfeitamente dar conta da maioria dos eventos, mas queria o melhor para o seu casamento. Disse isso bem na minha cara!
– O que foi muito grosseiro, sem dúvida – começou Parker.
– Ainda não terminei – atalhou Laurel, entre dentes. – Agora, em cima da hora, parece que a prima fantástica fugiu com um dos clientes dela. Dela, a prima. O maior escândalo, já que o tal cliente, pelo que se diz, conheceu a prima fantástica quando encomendou a ela um bolo para a festa de noivado dele. Agora que ninguém sabe por onde eles andam, a noiva quer que eu salve a festa dela.
– É isso que fazemos aqui. Laurel...
– Não estou falando com você – disse, fazendo um gesto na direção de Parker e se voltando para Mac e Emma. – Estou falando com elas.
– O quê? Você disse alguma coisa? – perguntou Mac, abrindo um largo sorriso. – Desculpe, deve ter entrado água nos meus ouvidos no banho, não estou ouvindo nada.
– Sua covarde! Em.
– Hã...
– O café está pronto! – A Sra. Grady traçou um círculo com o dedo. – Todas sentadas. Omeletes de clara com torradas de pão preto. Sentem, sentem. Comam.




Eu confesso: estava lendo "Bed of Roses" no shopping, no meio da praça de alimentação lotada e, quando li isso, quase morri de tanto rir.
Existe o problema da tradução perder algumas das piadas, com nomes de noivas, apelidos que virão palavrão, mas nada disso tira o brilho que "Mar de Rosas" tem.
Essa série é aquela que eu indico para todo mundo que nunca leu Nora Roberts, que começou a ler NR com um livro errado ou que simplesmente ama: mocinhos nerds (Carter), almofadinhas gostosões (Del), mecânicos românticos (Mal) e arquitetos atrapalhados (Jack).
É praticamente uma coleção de "tudo de bom, gostoso e hot".


O segundo livro é centrado na Emma, na descoberta do amor, no coração partido e nos preparativos para o casamento da Mac e do Carter.
Também começa a indicar quais serão os próximos casais e a dar uma ideia que esperar nos dois livros seguintes.


Para a felicidade geral da nação a Editora Arqueiro já liberou a data de lençamento de "Bem-Casados": dia 05 de Agosto!! Todo mundo já pode surtar!


E, se tu não tens medo de spoiler, pode aproveitar e ler um trecho do livro clicando aqui.


Então, bom... o que tu estás esperando aí, paradão? Vai correr e comprar um pra ti!


Beijos!


SKOOB - EDITORA ARQUEIRO - SITE DA AUTORA - GOODREADS - BED OF ROSES

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Resenha #414 - Jammes Patterson - Assassino de Cartão Postal

Noraholicando #18 - Nora Roberts - Escândalos Privados

Oie Gente!

Simmm, outro Nora Roberts!

Estou, finalmente, colocando meus amados Norinhas em dia! o/

O livro de hoje é "Escândalos Privados" e foi lançado pela Editora Bertrand no mês passado.

Eu preciso dizer que eu tive uma enorme dificuldade para ler esse livro. Quando ele chegou eu estava bem empolgada, porque, bem, é Nora Roberts.

Só que é um Nora Roberts beemm antigo, lançado em 1993.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Noraholicando #16 - Nora Roberts - Álbum de Casamento

Oie Gente!


Esse mês tem Nora Roberts novo, então vamos comemorar com vários posts especiais?


O primeiro deles é “Álbum de Casamento”, primeiro livro da série Quarteto de Noivas, lançado pela Editora Arqueiro.


Eu sou apaixonada por essa série e confesso ter uma queda especial pelo primeiro livro.
Sabem aquele nerd fofo e estabanado, que todo mundo acha tão gracinha quando ele acaba com café na camisa, um galo na testa e todo tipo de trapalhada possível? Mas que também abre portas, levanta da cadeira quando você vai sentar e é a coisa mais fofa que você só quer apertar, apertar e apertar?


Esse é o Carter, personagem masculino central desse livro.
Não adianta apontarem o fato de que é um “Quarteto de Noivas” e que obviamente o personagem central é a Mac, uma fotógrafa maravilhosa que tem horror a relacionamentos, mas que é a melhor amiga que todos desejam ter.


Ele é apaixonado pela Mac desde a escola, mas é claro que ela não sabe disso.
Ele também vai fazer de tudo e mais um pouco para conquista-la e, no processo, acabará conquistando todas nós.


Certo, eu deveria parar de falar no Carter e começar a falar em como a empresa das quatro amigas é aquela que todo mundo desejaria ter organizando seu casamento, em como as quatro se completam como pessoas, em como os outros homens são incríveis, blá, blá, blá, mas eu prefiro continuar falando sobre o Carter, porque ele é irresistível, doce, fofo, forte, leal, fiel, incrível e... ainn, eu quero um Carter pra mim!


A série é curta, são só quatro livros e todos eles são bem pequenos, com uma média de 250 páginas. Em português já temos “Álbum de Casamento” e “Mar de Rosas”, mas eu não resisti e já li os outros dois em inglês.


Todos são tão encantadores quanto o primeiro e essa série entrou para a minha lista de “reler eternamente não é má ideia”, o que quer dizer que eu, vez ou outra, sou encontrada com um deles nas mãos.


Amanhã vou falar mais sobre o Carter a série, então fiquem de olho!


Beijos!


SKOOBARQUEIRO - VISION IN WHITE

quinta-feira, 3 de julho de 2014

In Death por Lilian Sinfronio #01 - John Corey Whaley - Quando Tudo Volta

Sempre acreditei que após o vale sombrio, mais conhecido como adolescência, somos capazes de reconhecer aquele tom melancólico/pessimista/sofredor, característico da época de terror dos pais e o nascer de um ser humano sociável, em qualquer lugar em que estivermos, mesmo sem saber quem fala. Porque poucas coisas são mais certas na vida do que a incapacidade dos adolescentes em viver dentro de uma “normalidade”.


Ouvi há anos algo que me faz rir até hoje sobre essa fase: Adolescentes são seres alienígenas que estão gerando um outro ser humano, que um dia sairá lá de dentro e poderá ser chamado de normal.


Lembrei de tudo isso durante a leitura, porque Cullen Witten é o retrato fiel do garoto de 17 anos que mora em uma cidade pequena e, aparentemente, esquecida do resto do mundo. Apaixonado por uma garota inalcançável, incapaz de decifrar seu futuro, mesmo que seja o mais imediato possível e perseguido por um valentão na escola. Ele é a personificação de 90% dos meninos nessa idade.


Exatamente por isso é fácil o reconhecimento com os sentimentos que Cullen experimenta, após dois fatos que mudaram a ordem das coisas: seu irmão mais novo, e a coisa mais próxima de bom em sua vida, some sem deixar rastro; e, um pássaro dado como extinto é visto em sua pequena e desimportante cidade. Esses dois eventos não se comunicam entre si, mas são o pano de fundo da história contada por John Whaley, que inclui nisso zumbis e muita divagação.


O livro tem histórias que se interligam, conflitos bem reais e um teco de suspense que deixa a segunda metade da leitura muito mais interessante. Sim, porque na primeira metade fiquei tentando entender até onde o autor queria me levar e me perdi um pouco na história, até mesmo me desinteressei por ela. O que ajudou foi a leitura muito fácil e, como já disse, a empatia que criamos pelos conflitos e loucuras de Cullen, por sua dor e desespero até.


Quando Gabriel, sendo o irmão querido, sensato e responsável, embora mais novo, some sem deixar rastros, não tem como deixar de entender e apoiar as atitudes de Cullen. E quando ele assume para si um grande bocado da responsabilidade pela família, o que desejamos é entrar lá e dizer o quanto ele está sendo mais maduro do que eu seria.


Outros personagens do livro têm importância no cenário paralelo criado, como um filho obcecado por uma religião que o pai impôs e um amigo que fica paranoico pelos aparentes sinais deixados em um livro apócrifo(?). Esses capítulos alternados, para mim, salvaram o livro, por criar uma válvula de escape para meu cansaço na melancolia de Cullen e aguçar a curiosidade no que viria a seguir. Ponto para o autor.


O livro curto e a diagramação fofa ajudaram bastante a encaixá-lo no gênero Young Adult (YA), mas em muitos momentos fiquei achando que ele falava mais com essa velha aqui do que com alguém da idade indicada, estou louca? Provavelmente.


Algumas (muitas) falhas de revisão me incomodaram ao longo da leitura, o que não acontece com tanta frequência nos livros que leio da editora, ficou a interrogação do que aconteceu dessa vez.


SKOOB - NOVO CONCEITO - GOODREADS -  WHERE THINGS COME BACK

terça-feira, 1 de julho de 2014

Apresentando: Anne Magno

Continhando as apresentações das novas colunistas do blog.
A primeira a se apresentar foi a Lilian Sinfronio e a Thaís Averaldo e agora é a Anne Magno!

Bem-vinda ao blog, Anneeee!

Vamos lá!



Nome: Anne Magno

Cidade: Belém

Profissão: Assistente Social

Estilo preferido: Romances de época/ vampiros

Estilo odiado: Auto ajuda

Autor/Roteirista que desejas matar: O autor do livro "Orgulho e preconceito e zumbis".

Livro/Série que mudaria o final: O final de vampire Academy eu tornaria diferente, mas não sei disser agora como.

Personagem com quem casarias (vale elf@, vampir@, werewolf, detetive, tenentes, ladrões, etc): Dimitri Belikov

Tu sequestrarias ______ pra escrever só pra ti: Se ainda estivesse viva, acho que sequestraria a Jane Austen, para escrever sobre o senhor Darcy infinitamente.

Quote favorito: ´´Somos eternamente responsáveis por aqueles que cativamos`` - A raposa do pequeno príncipe.

Além de ler/assistir séries, gosta de...pintar, escrever, ir ao cinema, comer, ler mais um pouquinho, e assistir a k-dramas.

Enquanto estás lendo preferes...ficar sozinha e esparramada na minha caminha.

Coisa que te irrita quando estás lendo... quando o autor começa a perder o foco da história!

O que te faz desistir de uma série/um livro? Eu não tenho o habito de desistir de livros, mas, se for uma serie de livros eu terminar o primeiro e ele não me cativar, pode ter certeza que não lerei os outros.

O que ninguém nunca te verá lendo/assistindo? Ninguém nunca me verá lendo parodias dos meus livros favoritos, e em series de tv vocês não vão me ver assistindo nada muito complexo e que na serie eu não possa me apegar aos personagens (tipo GOT, que pelo que ouvi, não dá para se apegar porque vira e mexe um personagem morre...TT.TT)

Rápido, indique um livro/uma série! A serie Night Huntress da autora Janynne Frost, e uma serie de tv eu indicaria Bones.

Quente, fervendo ou pegando fogo? Dependo do quê! kkkkkk

Drama, comédia ou policial? Comédia!

Se fosse possível viver em um livro/série, qual seria? Não sei...são tantos, simplesmente não dá para escolher.

No teu futuro imediato está: um trabalho como funcionária publica, em que eu possa bancar meus gostos por livros, viagens  e outros.

Onde mais te encontramos? No FaceBook: Anne Magno

Tweeter: @annecpmagno

Skoob: Anne Magno

Blog: Garota Pai D'égua.

 

Apresentando: Thaís Averaldo

Oie Gente!

Continhando as apresentações das novas colunistas do blog.
A primeira a se apresentar foi a Lilian Sinfronio e agora é a vez da Thaís Averaldo!

Thataaaaaa, bem-vinda ao blog! *aperta*

Vamos lá!

Nome: Thaís, mas também atendo por Ta, Tata, Tatá, Tai...


Cidade: Guaratinguetá, São Paulo


Profissão: Advogada


Estilo preferido: hummmm... isso depende muito do meu humor, mas geralmente gosto mais de romances e policiais!


Estilo odiado: aqui sem dúvidas entra auto-ajuda e ficção científica!!!


Autor/Roteirista que desejas matar: isso varia muito conforme o livro ou filme ou série está se desenvolvendo. No momento é George R. R. Martin, por mais que eu saiba que não devo me apegar aos seus personagens continuo fazendo isso e sofro com toda a matança!


Livro/Série que mudaria o final: é complicado pensar nisso quando o assunto é série, pois muitas são canceladas e não têm oportunidade de ter um final pensado e tudo, e eu quando realmente gosto de uma série acabo me envolvendo com o final e mesmo que não ache perfeito acabo gostando. Só me lembro realmente de uma série que não aprovei alguns rumos do series finale e foi Gilmore Girls, outra posso não ter gostado mas não era fã da série para me importar realmente com o fim que teve. De livros eu mudaria o final de tantos, mas não vou dizer um porque ia ficar tentada ao fizer porque e isso acabaria rendendo minha morte por soltar spoilers!


Personagem com quem casarias (vale elf@, vampir@, werewolf, detetive, tenentes, ladrões, etc): como posso responder isso??? Casaria com tantos milionários, detetives, vampiphodões, rockstars, até mesmo cowboys, que é até impossível elencar! Mas posso elencar que NUNCA eu daria a menor chance seres tipo Mr. Grey, quem eu não acho nem um pouco romântico e outras coisas que dizem sobre a criatura!


Tu sequestrarias ______ pra escrever só pra ti: é claro que seria minha diva das divas Jo Rowling, a responsável pelo meu gosto pela leitura!


Quote favorito: "Francamente, minha querida, eu não dou a mínima!" - E o Vento Levou


Além de ler/assistir séries, gosta de... ir ao cinema! Eu sou uma pessoa super caseira, gosto muito mais de passar um dia lendo, vendo minhas milhares de séries ou filmes; mas quando eu disser que sai é porque estou indo ao cinema!


Enquanto estás lendo preferes... ficar grudada no meu Ed, tomando uma deliciosa xícara de chá ou cappuccino e ouvindo música!!!


Coisa que te irrita quando estás lendo... alguém ficar tentando me interromper!


O que te faz desistir de uma série/um livro? Enrolação, odeio quando um autor/roteirista insiste em desenvolver um plot por incontáveis episódios/páginas e depois dar um final corrido, ou numa série - de livros ou tv - e vivem reciclando plots que já estou cansada na série!


O que ninguém nunca te verá lendo/assistindo? Minha mãe me ensinou a nunca cuspir pra cima porque acaba caindo na minha testa. Nojento? Sim, mas verdadeiro! Já disse que não leria ou veria tanta coisa e quando dei uma oportunidade acabei me entretendo e vendo que ou não era ruim como pensava ou é mas entra para a lista de guilty pleasures!


Rápido, indique um livro/uma série! Aqui só penso em indicar Game of Thrones, a série tem de tudo e não é para quem tem coração fraco! De livro tenho que recomendar os que originaram a série!


Quente, fervendo ou pegando fogo? Pegando fogo, é claro!


Drama, comédia ou policial? Aí é difícil então responto que nunca comédia... não acho engraçado o que deveria!


Se fosse possível viver em um livro/série, qual seria? Eu gostaria muito de viver em Suits e trabalhar na firma de advocacia de lá.


No teu futuro imediato está: voltando a babar em Amell na minha maratona de Arrow!!!


Onde mais te encontramos? Twitter!

Apresentando: Lilian Sinfronio

Oie Gente!

Como prometido, hoje começam as apresentações das novas colunistas do blog.
A primeira a se apresentar é a Lilian Sinfronio e amanhã já tem resenha dela por aqui! \o/

Lilian, seja bem-vinda nessa loucura e.. bom, vamos lá!

 

 

20140630-153418-56058522.jpgNome: Lilian Sinfronio


Cidade: Belém


Profissão: Médica Veterinária


Estilo preferido: Romance/Suspense/Fantasia... quase tudo rs


Estilo odiado (se é possível odiar): Erótico/AutoAjuda


Autor/Roteirista que desejas matar: Rum, difícil hein? Talvez Sidney Sheldon, por me fazer odiar e amar todos os livros ao mesmo tempo e povoar minha adolescência, junto com a Agatha Christie.


Livro/Série que mudaria o final: Sei que é pretensioso, mas queria poder mudar o final de Lolita #ProntoFalei


Personagem com quem casarias (vale elf@, vampir@, werewolf, detetive, tenentes, ladrões, etc): Literalmente, CENTENAS hahaha não tem como começar a enumerar. Sou louca por alguns (e até vilões/ãs).


Tu sequestrarias pra escrever só pra ti: Carlos Ruiz Záfon ou John Green.


Quote favorito: 


Além de ler/assistir séries, gosta de... sair e ver o mundo lá fora?  (visualize aquela cena em que o monstrinho sai da caverna, quando a conexão cai, mas no caso é quando acaba o livro/temporada).


Enquanto estás lendo preferes... Sem preferências, posso ler andando, enquanto gritam ao meu redor (desde que não seja comigo), comendo, bebendo café (<3) ou qualquer coisa que não vá avariar o livro.


Coisa que te irrita quando estás lendo... Quando pedem minha atenção, mesmo que seja só pra olhar uma panela no fogo ou me lembram que já tá na hora de voltar ao trabalho rs


O que te faz desistir de uma série/um livro? Difícil largar um livro no meio, mas aqueles errinhos bestas de revisão aborrecem a leitura.


O que ninguém nunca te verá lendo/assistindo? Paulo Coelh... cof cof. Brincadeira. O lema é "nunca diga que dessa água não beberás"


Rápido, indique um livro/uma série! Rápido, pensei no A Invenção de Hugo Cabret, do Brian Selznick.


Quente, fervendo ou pegando fogo? Quente já tá baum.


Drama, comédia ou policial? Depende do humor e da carga que a última leitura teve.


Se fosse possível viver em um livro/série, qual seria? Não exatamente em um livro, mas um local retratado na série: a criada pelo Zafón, nos livros a trilogia d"O Cemitério dos Livros Esquecidos.


No teu futuro imediato está: Labuta, nego.


Onde mais te encontramos? @LilianSinfronio