quarta-feira, 17 de setembro de 2014

In Death por Fernanda Karen #03 - Gayle Forman - Se Eu Ficar

SE_EU_FICAR_1404309893PSabe aqueles livros sensíveis no ponto certo? Estamos diante de um da espécime. Aproximem-se!

“Se eu ficar” é uma obra bela mesmo em meio ao caos. Não é um livro para chorar; por mais que seja meio inevitável ao lidar com seu enredo. É um livro emocionante que, mesmo não sendo auto-ajuda, faz o leitor pensar. A narrativa da autora é suave ao lidar com todos os conflitos que a protagonista passa. Mia tem uma experiência terrível aos 17 anos. Em um acidente de carro, perdeu sua família. Poucos instantes bastam para mudar radicalmente uma vida.

Quando Mia se levanta e percebe a seriedade do acidente – seus pais mortos – começa a perder o controle em busca de seu irmão. Mas, estranhamente, ela se encontra inconsciente, com vários machucados aparentemente graves e com um batalhão de resgate trabalhando para mantê-la viva.

Será que morri?” Ela pensa. Mas se estivesse morta, os paramédicos estariam trabalhando no seu corpo?

A partir daí, o leitor será levando em uma viagem que nada tem de espírita ou auto-ajuda. É fundamentalmente a perspectiva de Mia sobre sua vida, sua família, seus amigos, seu amor pela música e por Adam, e no que interferiria ficar neste mundo sem sua família, ou ir para junto deles.

"Tudo bem. Se você quiser partir. Todos nós queremos que você fique. Eu quero que você fique mais do que já desejei qualquer outra coisa na minha vida. Mas esta é a minha vontade e vejo que talvez possa não ser a sua. Então, eu só queria dizer que entendo se você decidir partir. Tudo bem se tiver de nos deixar. Tudo bem se você decidir parar de lutar."


6983010

Amei essa leitura. A sensibilidade da autora ao criar uma história trágica mas ao mesmo tempo bonita é digna de nota. A narrativa é feita em aproximadamente 24 horas e nesse espaço de tempo o leitor é atraído pelo amor que Mia sente por sua vida; sua família é incrível, seu violoncelo é como uma extensão de seu corpo e seu amor por seu namorado Adam é muito sincero.

Gayle Forman me ganhou pela narrativa incrível. Tive todos os tipos de sentimentos com esse livro curto e a leitura acabou rápido demais. Apesar de ser uma leitura rápida, conhecemos praticamente toda a vida de Mia e entendemos o que sua perda significa. Eu poderia frisar o romance no livro, porém seria uma leviandade da minha parte diminuir os sentimentos inspirados pela família, amigos e música. Sua decisão de ficar, ou ir, é significativa não apenas para Mia, mas para todos os que aqui vão ficar.

“Seja qual for a sua escolha, vai sair ganhando. Assim como também vai sair perdendo.”


“Seu eu ficar” foi lançado anteriormente pela editora Rocco, porém a Novo Conceito comprou seus direitos e trouxe uma edição muito bonita (mesmo que seja imagens do filme). Achei uns errinhos de revisão, mas nada que comprometesse a leitura.

Na edição da Novo Conceito, vem um capítulo da continuação da história (pois é, também não entendi. Fechou tão bem, na minha opinião) que é da perspectiva de Adam. Mas creio que é a continuação se passa no futuro e vai mostrar ao leitor o que a escolha de Mia interferiu em sua vida. (Se eu estiver equivocada, por favor, me esclareçam.) E também há entrevistas com os atores que interpretam Mia e Adam nos cinemas, Chloë Grace Moretz e Jamie Blackley respectivamente. Para ser bem honesta, acho que o livro se sustenta muito bem por seu conteúdo, mas compreendo que com o filme em cartaz, pode ser um pouco mais atrativo para alguns fãs.

Assisti ao filme um dia depois que terminei a leitura do livro e meu parecer é: assistam ao filme e desconfiem um pouco do excesso, mas não deixem de apreciar essa leitura realmente incrível. Estou MUITO ansiosa pela continuação que se chama "Para onde ela foi" e que tem previsão de lançamento para outubro. Os comentários no goodreads estão super choráveis, então... lança logo, Novo Conceito!

10215816

Até a próxima, queridos!

terça-feira, 16 de setembro de 2014

In Death por Lilian Sinfronio #07 - Maurício Gomyde - A Máquina de Contar Histórias

Por Lilian Sinfronio

Olá queridos e queridas que, de quando em vez, clicam aqui por este blog amour <3

Hoje quero falar sobre mais um lançamento da editora Novo Conceito, pelo selo Novas Páginas, do comentado e badalado Maurício Gomyde. Autor muito comentado por todo o seu carisma com fãs e blogueiros, seu empenho com os quatro livros lançados de forma independente e sucesso entre a maioria dos que leem seus livros. Sempre quis conhecer o cara e, com A Máquina de Contar Histórias, chegou a minha vez.

O cara jogou baixo comigo ao usar uma frase do Haruki Murakami no início do livro, muito baixo rs. Adoro esse japonês e a sua determinação ferrenha na arte de escrever:



Quando paramos para escrever um romance,

quando usamos a escrita para criar uma história,

queiramos ou não, um tipo de toxina que jaz nas

profundezas de toda a humanidade sobe à superfície.

Todo escritor precisa ficar cara a cara com essa toxina

e, consciente do perigo envolvido,

descobrir um jeito de lidar com ela.



Na história, Vinícius Becker é um escritor de sucesso absoluto. Reconhecido internacionalmente como o best seller brasileiro, a “máquina de contar histórias” que sempre irá emocionar seus leitores e levar todos às lágrimas. Ele aprender ao longo dos anos a manipular seus textos de forma minuciosa para chegar ao resultado desejado, fazendo assim enorme sucesso.

Só que essa “máquina” acaba de perder sua esposa de forma dolorida, depois de anos lutando contra a leucemia, e deixou todos na mão e sozinhos nessa hora. Tudo em prol do sucesso, dos eventos, lançamentos e obrigações de um grande autor literário. O desafio do livro é como Vinícius irá redescobrir o amor por sua família e reconquistar o amor de suas filhas, uma adolescente, muito magoada com a morte solitária da mãe, e uma menininha de quatro anos que mal tem conhecimento do pai.


O livro é cheio de quotes muito bons, cheios de inspiração sobre o mundo literário e o quanto ele pode ser vilão e mocinho. O grande autor vai largar tudo e sair em viagem com as filhas, conversar e se expor para tentar mostrar que a ausência acabou, desse amor e descobertas que trata o livro. Durante essa viagem, também vai compartilhar desse amor por literatura com a filha, e as citações que vem daí são excelentes.


Mas, para mim, a expectativa com uma leitura sempre pesa negativamente, porque ir “com muita sede ao pote” me faz olhar com maior rigidez aquele objeto de desejo. Por isso, como sempre quis conhecer o autor e sempre o vi tão bem comentado, esperava muito mais do que encontrei. A história é sim muito interessante, esse meio literário sempre encanta quem gosta de livros, aguça a curiosidade sobre como se fazem essas maravilhas que passo tanto tempo lendo e apreciando, mas a forma narrativa do autor não me segurou na leitura.

Os capítulos curtos e a forma calma de narrar os fatos podem ter ajudado, mas não me agradou a voz narrativa, e até mesmo a escolha de palavras. Sei que é questão de gosto, e isso não se discute, por isso compreendo as inúmeras avaliações positivas dos livros do Maurício, e, sim, desejo conhecer outras coisas que ele tenha escrito, mas esse primeiro me deixou chateada por não ter criado a ligação que eu esperava com a história emocionante que ele quis contar. Mesmo em livros previsíveis, como é o caso, o importante é como o autor te leva até aquele momento crucial de descoberta: não rolou, não rolou.

Espero poder vir falar de outro livro dele e dizer que esse sim me agarrou de jeito. Espero mesmo.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

In Death Por Anne Magno #4 - A. C. Meyer - Louca Por Você

Amados, voltamos com mais um surto literário direto das minhas aquisições da Bienal Internacional do Livro 2014. Uma das surpresas que vieram na minha mala para Belém, foi o livro fofíssimo da escritora A. C. Meyer que também é uma fofa. Um romance nacional que super promete, é o livro a ser resenhado  #JÁ!.

Já tinha observado uma certa mobilização dos fãs desse livro nas redes sociais antes mesmo de chegar em Sampa. Então coloquei ele na minha check list, o triste é que não consegui ele autografado, mas o que suprimiu a minha momentânea tristeza, foi o super papo que bati com a autora via Twitter. Gente, ela responder praticamente todas as menções, tira dúvidas dos livros e ainda te dá dicas sobre os próximos. Sim, você leu direitinho, há sim uma sequência guardada para o livro.

Geralmente quando a gente termina #AQUELE livro, dá ´aquela` vontade louca, e abrasadora de sair comentado sobre tudo a respeito do livro, e como ainda não emprestei ele para as amigas, fiquei meio refém do Twitter...mas, foi ´´meio`` confortante poder conversar sobre os detalhes com a autora como se fossemos grandes amigas de longa data. Quando terminei o livro senti aquela vontade de virar beta dela...kkk

1 2 3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Então vamos a resenha!10341964_1499952993551318_6320751001627417541_n

Esse livro conta a história da Julie saindo da mesmice e do conforto de suas calças de yôga para a vida ´´adulta`` se é que deu para entender...rsrrss...considerei a Julie uma personagem muito resignada, focada e apaixonada. Ela perdeu os pais muito cedo, e também desde cedo já sabia o que queria: Cantar e ter o Daniel!

Ela é a tipica personagem que com os amigos certos, a lingerie apropriada e um pouquinho de cuidado e carinho, e ela se transforma de betty a feia, para a Megan Fox, em um piscar de olhos. E no decorrer do livro mostra como ela foi correndo atrás do que ela queria, começou com a música, aprendeu a tocar vários instrumentos e a cantar várias músicas, sem precisar ler mais que uma vez a letra...que memória hein?

Como ela ficou orfã cedo, foi criada pela família de Daniel, como uma filha muito amada. Talvez tenha surgido aí dois problemas iniciais para ela: Ela conheceu o Daniel, e ele passou a ver ela como uma irmã...mas será que ele ver ela assim, já é um GAME OVER para ela? ^^ calma, gente, se fosse não teria livro...klkkkk

Mais ela soube esperar! Cresceram e Daniel se formou e com dois amigos (lindos, gatos tuuuuuuuudddddoo...assim como ele!) abriram um bar/boate super badalado chamado After Dark.

As amigas que são chegadas a um Bad Boy literário, eu vos apresento (segurem-se nas cadeiras, e não babem muito) Daniel. Lindo chega a ser um adjetivo muito pobre para descrever este guerreiro espartano tatuado. Inteligente, genioso, atraente, sexy e intimidados, eis algumas parcas tentativas de descreve-lo.

O livro alterna capítulos entre as perspectivas de ambos. Então podemos acompanhar toda a angustia e sofrimento de ambos, por falta de comunicação (talvez), orgulho com uma pitada de provocação...kkk...gente, dizer que gostei do livro é pouco, entrou no ranking de melhores livros no ano, e para ser franca, terminei ele em 4 horas, simplesmente assim!

Além dos personagens cativantes, segredos e conquistas, eu amei a playlist que a autora colocou no livro todo, e ela teve a consideração com os fãs e descreveu a lista de músicas no fim do livro #OBRIGADA, é extremamente cansativo e desestimulador quando termino um livro e tenho que sair catando as músicas dele, certa vez ate desisti de fazer um post sobre playlist de livros, por causa disso ¬¬

Além da autora ter um bom gosto para a criação de personagens, ela ainda tem bom gosto musical, degustem da playlist do livro:

1 - Baby One More Time - Britney Spears

2 - Put Your Records On - Corinne Bailey Rae

3 - She Will Be Loved - Marron 5

4 - Fever - Madonna (gente, a cena dessa musica é de ferver mesmo!)

5 - Unwritten - Natasha Bedingfield

6 - Need You Now - Lady Antebellum

7 - Come Away With Me - Norah Jones

8 - You're Beautiful - James Blunt

9 - Take Me Out - Franz Ferdinand

10 - Brand New Me - Alicia Keys

11 - Every Night - Paul McCartney

12 - Tears In Heaven - Eric Clapton

13 - Crazy For You - Madonna

14 - Real Love - A. C. Meyer

15 - Someone Like You - Adele

16 - I Do It For You - Bryan Adams

17 - I Never Told You - Colbie Caillat

18 - You Give Me Something - James Morrison

Posso disser sem dar spoiller, que no final, a Julie se mostrou mais forte do que parecia, e não submissa de seus sentimentos no todo. Ela não é o tipo de personagem que fica rastejando muito tempo não, ela tenta 1, 2 ou até 3 vezes, não deu? A vida continua!

Um outro ponto que gostei bastante foram as cenas em que o Daniel teve que ir atrás dela, foram dignas de um Oscar, com direito a trilha sonora e rosas!

Então termino este post com a super dica: LEIA ESSE LIVRO URGENTE, deixe ele pular sua torre de livros por ler, ele é rápido e você vai se apaixonar, e depois vá lá no T.T e fale com a autora, ela é super fofa, assim a gente incentiva o trabalho dela, para sair logo o segundo livro...kkk!

Abraços de urso, espero que tenham gostado!