terça-feira, 28 de abril de 2015

Terça Sobrenatural #51 - L. L. Raand - The Midnight Hunt


Oie Gente!
Finalmente, depois de meses, consegui me empolgar com uma série sobrenatural.
"Midnight Hunters" é uma série de romances que envolve todo tipo de sobrenatural que possamos imaginar, de autoria da L.L. Raand, pseudônimo da Raddclyffe, uma das minhas autoras favoritas, bem do ladinho da Nora Roberts.
Temos werewolfs, vampiras, werecats, fadas e mais alguns Praetern, todos lutando para terem seus direitos reconhecidos pelos humanos.
O núcleo central é a "alcatéia" Timberwolf, cuja Alfa, Sylvan, está enfrentando sérios problemas com humanas sendo infectadas pela febre lupina, indo parar em hospitais humanos e atraindo atenção indesejada para os problemas do pack.

Em uma dessas situações ela conhece Drake, um médica conhecida por colocar os pacientes acima de tudo, inclusive da própria segurança. Drake acaba sendo ferida por uma dessas pessoas infectadas e, ao contrário de seus pacientes, sobrevive.
Agora ela e Sylvan precisam, juntas, entender e superar as mudanças que surgirão em seus caminhos.

Quando li o primeiro livro da série "Midnight Hunters" foi amor imediato. Ela tem exatamente aquilo que eu gosto em um livro sobrenatural: sangue, suor e sexo, e a estrutura da série torna impossível não continuar lendo, já que é perceptível os ganchos deixados para livros futuros e a curiosidade em saber quem será o próximo amigo da onça a aparecer por lá.
É bem difícil definir quem é amigo e quem é inimigo, já que estamos falando das criaturas mais poderosas de todos os tempos, com uma longevidade que faz qualquer "Jeanne Calment" parecer uma recém nascida, o que torna a noção das pessoas de certo e errado um tanto quanto... nublada. Para eles certos comportamentos são totalmente aceitáveis se, em longo prazo, eles trouxerem benefícios.

Só tem uma coisa que eu ainda não consigo aceitar muito bem, mesmo depois de ter lido quase todos os livros da Raddclyffe, é que ela tende a cortar os livros logo após a finalização de uma batalha, mas não distante o suficiente para te deixar aproveitar a quietude.
Confesso que isso, até hoje, me deixa um pouco desconfortável. O que é um absurdo da minha parte, já que a Nora faz a mesma coisa em quase todos os livros dela.

Com uma boa dose de ação e romance "The Midnight Hunt" é a abertura perfeita de uma série incrível.


 SINOPSE:

What do you do when you wake up to a whole new life...with dangerous urges you can't control?
Medic Drake McKennan has never been good at following protocol, so she doesn't think twice about rendering emergency care when a young girl's life is at stake - even if the girl is in the throes of Were fever and any sane human should know better. It isn't the bright shining pain of the bite or even the wrenching agonies of the fever that convinces her everything in her life has changed. It's the way she feels about the blonde with the wolf-gold eyes leaning over her hosptal bed when she finally wakes up. Sylvan, the Alpha of the Adirondack Timberwolf Pack - the one female Drake can't have. And the only one she wants.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Noraholicando #19 - Nora Roberts - Felizes Para Sempre




Hoje tem a resenha do quarto livro do "Quarteto de Noivas", "Felizes Para Sempre".
Dessa vez é a vez da Parker encontrar seu príncipe encantado e, sendo ela a moça organizada e pragmática que ela é, isso não acaba lá muito bem.
Vejam bem, pessoas, tudo começou por conta de um irmão mandão e intrometido.
Nosso querido Dell resolveu chamar um certo mecânico pedaço de mau caminho para um passeio no parque. Quando o pedaço de mau caminho chegou lá e a Parker percebeu que o Dell tinha chamado ele lá para fazer companhia para a pobre e solitária irmanzinha, tascou um beijão no Mal, daqueles de deixar qualquer mulher de sangue quente se roendo de inveja.

Vejam bem, pessoas, o que o Carter tem de Nerd Delicinha, com toda aquela falta de coordenação, o Mal tem de sex appel com toda aquela presença e pose de malvadão.
Mas é tudo pose. Nosso mecânico favorito, ao contrário da Parker, não teve uma infância lá muito feliz. Tinha um tio que era o cão chupando manga e tratava ele como um capacho, mas uma mãe maravilhosa que compensava isso.
O resultado é que ele é uma mistura perfeita de bad boy e "genro dos sonhos".
E a nossa querida e sensata Parker fica perdidinha da silva quando começa a se interessar por ele.

Além desses dois pegando fogo, temos a maravilhosa Sra. G e o Mal com tiradas maravilhosas que, pra variar, me fizeram cair na gargalhada dentro do ônibus, naquela cena típica de bookaholic onde todo mundo fica te olhando como se tu tivesses duas cabeças.

Acho que o mais legal dessa série é como os personagens são diferentes entre eles e o quanto isso permite que eles se completem.
Temos o escritor sonhador e a fotógrafa realista. A florista romântica e o engenheiro lógico. A chef teimosa e o advogado persistente. A administradora prática e o mecânico aventureiro.
E todos eles funcionam. Como casais, como amigos, como sócios. Tudo bem realista: com conflitos, brigas, problemas, risadas. E com um toque de conto de fadas, garantindo a todos os bonzinhos um "Felizes Para Sempre".

Beijos!

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Resenha #418 - JoBethMegAmy - Calamity Jane Meets Dr Isles, MedicineWoman

Oie Gente!

A resenha de hoje é sobre um dos meus grandes prazeres literários: fanfics.
Para quem não sabe o que: histórias escritas utilizando como base algo que já existe: um filme, livro, seriado (S2S2S2), etc.
E eu preciso dizer que eu já li coisas tão maravilhosas que quando sentei para escolher qual seria a primeira fanfic que eu resenharia aqui no blog passei dois dias inteirinhos pensando.
Vocês ainda lembram como eu sou péssima em fazer listas, certo?
Mas aí

"Calamity Jane Meets Dr Isles" é uma fanfic baseada no seriado Rizzoli And Ises, que é uma adaptação da série de livros de mesmo nome, de autoria da JoBethMegAmy. my homegirls.
Eu sou completamente apaixonada pela série, mas confesso que não tão apaixonada assim pelos livros.
Eu sei, eu sei, estou cometendo uma heresia contra todo bookaholic que se prese, mas dessa vez as personagens da série me encantaram mais do que as do livro. (Sasha Alexander, Sasha Alexander, Sasha Alexander... eu já disse Sasha Alexander??)

E Calamity Jane é uma fanfic UA, ambientada no velho oeste americano, época pela qual eu tenho uma certa fascinação literária, apesar de preferir livros contemporâneos.
Maura Isles e Jane Rizzoli são tão diferentes quanto água e vinho.
Maura é uma médica que está lutando para ser aceita como tal, em uma época em que as mulheres poderiam, no máximo ser professoras.
Jane é uma mistura perfeita entre as limitações impostas às mulheres e a luta por ser muito mais do que é permitido.
As duas se encontram a caminho de Hollow Creek, uma cidade pequena, típica daquela época, enquanto cada uma luta pelo que acreditam ser o certo.
O que elas não esperavam é que esse encontro fosse mudar a vida delas, e de toda a cidade, completamente.

Eu poderia ficar horas e horas contando os detalhes da história, mas isso estragaria a brincadeira.
Acho que a grande mágica da história é o quanto de realidade a Meg conseguiu colocar no texto dela. Enquanto lia consegui me sentir transportada para aquela época e era palpável os conflitos, as dificuldades e os preconceitos dos personagens, tão característicos do mundo histórico.
Esse talento foi o que me cativou nas histórias da Meg. Depois da Calamity Jane, li o segundo volume da série, depois "Are You Lonesome Tonight?" e tudo o mais que encontrei na página da autora no FFN. É impossível não se apaixonar pelo jeito que ela escreve, pela profundidade dos sentimentos e pela complexidade dos personagens.

Sei que os personagens da Meg são baseados nos personagens da série, que são baseados nós da Tess, mas ela deu uma caracterização tão pessoal à eles que, a cada nova fanfic, a impressão que eu tive era de estar conhecendo novos personalidades de uma mesma pessoa.

Brutal, violenta e absurdamente romântica, "Calamity Jane" é tudo aquilo que eu sempre quero em um bom livro.

Beijos!

quinta-feira, 16 de abril de 2015

In Death por Lilian Sinfronio #08 - O Clube do Biscoito - Ann Pearlman

Por Lilian Sinfronio

O livro é um romance sobre a vida de Maine e suas onze amigas, sobre sua reunião anual para o Clube, quando cada uma traz uma dúzia de biscoito para cada integrante e mais uma dúzia para a caridade, na primeira segunda-feira de dezembro, impreterivelmente, com regras criadas ao longo dos anos. Elas não só trazem os biscoitos, vem falar de suas vidas e compartilhar suas emoções ao longo daquele ano.

O livro fala dessa comoção natalina, esse sentimento que toma de assalto todas as pessoas e parece borrifar no ambiente empatia, compreensão e bondade. Mas além desses sentimentos saudáveis e nobres, Maine vai falar de sua relação com cada uma dessas mulheres, suas receitas de vida e mesmo de família. O livro fala muito mais das relações pessoais e de escolhas do que de biscoito, na verdade.



Logo após o Dia de Ação de Graças, nós fazemos biscoitos, damos alegria umas às outras e à casa de caridade e, depois, repassamos as dúzias de diferentes biscoitos que ganhamos aos amigos, familiares, vizinhos, babás e manicures. [...] Um efeito cascata de guloseimas deliciosas na época mais sombria do ano. Uma cascata, em nossa vida, da alegria que damos uns aos outros.



Todo ano, mal posso esperar que elas cheguem, e fico animadíssima em  ver cada uma delas.

Conheci cada uma ao longo da minha jornada: no ensino médio, quando era hippie, como uma jovem mãe, como divorciada, como mãe solteira, no mundo dos negócios, com um homem ou outro.


No final das contas, o que menos se aprende com a leitura é sobre como fazer alguns biscoitos gostosos, não que eu tenha perdido a oportunidade de anotar algumas das receitas que o livro traz, ou pelo menos o conceito de cada uma das receitas.www.noivas.net

O livro traz a graça desse momento íntimo entre essas amigas, conta o drama de cada uma delas e ainda dá muitas lições de vida, principalmente da luta comum em muitas mulheres – minha inclusive. Maine é mais do uma anfitriã cuidadosa e prendada, ela cuida, ouve e aconselha cada uma dessas mulheres, é o porto seguro de muitas delas e aprende com cada um dos seus exemplos. O livro foi uma boa lição e aprendizado, feito de forma leve e precisa. Adorei a facilidade e doçura de leitura. Em uma única noite, no dia do Clube, a história se desenrola sem ficar chata ou cansativa em nenhum momento.

Quando penso no poder que a amizade retratada pela autora tem, de curar e alimentar, muitas vezes somente através dos ouvidos atentos e concordância contida, fico emocionada ao lembrar algumas excelentes amigas que tive ao longo da vida. A saudade foi tanta que até sonhei com uma delas, mais pontos pra leitura.

Quem puder ler, não perca a oportunidade. Quem puder fazer algumas das receitas, não perca igualmente a oportunidade de me mandar pelo menos uma dúzia desses biscoitos – só pelo espirito natalino e de amizade rs.

SKOOB -  GOOD READS - The Christmas Cookie Club

terça-feira, 14 de abril de 2015

Noraholicando #18 - Nora Roberts - Bem-Casados

Oieee Genteeee!


Saudadessss de vocês! S2


Eu sei, eu sei, passei meses desaparecida... mas é que a inspiração de escrever casou com a vontade de ler e elas fugiram juntas em lua de mel, me deixando todos esses meses sozinha, abandonada, triste...


Mas finalmente, depois de longo e tenebroso verão (porque, claro, aqui em Belém está sempre quente) estou de volta!
E é óbvio que eu aproveitei o retorno dessas duas moças abusadas e catei um Norinha para ler.


"Bem-Casados" é o terceiro volume do "Quarteto de Noivas", publicado pela Editora Arqueiro e conta a história da Laurel McBane, uma chef confeiteira que precisou lutar com unhas e dentes para conquistar seus objetivos.


Eu preciso confessar que depois do Carter, Laurel é minha personagem favorita do Quarteto de Noivas.
Ela é mal humorada, sarcástica, tinhosa feito uma mula e faz os doces mais deliciosos do mundo todo.
Só o fato de ter uma chef no livro já faria com que eu gostasse dele. Essa chef sendo altamente temperamental, colaboraria mais ainda. Tendo o delicinha do Carter junto, ain, torna tudo perfeito.


São tantos apelidos ridículos, comentários sarcásticos e tiradas do tipo "família louca e surtada" que é impossível não cair na gargalhada durante a leitura.
Um bom exemplo é quando a Laurel está confessando seu grande amor para suas queridas amigas




– Eu não sinto. Está bem, eu sinto, mas não fico pensando nele dia e noite. É algo que vem e passa. Como uma alergia. Só que em vez de me fazer espirrar, faz com que eu me sinta uma idiota.

Vocês podem imaginar como isso evolui, se a confissão amorosa é desse jeito?


Outra coisa que eu adoro no Quarteto é o quanto as personagens são diferentes uma das outras. A Mac é um bocado não-romantica, Emma é o romance em pessoa, Laurel, a praticidade e a Parker é a eficiência pura.
E com o passar das páginas dá pra perceber que por elas serem tão diferentes é que elas formam uma combinação tão perfeita, o que torna cada livro especial.
Divertido, romântico e encantador, "Bem-Casados" é tão gostoso quanto seu homônimo comestível.


E para quem não conhece a série ainda, fica uma dica: Americanas com o Box (lindo, lindo, lindo *.*) em promoção!


Beijos!


SAVOR THE MOMENT - SKOOB - GOODREADS - AMERICANAS - EDITORA ARQUEIRO - BOX


SINOPSE


A chef confeiteira Laurel McBane precisou batalhar muito para realizar sua maior aspiração profissional — ser uma doceira premiada. Agora seus bolos de casamento são a própria perfeição, obras de arte surpreendentes que complementam as belas fotografias de Mac e os arranjos de flores de Emma.


Após ter conseguido superar um histórico familiar complicado, ela tem o cuidado de não deixar que nada fique no caminho de seu trabalho. Por isso se irrita tanto quan do Del, o irmão de Parker, tenta opinar em seus assuntos. Como cultiva um amor secreto por ele há muito tempo, Laurel acha ainda mais difícil aceitar que Del a trate apenas como uma amiga.


Mas certa noite uma discussão acalorada e um beijo ardente mudam tudo. Laurel constata que a realidade é ainda melhor que seus sonhos e Del percebe a mulher incrível que sua visão de irmão mais velho não o deixava enxergar.


Quando a amizade se transforma em algo mais, os dois precisam ter muito cuidado para não estragar o que tinham antes e, ao mesmo tempo, aproveitar a oportunidade que lhes foi dada: ser os protagonistas de uma grande história de amor.